Rede notifica quase 600 tentativas de suicídio e automutilações em Teresina

Publicada em 17 de maio de 2019 - 10:31

Imprimir
Rede notifica quase 600 tentativas de suicídio e automutilações em Teresina

Última atualização: 18 , maio 2019 - 14:23

Os serviços de saúde de Teresina notificaram, somente em 2018, o total de 583 casos de violências autoprovocadas, correspondendo a 97,43% tentativas de suicídio e 2,57% automutilações. O dado foi divulgado nesta semana pela Fundação Municipal de Saúde (FMS), que dispõe de rede extensa de assistência à saúde mental.

Entre os casos registrados, 79% dos pacientes eram do sexo feminino e 21% masculino. O levantamento da FMS abrangeu o estudo da faixa etária mais vulnerável às automutilações e tentativas de suicídio na capital piauiense: 39,62% tinha idade compreendida entre 20 e 34 anos; seguido por 24,70% entre 15 e 19 anos e 24,19% com 35 a 49 anos de idade. Já a notificação dessas violências envolvendo pessoas com 10 a 14 anos correspondeu a 6,17%; 3,95%; com 50 a 64 anos e apenas 0,69% com idade inferior a 10 anos e superior a 65 anos.

Quem faz parte desses números é a estudante Diuliene Santos, de 33 anos, que procurou ajuda no CAPs. Diagnosticada com o transtorno de personalidade, ela apresentava como sintoma a automutilação. “Fui sozinha ao Centro. Tem pessoas que acham que a automutilação é modinha, mas é doença séria, que tem que ser tratada como tal. Foi difícil, mas venci com a ajuda de profissionais que me auxiliaram em todos os minutos”, relembra.

De acordo com o presidente da FMS, Charles Silveira, Teresina vem cumprindo a Lei Federal 13.819/2019 que instituiu no Brasil a Política Nacional de Prevenção da Automutilação e do Suicídio. “A nova legislação chama atenção para o problema e estimula a notificação dos casos pelos serviços de saúde. “Também contribui para garantia da assistência adequada, instiga a rede de saúde a organizar mecanismos de prevenção e une vários órgãos, como saúde, educação, imprensa e política para sensibilizar a população sobre o tema”, observa.

O médico psiquiatra da FMS, Francisco de Brito, explica que, em caso de automutilação, tentativa de suicídio ou qualquer outro transtorno psíquico, a conduta dos responsáveis deve ser acolhedora e não julgadora. “Não se deve punir, brigar ou colocar a criança ou adolescente que apresenta esses sintomas de castigo. É preciso compreender, conversar, procurar atendimento na rede de saúde mental. É fundamental uma consulta psiquiátrica para avaliar diagnóstico e iniciar tratamentos”, alerta.

Conheça a rede de saúde mental de Teresina

A rede de saúde mental mantida pela Prefeitura de Teresina é extensa. São 90 Unidades Básicas de Saúde, que podem tratar transtornos mentais leves e, se constatada a necessidade, fazem o encaminhamento do paciente para psicólogo ou psiquiatra. A cidade conta ainda com sete CAPSs, que acolhem pessoas com transtornos mentais severos e persistentes, além do Provida, ambulatório voltado especificamente para aqueles que tentaram suicídio.

Nos casos de urgências psiquiátricas, a exemplo de tentativa de suicídio, a população pode acionar a ambulância do SAMU ou ir por meios próprios para o hospital Areolino de Abreu, unidade que tem psiquiatras 24 horas e é referência para atender casos de urgência psiquiátrica, sem comprometimentos clínicos. Se houver comprometimentos clínicos, a exemplo de um corte profundo, é preciso ir primeiramente para os hospitais de bairro da cidade.

Da Redação

MP/PI

Em audiência, promotores cobram melhorias nos serviços prestados pelo Hospital Infantil

Em audiência, promotores cobram melhorias nos serviços prestados pelo Hospital Infantil

Publicada em 21 de fevereiro de 2019 - 15:08

Imprimir
Em audiência, promotores cobram melhorias nos serviços prestados pelo Hospital Infantil

Última atualização: 11 , maio 2019 - 17:07

Terminou no início da tarde de ontem, 19 de fevereiro, audiência pública promovida pela 12ª Promotoria de Justiça de Teresina, convocada para discutir a situação do Hospital Infantil Lucídio Portela. Os debates foram presididos pelo promotor de Justiça Eny Marcos Vieira Pontes, que responde pela 12ª PJ. A reunião de trabalho aconteceu na sede do Ministério Público do Piauí, na zona leste da capital piauiense.

