Wellington discute futuras parcerias com embaixador da China

Publicada em 18 de julho de 2019 - 9:02

Imprimir
Wellington discute futuras parcerias com embaixador da China

Última atualização: 18 , julho 2019 - 09:02

O governador Wellington Dias reuniu-se, nesta quarta-feira (17), em Brasília, com o ministro da Embaixada da China no Brasil, Song Yang. Na oportunidade, trataram sobre possíveis parcerias e investimentos de empresas chinesas no Piauí.

Segundo Dias, o Brasil já tem uma ótima relação comercial de muitos anos com a China que gera na economia do Piauí negócios na ordem de US$ 70 bilhões. “É um dos principais parceiros do Brasil e do mundo e o Piauí apoia, defende e trabalha para a ampliação dessa parceria. Aqui, encontramos o apoio da embaixada no sentido de nos dar segurança nessa relação. Já temos investidores da China no Piauí, o Piauí já consome produtos da China e queremos expandir os negócios na área de energias, infraestrutura e outras áreas, o que vai ser bom também para o nordeste”, disse o governador.

“A conversa com o governador foi importante para que possamos trabalhar arduamente para o povo do Piauí. A sua visita à China para participar do evento GRI China-Latam Infra Summit & Week 2019 pode resultar na criação de mais oportunidades, de surgimento de comércio e de entendimentos. Vamos promover conversas com mais empresas chinesas, bancos e fundo de investimentos. A porta da China está aberta para sua comitiva e faço votos de grande sucesso”, pontuou o ministro Song Yang.

Da Redação

WD apresenta plano para universalizar saneamento e estima investir R$ 200mi ao ano

Publicada em 17 de julho de 2019 - 14:06

Imprimir
WD apresenta plano para universalizar saneamento e estima investir R$ 200mi ao ano

Última atualização: 18 , julho 2019 - 08:43

O presidente do Instituto de Águas e Esgotos do Piauí (Iaepi), Luiz Cláudio Lima, e a equipe do órgão apresentaram ao governador Wellington Dias e ao secretário de Estado do Planejamento, Antônio Neto, nessa terça-feira (16), no Palácio de Karnak, um plano macro para universalização da água de qualidade, do sistema de esgotos e implantação de banheiros residenciais na zona rural e urbana dos 224 municípios piauienses.

De acordo com Wellington, é uma preocupação do Governo do Estado trabalhar essas áreas e que deve buscar condições para o longo prazo. “Vamos precisar de algo em torno de, aproximadamente, R$ 200 milhões por ano. Para tanto, vamos buscar recursos do Estado, de contratos de empréstimos, do Orçamento Geral da União, da disposição de emendas parlamentares que queiram contribuir para que dessa forma possamos ter a condição de alcançar a meta de universalização desses serviços em 10 anos”, disse o gestor.

O governador explicou que essas são áreas muito importantes, pois a partir do momento que as pessoas passam a fazer uso de uma água potável, que têm à sua disposição uma rede de esgotamento sanitário e o tratamento de resíduos sólidos, elas adoecem menos, e enfatizou a necessidade de trabalhar de forma integrada com os municípios a questão do lixo. “Do lixo vem as moscas, baratas, dengue. Além de ser um custo para as pessoas, é um custo para o Sistema Único de Saúde”, comentou Dias.

O presidente do Iaepi disse que o plano apresentado trabalha com uma nova modelagem de estação de tratamento estáticas, com o apoio de limpa fossas e que devem ser trabalhados por meio de parcerias público-privadas (PPPs).

“Por meio da subconcessão, será possível enxugar uma despesa para operacionalizar. Esse é um plano muito desafiador para 10 anos e deve virar um projeto de Estado, para que as novas gestões possam abraçar. O foco é levar água de qualidade e evitar doenças, assim vamos evitar o problema de idosos, crianças e parturientes que bebem água salgada, diminuir a mortalidade e avançar na expectativa de vida e alavancar ainda mais o IDH do Piaui para bom e ótimo”, comentou Luiz Cláudio.

Da Redação

WD defende que repasses ao Estado sirvam para cobrir déficit da previdência

Publicada em 11 de julho de 2019 - 8:32

Imprimir
WD defende que repasses ao Estado sirvam para cobrir déficit da previdência

Última atualização: 11 , julho 2019 - 15:27

Durante a primeira audiência pública da comissão especial destinada a apreciar a reforma da previdência no Senado, o governador Wellington Dias defendeu que os repasses federais ao Estado sejam usados para cobrir o déficit da Previdência estadual.

