Águas de Teresina anuncia duas novas adutoras e investimento de R$ 21,6 mi

Publicada em 19 de julho de 2019 - 9:31

Imprimir
Águas de Teresina anuncia duas novas adutoras e investimento de R$ 21,6 mi

Última atualização: 20 , julho 2019 - 14:34

Com a meta de universalizar o abastecimento de água tratada em 2020, a Águas de Teresina dará início, ainda em julho, à implantação de duas novas adutoras que ampliarão a capacidade de distribuição de água, sobretudo para as zonas Norte e Leste. Além disso, a Estação de Tratamento de Água – ETA Norte terá a capacidade ampliada, otimizando o fornecimento na zona Norte. Com a melhor distribuição, toda a cidade será positivamente impactada. O valor investido chega a mais de R$ 21,6 milhões cerca de 170 mil teresinenses serão diretamente beneficiados.

O pontapé será dado com a obra da Adutora Meio Norte, que sairá do Parque Brasil, na zona Norte até a região da Grande Pedra Mole, no extremo Leste da cidade. A nova tubulação implantada terá 400 milímetros de diâmetro; 10 km de extensão com capacidade de vazão de 100 litros por segundo. As obras iniciaram na quarta-feira (17) e têm duração prevista para seis meses, beneficiando mais de 100 mil moradores da região.

Outra adutora também será construída para reforçar a distribuição de água tratada. Trata-se da adutora Centro Leste, que terá 3,6 km de extensão e capacidade de vazão de 240 litros por segundo. Parte dessa adutora, que possuirá 600 milímetros de diâmetro, fará a travessia na Ponte Juscelino Kubitschek, que liga as avenidas Frei Serafim e João XXIII. O início dos trabalhos está previsto para a próxima semana com duração das obras para seis meses. Serão diretamente beneficiados moradores dos bairros Fátima, Ininga, Noivos, Jockey, São Cristóvão, Horto e Planalto, o equivalente a mais de 69 mil teresinenses.

A terceira obra é a ampliação da Estação de Tratamento de Água – ETA Norte, que possibilitará o aumento da capacidade de produção. A unidade ganhará dois novos módulos para os processos de floculação e decantação. A obra será executada com a ETA Norte em funcionamento e tem previsão de início para 5 de agosto.

A adutora Meio Norte será a responsável por dar vazão ao novo volume que será produzido pela ETA-Norte, levando a água para os bairros do extremo leste de Teresina, como Aroeiras, Campestre, Morros, Tabajaras, Zoobotânico, Porto do Centro, Satélite, Verde Lar, Vale do Gavião, Pedra Mole (Vila Meio Norte, HBB, Res. Eng. Maurílio, Parque Mão Santa e Vila Paraíso), Cidade Jardim, Tabajaras e Socopo.

“Juntas, essas três obras vão possibilitar a melhor distribuição de água tratada para toda a cidade. Ao aumentar a capacidade da ETA Norte e dar vazão a esta água com a nova adutora, nós conseguimos dividir melhor a distribuição com o sistema da ETA Sul, que hoje é responsável pelo abastecimento de mais de 80% da cidade. Com isso, disponibilizaremos também mais água para as regiões Sul e Sudeste, por exemplo”, explica o gerente de engenharia da Águas de Teresina, Cassiano Costa.

Conforme previsto no contrato de subconcessão, até o terceiro ano, que será 2020, o abastecimento de água será universalizado na área urbana de Teresina. As três obras que serão executadas nesse semestre se somam às inúmeras ações que a Águas de Teresina tem realizado, como por exemplo, perfuração e ativação de poços tubulares profundos, instalação de booster – unidades de bombeamento, implantação de redes, setorizações e regularização do abastecimento em áreas que passaram por regularização fundiária.

Da Redação

WD apresenta plano para universalizar saneamento e estima investir R$ 200mi ao ano

Publicada em 17 de julho de 2019 - 14:06

Imprimir
WD apresenta plano para universalizar saneamento e estima investir R$ 200mi ao ano

Última atualização: 18 , julho 2019 - 08:43

O presidente do Instituto de Águas e Esgotos do Piauí (Iaepi), Luiz Cláudio Lima, e a equipe do órgão apresentaram ao governador Wellington Dias e ao secretário de Estado do Planejamento, Antônio Neto, nessa terça-feira (16), no Palácio de Karnak, um plano macro para universalização da água de qualidade, do sistema de esgotos e implantação de banheiros residenciais na zona rural e urbana dos 224 municípios piauienses.

De acordo com Wellington, é uma preocupação do Governo do Estado trabalhar essas áreas e que deve buscar condições para o longo prazo. “Vamos precisar de algo em torno de, aproximadamente, R$ 200 milhões por ano. Para tanto, vamos buscar recursos do Estado, de contratos de empréstimos, do Orçamento Geral da União, da disposição de emendas parlamentares que queiram contribuir para que dessa forma possamos ter a condição de alcançar a meta de universalização desses serviços em 10 anos”, disse o gestor.

O governador explicou que essas são áreas muito importantes, pois a partir do momento que as pessoas passam a fazer uso de uma água potável, que têm à sua disposição uma rede de esgotamento sanitário e o tratamento de resíduos sólidos, elas adoecem menos, e enfatizou a necessidade de trabalhar de forma integrada com os municípios a questão do lixo. “Do lixo vem as moscas, baratas, dengue. Além de ser um custo para as pessoas, é um custo para o Sistema Único de Saúde”, comentou Dias.

O presidente do Iaepi disse que o plano apresentado trabalha com uma nova modelagem de estação de tratamento estáticas, com o apoio de limpa fossas e que devem ser trabalhados por meio de parcerias público-privadas (PPPs).