 

As promotoras de Justiça Karla Daniela Carvalho, coordenadora do Centro de Apoio Operacional de Defesa da Saúde (CAODS), e Ana Isabel Dias, titular da 35ª PJ, integrante do Núcleo de Promotorias de Justiça de Fazenda Pública, cooperaram com os debates.

 

Participam da audiência representantes da Secretaria Estadual de Saúde (Sesapi), de Fazenda (Sefaz) e de Administração (Sead), Controladoria-Geral do Estado (CGE), Fundação Municipal de Saúde (FMS), Conselhos Regionais de Medicina (CRM), de Enfermagem (Coren) e de Psicologia (CRP – 21ª Região), Comissão de Saúde da OAB-PI, servidores e gestores do hospital infantil.

Resultados da audiência

A 12ª Promotoria de Justiça acompanhará um estudo técnico, que será feito pela Sesapi, cuja finalidade é apontar o número de profissionais necessários para o hospital infantil, informação a ser utilizada posteriormente na realização de concurso público. Uma cópia da ata da audiência será encaminhada para os secretários da Fazenda e Saúde, além do governador do estado, por meio da Procuradoria-Geral de Justiça (PGJ). O Ministério Público do Trabalho (MPT) deve receber uma cópia da ata da reunião com intuito de que a instituição analise as condições dos trabalhadores terceirizados do HILP.

O Ministério Público Estadual solicitará à Diretoria de Unidade de Vigilância Sanitária (Divisa) um laudo de salubridade sobre a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital infantil. O órgão ministerial requisitará ao Corpo de Bombeiros, à Divisa e à Gerência de Vigilância Sanitária Municipal (Gevisa) uma inspeção no Lucídio Portela.

A Sesapi deve responder ao MPPI se é possível alocação de mais 10 servidores terceirizados da área de limpeza para o hospital infantil.

Inspeções, recomendações e acompanhamento

Em dezembro do ano passado, o promotor de Justiça realizou inspeção na unidade de saúde. Durante a visita, o membro do Ministério Público, acompanhando de representantes dos Conselhos Regionais de Farmácia (CRF) e de Enfermagem (Coren), constatou várias deficiências, como: a falta de medicamentos e insumos; estrutura física precária, por exemplo, no almoxarifado e no teto de alguns corredores, onde foi verificada a presença de mofo; equipamentos pelos corredores; gesso quebrado em alguns setores, salas da enfermaria sem ar condicionado e com fiação exposta.

Por conta da situação deficitária, o promotor de Justiça Eny Pontes expediu uma recomendação dirigida ao diretor do hospital infantil, Vinícius Pontes, à presidente da Fundação Estadual de Serviços Hospitalares, Natália Pinheiro, e ao secretário estadual de Saúde, Florentino Neto. No documento, o membro do MPPI estabeleceu três prazos para a gradual execução de medidas visando melhorar as condições da unidade de saúde. Um exemplo, foi a solicitação para a retirada de equipamentos nos corredores, que não seriam mais utilizados pelas equipes médicas, em até 10 dias.

MENOS VERBA

Vereador Dr. Lázaro critica medidas de corte de gastos na saúde de Teresina

Vereador Dr. Lázaro critica medidas de corte de gastos na saúde de Teresina

Publicada em 13 de fevereiro de 2019 - 15:58

Imprimir
Vereador Dr. Lázaro critica medidas de corte de gastos na saúde de Teresina

Última atualização: 13 , fevereiro 2019 - 15:58

Em sessão ordinária realizada na Câmara Municipal de Teresina, o vereador Dr. Lázaro Carvalho (PPS) fez duras críticas ao posicionamento referente à redução de gastos na saúde pública do município, medida adotada por Firmino Filho, prefeito de Teresina no começo do seu mandato, segundo os vereadores.

