Negligência

Criança de 5 meses é morta por asfixia e pais são liberados em audiência

O inquérito policial do caso será concluído em até 30 dias. 

Publicada em 19 de julho de 2018 - 15:19

Imprimir
Criança de 5 meses é morta por asfixia e pais são liberados em audiência

Última atualização: 20 , julho 2018 - 10:09

Após a morte do pequeno Ryan Caleb, de apenas 5 meses, os pais do bebê, identificados como Alice de Sousa e Ivanilson Diniz, foram liberados da audiência de custódia, ocorrida na tarde desta quinta-feira, (19/07), e deverão responder em liberdade pelo crime de abandono de incapaz. O inquérito policial do caso será concluído em até 30 dias.

Ryan Caleb teria sido abandonado nesta quarta-feira, (18/07), por seus pais, junto com seu irmão de apenas 2 anos, em sua própria casa, localizada do Conjunto Torquato Neto, zona Sul de Teresina. O casal é dependente químico e o bebê acabou morrendo asfixiado pelo próprio gofo.

Segundo a delegada Vanda Abreu, titular da Delegacia de Inquéritos, os pais foram soltos, no entanto, estão sob medidas cautelares. “Eles estão proibidos de sair à noite ou frequentar estabelecimentos como bares e restaurantes”, pontua.

Deusa Fernandes, gerente de Direitos Humanos da Semcaspi, explica que apesar de ter havido mais de 20 denúncias e de terem tomado a guarda das crianças de seus pais, o Conselho não pode intervir mais no caso.

“Ao ser acionado, o Conselho não se omitiu em nenhum momento. Esteve no local, no entanto, tem limitações em sua competência. O Conselho não pode entrar na residência com mandado de busca e apreensão sem o apoio da polícia, que utiliza a força institucional”, explica.

INSALUBRE

A Polícia Civil de Teresina também verificou que a residência onde morava o Ryan Caleb e seus três irmãos, um de 10 anos, um de 8 anos e de 2 anos, está completamente insalubre. Foi encontrado um colchão completamente rasgado e sujo, muito lixo e baratas.

 

VELÓRIO DO BEBÊ

O velório do bebê aconteceu na manhã de hoje, na casa da avó. Apenas a avó e alguns vizinhos participaram do velório.

 

Luto

Morre aos 92 anos, professor Santana, membro da Academia Piauiense de Letras

O professor Santana, que era economista, pesquisador e grande intelectual, ocupava a cadeira 32 da APL.

Publicada em 15 de junho de 2018 - 14:36

Imprimir
Morre aos 92 anos, professor Santana, membro da Academia Piauiense de Letras

Fonte: Márcia Gabriele

Última atualização: 15 , junho 2018 - 14:36

O professor Raimundo Nonato Monteiro de Santana, membro da Academia Piauiense de Letras (APL), morreu na manhã desta sexta-feira, (15/06). O professor Santana, que era economista, pesquisador e grande intelectual, ocupava a cadeira 32 da APL.

O velório do professor Santana acontece a partir das 11hs desta sexta, na Capela Jardim da Ressurreição e o sepultamento ocorrerá às 17hs.

A Academia Piauiense de Letras divulgou uma nota de pesar lamentando o falecimento do professor Santana e se solidariza com os familiares e amigos.

Natural de Campo Maior, professor Santana será homenageado com a “Biblioteca Piauiense Professor Raimundo Nonato Monteiro de Santana” projeto a ser executado por meio de convênio, assinado em fevereiro deste ano, entre a Universidade Federal do Piauí (UFPI), a Academia Piauiense de Letras (APL) e Fundação Centro de Pesquisas Econômicas e Sociais do Piauí (Fundação Cepro).

Luto

Morre aos 73 anos o jornalista Herculano Moraes

O corpo de Herculano Moraes será velado na funerária Pax União, localizada na Avenida Miguel Rosa.

Publicada em 17 de maio de 2018 - 19:16

Imprimir
Morre aos 73 anos o jornalista Herculano Moraes

Fonte: Márcia Gabriele

Última atualização: 17 , maio 2018 - 20:03

O jornalista Herculano Moraes, 73 anos, secretário-geral da Academia Piauiense de Letras do Piauí (APL), morreu na tarde desta quinta-feira, (17/05), vítima de câncer no pulmão.

O corpo de Herculano Moraes será velado na funerária Pax União, localizada na Avenida Miguel Rosa.

Herculano Moraes foi editor do jornal O DIA e de outros veículos de comunicação. Exerceu o cargo de vereador de Teresina e de secretário de Comunicação do Estado. Pesquisador e escritor, integrante da Academia de Letras do Vale do Longá (Alval) e atual secretário-geral da Academia Piauiense de Letras (APL), deixa várias obras e foi fundador de diversas Academias de Letras no Piauí, a última delas a Academia Piauiense de Jornalismo.

O sepultamento do jornalista ainda não foi divulgada a data e o local.

OBRAS PUBLICADAS:

“Murmúrios ao Vento” (1965); “Vozes Sem Eco” (1967); “Meus Poemas Teus” (1969); “Território Bendito” (1973); “Cantigas do Amor Fundamental” ( 1974); “Seca, Enchente, Solidão” (1977); “Pregão” (1978); “Amor” (1987 e 1989); “Chão de Poetas” (1974); “A Nova Literatura Piauiense” (1976); “Visão Histórica da Literatura Piauiense”, 3 edições (1976, 1982 e 1991); “Fronteiras da Liberdade” (1981), romance; “Legendas” e outros. Foi incluído no livro “A Poesia Piauiense no Século XX” (1995), organizada por Assis Brasil e na coletânea “Piauí: Terra, História e Literatura” (1980), organizada por Francisco Miguel de Moura.

Brutalmente assassinada

Velório de cabeleireira brutalmente assassinada é marcado por revolta

O pai de Aretha apenas revelou seu sentimento de tristeza diante da perca da filha.

Publicada em 16 de maio de 2018 - 11:17

Imprimir
Velório de cabeleireira brutalmente assassinada é marcado por revolta

Fonte: Daniely Viana

Última atualização: 16 , maio 2018 - 11:24

Emoção e revolta marcaram o velório da cabeleireira Aretha Dantas Claro, 32 anos, encontrada morta nesta terça-feira (15/05), na Avenida Maranhão, em Teresina, com várias perfurações no corpo. O momento de despedida aconteceu na manhã de hoje (16/05) casa de familiares no bairro Bela Vista II, zona Sul da cidade.

Ainda bastante abalados com o crime, alguns familiares preferiram não conceder entrevista à imprensa. O pai de Aretha apenas revelou seu sentimento de tristeza diante da perca da filha.

O sepultamento deve ocorrer ainda na manhã desta quarta-feira (16) no cemitério Santa Cruz, no bairro Promorar, na zona Sul de Teresina.

O CRIME

O crime revoltou a população teresinense pelo requinte de crueldade. A cabeleireira foi brutalmente assassinada com cerca de 20 perfurações por arma branca e ainda atropelada. Parte do couro cabeludo foi arrancado.

A Delegacia de Homicídios ainda não prendeu nenhum suspeito, mas confirma que as investigações estão avançadas. “Eu não tenho a menor dúvida que nos próximos dias esse crime esteja devidamente esclarecido”, afirma o delegado Francisco Barreta.

Já segundo a família da vítima, o ex-namorado seria o principal suspeito.

A coordenadoria do Núcleo de Feminicídio da Polícia Civil do Piauí, coordenada pela delegada Luana Alves, continua com as investigações.

Aretha Dantas Claro tinha 32 anos quando foi brutalmente assassinada