“Sobre o que vem sendo discutido a respeito da partilha, aquilo que for receita dos estados será destinado à cobertura do déficit da previdência. Acho que isso é um grande ganho para o Brasil, aumenta a capacidade de equilíbrio e de investimento, isso é tudo que o Brasil precisa”, explicou o governador.

Além disso, segundo Wellington Dias, o Senado trabalha a hipótese de criar uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) Paralela, onde o que for aprovado do texto da reforma pelos senadores será promulgado. Já a inclusão dos estados voltaria para ser reapreciada pelos deputados.

A reunião contou com a presença dos governadores Eduardo Leite (Rio Grande do Sul) e Ratinho Júnior (Paraná) e discutiu possíveis receitas para reduzir o déficit previdenciário nos estados e municípios, que ficaram foram da reforma a ser votada pela Câmara dos Deputados.

Da Redação

Governador inaugura ETA e escritório da Agespisa em Barras

Publicada em 6 de julho de 2019 - 19:12

Imprimir
Governador inaugura ETA e escritório da Agespisa em Barras

Última atualização: 8 , julho 2019 - 08:34

O governador Wellington Dias inaugura neste sábado (6), em Barras, a Estação de Tratamento de Água e também o escritório da Agespisa. Na cidade, ele também assina ordem de serviço para retomada de obras de mobilidade urbana, que serão executadas pelo Departamento de Estradas de Rodagens do Piauí (DER).

Orçada em R$ 450.000,00, a construção da Estação de Tratamento de Água tem capacidade para produzir 40 litros por segundo, sendo composta por 12 caixas d’água de PVC, reforçadas com fibra de vidro. Esta obra beneficiará toda população urbana do município de Barras.

Ainda em Barras, será inaugurada a sede da Agespisa com 108 metros quadrados, que vai garantir melhor atendimento e conforto aos clientes. “A obra foi executada com recursos do Governo do Piauí e da própria Agespisa, no valor de R$ 127,673,00 oriundos”, explica o presidente Genilval Sales.

Localizada no entorno do reservatório de água, à rua Coronel Correia, o escritório fica próxima à Prefeitura Municipal e Praça da Matriz. O projeto arquitetônico segue o modelo aplicado aos novos escritórios das cidades atendidas pela Agespisa.

“Já iniciamos o atendimento na nova sede, assegurando melhores instalações físicas tanto ao cliente quanto ao servidor”, ressalta Genival Sales.

Dentre os serviços oferecidos aos clientes nos escritórios da Agespisa, estão solicitações de cadastro, de substituição de hidrômetros e ligação de água. O escritório em Barras funciona de segunda a sexta, das 7h30 às 17h30.

Governador visita obras da UBS

Após cumprir agenda administrativa em Barras, o governador Wellington Dias segue para São João do Arraial, onde visita obras de Construção de Unidade Básica de Saúde.

Na cidade, ele participa ainda do Festival dos Cocais e fará a entrega de ambulância e fará liberação de Crédito para Banco Comunitário, através da Agência Piauí Fomento.

Em São João do Arraial, o governador confere ainda a homenagem feita aos radialistas.

Da Redação

WD busca entendimento para incluir estados e municípios na reforma da Previdência

Publicada em 2 de julho de 2019 - 13:09

Imprimir
WD busca entendimento para incluir estados e municípios na reforma da Previdência

Última atualização: 3 , julho 2019 - 08:57

O governador Wellington Dias reuniu-se, nesta terça-feira (02), em Brasília, com o presidente e o coordenador parlamentar da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Glademir Aroldi e André Alencar, respectivamente. A pauta do encontro foi a inclusão de estados e municípios na reforma da Previdência. Também participaram da reunião a vice-governadora, Regina Sousa, o ex-ministro da previdência, Carlos Garbas, e o presidente da Associação Piauiense de Municípios (Appm), Jonas Moura.

Os governadores, especialmente os do nordeste, continuam tentando construir um entendimento para a inclusão dos estados e municípios na reforma. “A CNM, as associações dos municípios e o Fórum dos Governadores, o nacional e do nordeste, têm feito um trabalho integrado para chegar a um acordo que leve em conta aquilo que é importante. Um entendimento é o que vai gerar o número de parlamentares necessários para a aprovação das mudanças na Câmara e no Senado Federal”, afirmou Wellington.