Em contraponto ao posicionamento de alguns parlamentares da Casa, que destacaram a atitude como positiva pelo intuito de “fechar as contas públicas”, Dr. Lázaro não achou a medida coerente.

“Elogiar uma atitude de cortar gastos, de tentar sanear o estado quando esta é a única alternativa a ser feita numa situação de caos e de emergência, não é nenhum mérito para um gestor. Você precisa se antecipar ao caos. Vou citar um exemplo prático: existe uma ordem de corte de gastos no Hospital Getúlio Vargas, um hospital que já sofre há muito tempo com redução de investimentos financeiros. A consequência trágica disso é o fim dos programas de transplante no nosso estado. Isso é gravíssimo”, avaliou Dr. Lázaro.

O parlamentar expressou seu descontentamento após o posicionamento de alguns vereadores da Casa, que demonstraram satisfação com a medida de cortes, apresentando-a como positiva dentro das circunstâncias em que foram colocadas.

Dr. Lázaro destacou a área da saúde como primordial para investimento, juntamente com educação. “Não podemos bater palma para isso. É cortar aquilo que é impossível ser cortado”, finalizou o vereador.

HOSPITAIS

Deputados pedem intervenção na saúde e secretário é chamado para explicações na Alepi

Deputados pedem intervenção na saúde e secretário é chamado para explicações na Alepi

Publicada em 6 de fevereiro de 2019 - 16:10

Imprimir
Deputados pedem intervenção na saúde e secretário é chamado para explicações na Alepi

Última atualização: 6 , fevereiro 2019 - 16:10

O pequeno expediente da sessão desta quarta-feira (06) da Assembleia Legislativa foi marcado pelo número de requerimentos pedindo intervenção do governo no setor de saúde, especialmente no interior do Estado, onde os hospitais estão sendo fechados por falta de pagamento de médicos e servidores terceirizados.

O primeiro requerimento cobrando a ação do governo foi apresentado pelos deputados Gustavo Neiva (PSB) e Teresa Britto (PV), que denunciaram a situação crítica em que se encontram os hospitais Tibério Nunes, de Floriano e o hospital regional de Corrente.

O deputado João Mádison (MDB) também solicitou a intervenção do hospital de Corrente, que está fechado porque médicos e servidores terceirizados estão com cinco meses de salários atrasados.

Os requerimentos foram aprovados com o apoio dos deputados Pastor Gessivaldo (PRB), Georgiano Neto (PSD), Dr. Helio (PR), que chegaram a subir na tribuna para defendê-los. Os requerimentos foram aprovados por unanimidade e o secretário de saúde vai ser convocado para explicar aonde foi parar o dinheiro destinado ao pagamento dos servidores do saúde do interior do Piauí.

OMS lista as 10 principais ameaças para a saúde em 2019

Publicada em 22 de janeiro de 2019 - 21:05

Imprimir
OMS lista as 10 principais ameaças para a saúde em 2019

Última atualização: 22 , janeiro 2019 - 21:05

Surtos de doenças preveníveis por vacinação, altas taxas de obesidade infantil e sedentarismo, além de impactos à saúde causados pela poluição, pelas mudanças climáticas e pelas crises humanitárias. Estes são alguns dos itens que integram a lista das 10 principais ameaças à saúde global em 2019, divulgada nesta semana pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

A entidade pretende colocar em prática um novo plano estratégico, com duração de cinco anos, com o objetivo de garantir que 1 bilhão de pessoas a mais se beneficiem do acesso à saúde e da cobertura universal de saúde; estejam protegidas de emergências de saúde; 1 bilhão desfrutem de melhor saúde e bem-estar.

De acordo com a OMS, são as seguintes as questões que vão demandar mais atenção da organização e de seus parceiros neste ano:

Poluição do ar e mudanças climáticas

A estimativa da Organização Mundial da Saúde é que nove em cada 10 pessoas respiram ar poluído todos os dias. Poluentes microscópicos podem penetrar nos sistemas respiratório e circulatório, danificando pulmões, coração e cérebro, o que resulta na morte prematura de 7 milhões de pessoas todos os anos por enfermidades como câncer, acidente vascular cerebral e doenças cardiovasculares e pulmonares.

Doenças crônicas não transmissíveis

Dados da entidade mostram que doenças crônicas não transmissíveis, como diabetes, câncer e doenças cardiovasculares, são responsáveis por mais de 70% de todas as mortes no mundo – o equivalente a 41 milhões de pessoas. Isso inclui 15 milhões de pessoas que morrem prematuramente (entre 30 e 69 anos), sendo que mais de 85% dessas mortes prematuras ocorrem em países de baixa e média renda.

Pandemia de influenza

O mundo enfrentará outra pandemia de influenza – a única coisa que ainda não se sabe é quando chegará e o quão grave será. O alerta é da própria OMS, que diz monitorar constantemente a circulação dos vírus para detectar possíveis cepas pandêmicas.

Cenários de fragilidade e vulnerabilidade

A entidade destacou que mais de 1,6 bilhão de pessoas – 22% da população mundial – vivem em locais com crises prolongadas (uma combinação de fatores como seca, fome, conflitos e deslocamento populacional) e serviços de saúde mais frágeis. Nesses cenários, metade das principais metas de desenvolvimento sustentável, incluindo saúde infantil e materna, permanece não atendida.

Resistência antimicrobiana

A resistência antimicrobiana – capacidade de bactérias, parasitos, vírus e fungos resistirem a medicamentos como antibióticos e antivirais – ameaça, segundo a OMS, mandar a humanidade de volta a uma época em que não conseguia tratar facilmente infecções como pneumonia, tuberculose, gonorreia e salmonelose. “A incapacidade de prevenir infecções pode comprometer seriamente cirurgias e procedimentos como a quimioterapia”, alertou.

Ebola

No ano passado, a República Democrática do Congo passou por dois surtos de ebola, que se espalharam para cidades com mais de 1 milhão de pessoas. Uma das províncias afetadas também está em zona de conflito ativo. Em dezembro, representantes dos setores de saúde pública, saúde animal, transporte e turismo pediram à OMS e seus parceiros que considerem 2019 um “ano de ação sobre a preparação para emergências de saúde”.

Atenção primária

Sistemas de saúde com atenção primária forte são classificados pela entidade como necessários para se alcançar a cobertura universal de saúde. No entanto, muitos países não têm instalações de atenção primária de saúde adequadas. Em outubro de 2018, todos os países-membro se comprometeram a renovar seu compromisso com a atenção primária de saúde, oficializado na declaração de Alma-Ata em 1978.

Vacinação

Segundo a OMS, a relutância ou a recusa para vacinar, apesar da disponibilidade da dose, ameaça reverter o progresso feito no combate a doenças evitáveis por imunização. O sarampo, por exemplo, teve aumento de 30% nos casos em todo o mundo. “[A vacina] é uma das formas mais custo-efetivas para evitar doenças – atualmente, previnem-se cerca de 2 milhões a 3 milhões de mortes por ano”, diz a OMS. Além disso, 1,5 milhão de mortes poderiam ser evitadas se a cobertura global de vacinação tivesse maior alcance.

Dengue

Um grande número de casos de dengue é comumente registrado durante estações chuvosas de países como Bangladesh e Índia. Dados da OMS mostram que, atualmente, os casos vêm aumentando significativamente e que a doença já se espalha para países menos tropicais e mais temperados, como o Nepal. A estimativa é que 40% de todo o mundo esteja em risco de contrair o vírus – cerca de 390 milhões de infecções por ano.

HIV

De acordo com a entidade, apesar dos progressos, a epidemia de Aids continua a se alastrar pelo mundo, com quase 1 milhão de pessoas morrendo por HIV/aids a cada ano. Desde o início, mais de 70 milhões de pessoas adquiriram a infecção e cerca de 35 milhões morreram. Atualmente, cerca de 37 milhões vivem com HIV no mundo. Um grupo cada vez mais afetado são as adolescentes e as mulheres jovens (entre 15 e 24 anos), que representam uma em cada quatro infecções por HIV na África Subsaariana.