Segundo o governador do Piauí, a proposta que chegou ao Congresso Nacional prejudica a população brasileira mais necessitada e não resolve o problema do déficit da previdência. “Nos posicionamos contra o texto, uma vez que trazia prejuízos aos trabalhadores rurais e aos assistidos pelo Benefício de Prestação Continuada. Também fomos contra o regime de capitalização, que é um sistema individualista onde o benefício da previdência fica vinculado à regra de mercado e o que defendemos é um sistema solidário, que os países modernos adotam”, esclareceu Wellington.

“A desconstitucionalização é outro ponto de conflito. Estamos trabalhando ainda um regramento mais humanizado, que coloque um tratamento especial para mulheres, para professores e policiais. O ponto principal é garantir que possamos sair da reforma com uma solução para a cobertura do déficit da previdência, para que um estado como o Piauí possa solucionar o déficit de aproximadamente R$1,1 bi previsto neste ano. Queremos garantir que os municípios tenham equilíbrio; que aposentados, pensionistas e ativos recebam o seu salário e décimo terceiro; que se tenha recursos para investimentos”, complementou Dias.

De acordo com Glademir Aroldi, governadores e prefeitos tentam construir uma situação em que estados e municípios possam ser incluídos na reforma da previdência, com os cuidados necessários para que a população brasileira possa ser a grande beneficiada. “Agradeço ao Wellington Dias que tem sido um parceiro não só dos municípios do Piauí, mas do Movimento Municipalista Brasileiro. Acredito que vamos conseguir avançar”, disse o presidente da CNM.

Da Redação

Audiência pública debaterá PPP das Miniusinas de Energia Solar

Publicada em - 8:28

Imprimir
Audiência pública debaterá PPP das Miniusinas de Energia Solar

Última atualização: 2 , julho 2019 - 08:28

A Superintendência de Parcerias e Concessões do Estado (Suparc) promoverá, nesta terça-feira (2), uma audiência pública para tratar sobre o projeto de parceria público-privada (PPP) para a implantação das miniusinas de energia solar fotovoltaica. O encontro está marcado para as 9h no auditório da Agência de Tecnologia da Informação (ATI), no Centro Administrativo, e é aberto a toda sociedade e empresas interessas em participar da licitação.

A proposta prevê a implantação de oito sistemas de minigeração de energia, com capacidade para 5Mw cada, para posterior injeção da produção na rede da concessionária de energia elétrica. O objetivo é incentivar a autossuficiência da Administração Pública estadual, a fim de que o Estado produza a sua própria energia e a lance na rede de distribuição para que seja compensada com o consumo pelos órgãos do governo, representando uma economia para a despesa pública.

“Vamos tornar a administração pública do estado autossustentável em relação à própria demanda de energia elétrica. O objetivo do projeto é gerar energia, jogar na rede e o equivalente monetário de energia gerada será compensado com o consumo de energia do estado. Estamos falando de mais economia, com desenvolvimento econômico e social do Piauí”, garante Viviane Moura, superintendente de parcerias e concessões.

O projeto está em fase de consulta pública até o dia 11 de julho, para que as empresas interessadas e os diversos setores da sociedade possam enviar suas sugestões. Para ter acesso aos dados do projeto é necessário acessar o site www.ppp.pi.gov.br. As sugestões podem ser enviadas para o e-mail: miniusinas@ppp.pi.gov.br.

Da Redação

Wellington defende criação de oportunidades de emprego para ex-dependentes de drogas

Publicada em 30 de junho de 2019 - 15:15

Imprimir
Wellington defende criação de oportunidades de emprego para ex-dependentes de drogas

Última atualização: 2 , julho 2019 - 08:38

O governador Wellington Dias participou, neste domingo (30), em Teresina, da X Caminhada da Fazenda da Paz. Cerca de cinco mil pessoas participaram do evento, que foi finalizado com uma audiência pública na Câmara de Vereadores da capital onde foi discutida a necessidade de políticas públicas cada vez mais eficazes na prevenção, tratamento e reinserção social dos dependentes químicos no Estado.

Wellington enfatizou que assumiu a tarefa de dar um novo passo na política sobre drogas no Piauí, principalmente no que diz respeito ao pós-acolhimento, momento em que o dependente já passou por tratamento e se encontra sem a utilização de drogas. “Precisamos criar um acolhimento para vida e dar a oportunidade de empreendedorismo e de emprego em um ambiente livre de drogas”, disse Dias.

O governador também se posicionou contra a legalização das drogas. “Precisamos criar na sociedade essa ideia de que não pode ser normal, natural, a legalização. É perigoso por que amplia o número de usuários e os problemas”, disse Wellington.