08 e 18 de outubro

Samu vai realizar exames para servidores na capital

Ação foi solicitada pela Fundação Municipal de Saúde (FMS)

Publicada em 8 de outubro de 2018 - 13:50

Imprimir
Samu vai realizar exames para servidores na capital

Última atualização: 8 , outubro 2018 - 13:50

Com a finalidade de promover a saúde do trabalhador, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) de Teresina irá ofertar exames laboratoriais para todos os seus servidores. A iniciativa acontece entre os dias 08 e 18 de outubro.

De acordo com a coordenadora do Núcleo de Segurança do Paciente do SAMU, Socorro Oliveira, serão ofertados serviços de hemograma, glicemia, colesterol total em frações, HBsAg, AntiHBs, Anti HCV, VDRL e, ainda, audiometria, este último apenas para os servidores que atuam como telefonistas.

A ação tem apoio do Núcleo de Segurança do Paciente do órgão e foi solicitada pela Fundação Municipal de Saúde (FMS), que construirá o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional.

Com informações PMT

Saiba como tratar

Automutilação: o que há por trás desse comportamento?

A terapia cognitivo-comportamental é altamente eficaz nestes casos, reduzindo tanto as automutilações quanto as cognições suicidas e os sintomas de depressão e ansiedade.

Publicada em 3 de outubro de 2018 - 14:37

Imprimir
Automutilação: o que há por trás desse comportamento?

Última atualização: 3 , outubro 2018 - 14:37

Cristine é uma menina que sempre anda de manga comprida, ou com várias pulseiras escondendo o punho. Ela sabe que se seus braços ficassem descobertos, ficaria em evidência todo um mapa de feridas horizontais, marcas antigas e algumas novas. A lâmina de aço de um apontador, tesouras ou mesmo as próprias unhas são usadas por Cristine como ferramentas para ferirem o próprio corpo.

Por mais que esse comportamento seja conhecido, ele ainda não é realmente compreendido por muitas pessoas, que afirmam ser uma atitude para chamar atenção. No entanto, um dos primeiros indicadores que temos de que não se trata de chamar atenção é que normalmente a área escolhida para ser afetada é fácil de esconder com roupas ou acessórios. Se a intenção fosse chamar atenção, por que não fazer em um local mais aparente, ou deixar que seja vista a ferida?

Por que, então, alguém se machuca intencionalmente? De acordo com a American Psychiatric Association ,a automutilação é uma estratégia na qual a dor serve para aliviar as emoções negativas e a sensação de solidão, para distrair a atenção de outros problemas, para diminuir os sentimentos de raiva, liberar a tensão ou controlar o pensamento acelerado.

A automutilação pode se apresentar de diversas formas. A mais comum envolve fazer cortes nos braços, pernas ou barriga. Mas existem outras formas, como queimar-se, furar-se com objetos pontiagudos, beliscar-se, esmurrar-se, morder a si mesmo, e cutucar feridas.

Alguns adolescentes têm comportamentos de autoagressão porque apresentam algum trauma, estão sofrendo muita pressão ou passaram por alguma grande rejeição na vida. Essas pessoas costumam ter dificuldade de se expressar verbalmente, além de possuírem baixa autoestima. A automutilação nesses casos vem como um alívio emocional momentâneo. Outro perfil de automutilador é a pessoa que sente prazer através da dor. Neste caso, a automutilação passa a ter como objetivo a obtenção de prazer.

“Quando me corto consigo relaxar e diminui a minha ansiedade e tristeza”. Essa frase é repetida por Cristine e por outros adolescentes que utilizam a automutilação como válvula de escape de suas dores emocionais. A automutilação é mais comum do que pensamos, especialmente porque quem se machuca costuma esconder seus ferimentos por vergonha ou medo.

A automutilação não deve ser subestimada. A autoagressão pode ter muitas causas, por isso uma avaliação consistente é necessária para garantir que a pessoa que se fere encontre tratamento adequado para seu sofrimento. A terapia cognitivo-comportamental é altamente eficaz nestes casos, reduzindo tanto as automutilações quanto as cognições suicidas e os sintomas de depressão e ansiedade.

Tais feridas não são apenas cortes epidérmicos. Muitos dos jovens que apresentam comportamentos de autoagressão tem problemas emocionais, de relacionamento, escolares, e em alguns casos ideação suicida e depressão. Os pais que descobrem este problema não devem hesitar em procurar auxílio junto de um psicólogo para que ajude o filho a compreender as razões do seu comportamento e a reconciliar-se com o corpo, limitando os danos possíveis.

FONTE: Sileli Santiago

atenção

Mais de 12 mil famílias teresinenses podem ter bolsa família bloqueado

Os responsáveis devem se dirigir até uma Unidade Básicas de Saúde (UBS), ou procurar um agente comunitário de saúde

Publicada em 12 de setembro de 2018 - 11:50

Imprimir
Mais de 12 mil famílias teresinenses podem ter bolsa família bloqueado

Última atualização: 12 , setembro 2018 - 11:53

As famílias que estão descumprindo o acompanhamento na área da saúde regulamentado pelo programa Bolsa Família, podem ter o benefício bloqueado ou suspenso.Na capital, de acordo com os dados da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), mais de 12 mil famílias podem ser atingidas.

 

Os responsáveis devem se dirigir até uma Unidade Básicas de Saúde (UBS), ou procurar um agente comunitário de saúde portando o cartão do Bolsa Família, a Caderneta de Vacinação das crianças e, caso haja, das gestantes. Devem comparecer as crianças menores de 7 anos, mulheres de 14 a 44 anos.

 

Para garantir o recebimento do beneficio social, todas as famílias assumem o compromisso de realizar acompanhamentos de saúde, como avaliação do calendário de vacinação, serviços de pré-natal e saúde do bebê.

 

Além da saúde, também devem ser atendidas condicionalidades de assistência social e educação. Na primeira, observa-se a frequência nos Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV). E, na educação, acompanha-se o desempenho nas atividades escolares e a frequência escolar por parte das crianças e dos adolescentes.

Com informações FMS

estado de atenção

Demi Lovato sofre complicações da overdose, diz TMZ

Ela está internada desde a última semana no hospital Cedars-Sinai Medical Center, em Los Angeles

Publicada em 31 de julho de 2018 - 12:13

Imprimir
Demi Lovato sofre complicações da overdose, diz TMZ

Última atualização: 31 , julho 2018 - 12:13

O site norte-americano TMZ, especializado no mundo dos famosos, revelou novas informações sobre o estado de saúde de Demi Lovato. Ela está internada desde a última semana no hospital Cedars-Sinai Medical Center, em Los Angeles, após sofrer uma suposta overdose.

Segundo o site, que foi o primeiro a noticiar a internação da cantora, fontes informaram que Demi estaria com náuseas e febre alta devido a complicações da overdose.

A fonte ainda disse que não há previsão de alta. Devido aos problemas de saúde da artista, alguns shows agendados precisaram ser cancelados.

negociação pode acontecer

Servidores da saúde de Teresina decretam Estado de Greve

A mudança ocorreu devido ao agendamento de uma negociação com a Fundação Municipal de Saúde (FMS) para a próxima semana.

Publicada em 7 de julho de 2018 - 11:54

Imprimir
Servidores da saúde de Teresina decretam Estado de Greve

Última atualização: 7 , julho 2018 - 11:54

A greve dos servidores da saúde, que era para começar na ultima quinta-feira (05), foi suspensa e a categoria decidiu  Estado de Greve,após Assembleia Setorial Unificada. A mudança ocorreu devido ao agendamento de uma negociação com a Fundação Municipal de Saúde (FMS) para a próxima semana.

Em nota, o Sindicato dos (as) Servidores (as) Públicos (as) Municipais de Teresina (Sindserm) informa que o Estado de Greve permite que, conforme o andamento das negociações, o movimento paredista pode retornar a qualquer momento.

O movimento abrange assistentes sociais, farmacêuticos, psicólogas, profissionais de radiologia, administrativos, agentes de portaria, técnicos de patologia, médicos e trabalhadores do SAMU.

Os servidores estiveram na manhã da última quinta-feira (05) na frente à FMS para realizar um ato e cobrar respostas da gestão sobre as demandas do setor.