“O governo tem mantido ações na área da prevenção com atividades nas escolas, na rede de saúde para a desintoxicação; com o programa Pelotão Mirim e temos ainda o acolhimento extraordinário feito pelas comunidades terapêuticas conveniadas e outras entidades que têm o apoio do Estado. Temos que dar esse novo passo em apoiar e dar as condições para quem está desintoxicado a se manter fora do álcool, do crack e de outras drogas”, destacou Dias.

O secretário nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas do Ministério da Cidadania, Quirino Cordeiro, também participou da caminhada e disse que é preciso enfrentar as drogas porque elas são responsáveis pela maioria dos 63 mil homicídios que ocorrem a cada ano no Brasil.

O coordenador-geral da Fazenda da Paz e idealizador da caminhada, Célio Barbosa, disse que “estamos vivendo uma epidemia de drogas em todas as idades e classes sociais” e relatou alguns dados que dão conta de que “o número de usuários com mais de 50 anos aumentou consideravelmente e, entre os adolescentes, cerca de 49% já experimentaram álcool. Precisamos estar vigilantes por que é uma cadeia de problemas em diversas áreas que começam a acontecer a partir do uso de drogas, na saúde, na segurança, na sociedade e dentro da própria família. Precisamos dessa união para uma rede de combate ao uso de drogas”, disse Célio.

Também participaram da caminhada o coordenador estadual de Enfrentamento às Drogas, Sâmio Falcão; e o secretário de Estado da Segurança, Fábio Abreu.

Da Redação

Em Brasília, Dias defende vinculação de receitas à cobertura do déficit da previdência

Publicada em 27 de junho de 2019 - 7:47

Imprimir
Em Brasília, Dias defende vinculação de receitas à cobertura do déficit da previdência

Última atualização: 28 , junho 2019 - 09:12

O governador Wellington Dias e outros sete governadores do Nordeste participaram, nesta quarta-feira (26), em Brasília, de mais uma reunião do Fórum dos Governadores. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, também esteve presente no encontro. Entre as pautas discutidas está a criação e organização do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável do Nordeste e a retomada da parceria com a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), entidade ligada à Organização Mundial da Saúde (OMS), para que profissionais estrangeiros voltassem a prestar serviços ao sistema de saúde nos estados nordestinos.

Os gestores estaduais também insistem para que estados e municípios sejam incluídos na Reforma da Previdência. “Manifestamos interesse de diálogo até que seja apreciado o relatório da reforma na comissão e plenário. Neste aspecto, o ponto é que temos uma realidade na qual há necessidade de encontrar solução definitiva, pois não se resolve apenas com alíquota e tempo de contribuição. Precisamos de cobertura para o déficit da previdência”, disse Wellington Dias.

Segundo o governador do Piauí, os gestores concordaram que as receitas que estão sob apreciação da Câmara e do Senado, tais como cessão onerosa de gás e petróleo, fundo social e dívida ativa, sejam vinculadas à cobertura do déficit. “Brasil não é só previdência, precisa seguir crescendo, gerando emprego e renda, fazendo a economia crescer, investindo em diferentes áreas. Essa proposta de cobertura do déficit proporcionaria condições aos estados, municípios e a própria União voltarem a ter capacidade de investimento. Temos uma preocupação com a sustentabilidade na democracia e no crescimento econômico e vamos aguardar os resultados”, esclareceu.

Rodrigo Maia acredita que possa haver um acordo a favor da proposta. Em ocasiões anteriores, o presidente da Câmara já havia informado que é possível reincluir estados e municípios na reforma ainda na comissão especial. “A ideia é garantir uma votação forte da previdência somada à certeza de que atenderemos a federação como um todo e não apenas a reforma federal, pois sem a reforma em estados e municípios, em um curto prazo estaremos com novos e antigos problemas, já que a situação deles vai piorar. É importante que governadores e senadores cedam um pouco para que possamos avançar”, pontuou.

Da Redação

Wellington solicita que emendas de bancada priorizem recursos para estradas

Publicada em 26 de junho de 2019 - 11:30

Imprimir
Wellington solicita que emendas de bancada priorizem recursos para estradas

Última atualização: 27 , junho 2019 - 07:48

O governador Wellington Dias se reuniu com a bancada federal do Piauí, na noite dessa terça-feira (25), em Brasília. Na pauta, os parlamentares trataram sobre diversas pautas como o Pacto Federativo, sessão onerosa, securitização de dívidas, recursos de gás e petróleo, bônus de assinatura, nova tributação, lucros e dividendos, previdência social, dentre outros.

Na oportunidade, o chefe do Executivo piauiense solicitou que as emendas de bancadas priorizem recursos para a recuperação da malha rodoviária do estado do Piauí. Dias espera cerca de R$ 250 milhões para investir na área de estradas.

Wellington disse que foi muito bem recebido pelos parlamentares e que, neste momento em que a bancada se debruça sobre o Orçamento, dialogaram sobre a prioridade nesta área combinada com os recursos do contrato de empréstimos que o Estado receberá nos próximos dias.

“A cada um real que o parlamentar colocar em emendas garantimos o mesmo valor a partir do contrato de empréstimos, para multiplicar, para que possam participar dos investimentos nos municípios que eles acompanham, em diversas áreas. Temos uma rede de 6 mil quilômetros de malha rodoviária e precisaremos de aproximadamente R$ 400 milhões para completar, recuperar e recapear trechos em decorrências do problema com o fim da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide-combustíveis)”, explicou o governador.

Wellington enfatizou que a bancada federal do Piauí é uma das mais atuantes e participativas nas comissões e nas discussões sobre os principais temas do Brasil. Os valores das emendas parlamentares só serão conhecidos com a decisão sobre as propostas de Orçamento no Congresso.

 

Da Redação

TRF autoriza Caixa a repassar segunda parcela do Finisa I ao Piauí

Publicada em 25 de junho de 2019 - 13:19

Imprimir
TRF autoriza Caixa a repassar segunda parcela do Finisa I ao Piauí

Última atualização: 25 , junho 2019 - 13:19

O Piauí deve receber em breve os R$ 293 milhões referentes à segunda parcela do empréstimo Finisa I. Os recursos, importantes para movimentar a economia do estado e gerar emprego, estavam bloqueados por decisão da 5ª Vara da Justiça Federal do Piauí. Nesta segunda-feira (24), uma decisão do desembargador federal Kássio Nunes Marques, do Tribunal Regional Federal da 1° Região (TRT), derrubou a liminar de 1ª instância autorizando à Caixa repassar a verba.

O desembargador disse em sua decisão que a liminar da Justiça Federal perdeu objeto, a partir do momento que o Piauí cumpriu o requisito para receber a segunda parcela do empréstimo, que foi a prestação de contas da primeira parcela.

“Para evitar grave lesão à economia pública deste ente federativo, defiro o pedido de suspensão da decisão de primeiro grau, a fim de que seja franqueada à Caixa Econômica Federal e ao Estado do Piauí o prosseguimento da avença, ficando autorizada a liberação da segunda parcela dos recursos do Finisa I”, afirma o desembargador.

O magistrado atendeu ao pedido da Procuradoria-Geral do Estado (PGE), que alegou risco à ordem pública e à ordem econômica a demora na liberação dos recursos. Segundo a Controladoria-Geral do Estado do Piauí (CGE), o bloqueio do empréstimo já causou um prejuízo financeiro aos cofres públicos na ordem de R$ 28.118.701, afetando direta e negativamente a vida de 2.921.253 piauienses, distribuídos em 158 municípios, e deixando de gerar cerca de 7.500 empregos diretos.

A decisão diz ainda que ficou suficientemente demonstrada a possibilidade de liberação da segunda parcela do contrato de empréstimo, uma vez que a Caixa Econômica Federal, no dia 12 de abril de 2019, relatou que não remanescia mais pendência para a continuidade da execução do contrato de financiamento.  Além disso, um acórdão do Tribunal de Contas da União (TCU) também sinalizou de forma positiva para a liberação dos recursos, sem falar na manifestação do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que declarou inexistir até o presente momento nenhuma decisão determinando a suspensão de obras ou suspensão da liberação da segunda parcela dos recursos objeto do aludido contrato.

“A liberação desses recursos é uma uma vitória importante para o Piauí. O Estado aplicou corretamente, fez a prestação de contas e eu fico feliz em ter uma decisão que nos permite as condições de retomada e conclusão de várias obras que estavam paradas em 158 municípios do Piauí, como calçamento, asfaltamento urbano e estradas. Infelizmente esse valor ficou quase dois anos parado na conta em razão de burocracias jurídicas e nos causou um prejuízo de aproximadamente R$ 30 milhões. Mas já estamos vendo formas de ressarcimento com fontes próprias. O mais importante é que agora vamos focar em geração de emprego e renda com obras que são necessárias para o desenvolvimento do nosso estado”, disse o governador Wellington Dias.
Da Redação