“Por meio da subconcessão, será possível enxugar uma despesa para operacionalizar. Esse é um plano muito desafiador para 10 anos e deve virar um projeto de Estado, para que as novas gestões possam abraçar. O foco é levar água de qualidade e evitar doenças, assim vamos evitar o problema de idosos, crianças e parturientes que bebem água salgada, diminuir a mortalidade e avançar na expectativa de vida e alavancar ainda mais o IDH do Piaui para bom e ótimo”, comentou Luiz Cláudio.

Da Redação

Vazamento em adutora provoca falta d’água na zona norte de Teresina

Publicada em 8 de julho de 2019 - 8:28

Imprimir
Vazamento em adutora provoca falta d’água na zona norte de Teresina

Última atualização: 8 , julho 2019 - 11:27

Um vazamento identificado na adutora que abastece o bairro Parque Brasil deixou grande parte da zona norte de Teresina sem água. A empresa Águas de Teresina, que detém a concessão do saneamento básico na capital, explica que equipes estão trabalhando na correção do vazamento.

Devido ao serviço, o abastecimento teve que ser interrompido momentaneamente nos seguintes bairros: Parque Brasil 1, 2 e 3, Jacinta Andrade, Residencial Francisca Trindade, Parque Firmino Filho, Parque Wall Ferraz, Paulo de Tarso, Vila Asa Norte, Dilma Rousseff, Santa Maria da Codipi, Santa Maria das Vassouras, Santa Rosa, Monte Verde, Monte Alegre e Jardins do Norte.

A previsão, segundo a empresa, é de que o retorno gradativo do abastecimento ocorra a partir das 14h desta segunda-feira (8).

Da Redação

Águas de Teresina amplia cobertura de esgoto e busca universalização do abastecimento

Publicada em - 8:17

Imprimir
Águas de Teresina amplia cobertura de esgoto e busca universalização do abastecimento

Última atualização: 8 , julho 2019 - 08:17

Neste domingo (07), a Águas de Teresina completa dois anos de atuação na capital do Piauí. Nesse período, a produção de água aumentou em 17 milhões de litros por dia. A universalização deve ocorrer em 2020. Já o acesso ao esgoto tratado foi ampliado em mais de 60%. A passos largos, Teresina caminha para tornar-se referência em saneamento no Nordeste. Mais de R$ 480 milhões já foram aplicados na cidade. Em 30 anos de contrato, serão investidos R$ 1,7 bilhão.

Bairros que compõem o Grande Dirceu, na zona Sudeste e, ao Norte da cidade a região da Santa Maria da Codipi, Jacinta Andrade, Parque Brasil, para citar alguns exemplos, foram foco do plano de entrada da empresa que executou ações emergenciais para melhoria do fornecimento de água tratada. No ano passado, o B-R-O Bró (período de temperaturas altas) os registros de falta de água reduziram pela metade, quando comparado a 2017. Isso se deve aos investimentos que resultaram na ampliação da produção e distribuição de água.

“Nós tínhamos um problema crônico de falta de água na Vila Meio Norte e hoje nós estamos vivendo uma nova realidade. Foi feita a perfuração de novos poços que vêm abastecendo a comunidade e o serviço presencial quando há necessidade de alguma manutenção acontece de forma efetiva”, avalia Aristeu Soares, Presidente da Associação Comunitária dos Moradores da Vila Meio Norte.

Pelo menos 4.800 famílias que residem no Parque Vitória, zona Sul e Residencial Dilma Rousseff, zona Norte, passaram a contar pela primeira vez com água tratada. Após o esforço desempenhado pelo município para fazer a regularização fundiária, a concessionária implantou rede regular de abastecimento e possibilitou às comunidades um contexto com mais dignidade.

A implantação das redes em áreas onde não havia as ligações padronizadas, a exemplo do que ocorreu no Residencial Dilma Rousseff e Parque Vitória, integra também o plano para a redução de perdas. O índice, antes de 59%, caiu para 56% e a meta é de que em até 10 anos esse número chegue a 25%. Por mês, as equipes fazem uma média de 5.500 reparos de vazamentos.

A cobertura de esgoto cresceu mais de 60%, evoluindo de 19% para 31%, demonstrando a capacidade técnica, operacional e financeira e o comprometimento em avançar no serviço que reflete consideravelmente na qualidade de vida das pessoas e na valorização da cidade.

Para avançar no acesso ao esgoto tratado, a concessionária lançou o programa Teresina Saneada, que prevê a construção de sete estações elevatórias e implantação de 400 km de rede de esgoto. Os bairros inicialmente contemplados foram Matadouro, Parque Alvorada, Aeroporto, Itaperu e Nova Brasília.

“Uma das metas mais ousadas do contrato de subconcessão é promover a ampliação da cobertura de esgoto de modo a termos até o ano de 2033, um índice de 90% da população atendida. O acesso a esse serviço é fundamental para a cidade ser mais valorizada economicamente movimentando, por exemplo, o turismo local e proporcionando valorização imobiliária. Fizemos muito em apenas 2 anos e isso demonstra que seguimos firmes no propósito de tornar Teresina referência em saneamento no nordeste”, diz Cleyson Jacomini, diretor-presidente da Águas de Teresina.

Relacionamento com o público

A média diária de atendimentos saiu de 300 para 2.500. “O crescimento é justificado pela resolutividade e compromisso com que buscamos tratar cada demanda”, comenta Jacomini. Os canais de comunicação também ficaram mais plurais e acessíveis. São oito pontos de atendimento presencial, além da linha telefônica, que funciona 24 horas, através do 0800 223 2000 e 115.

A novidade fica a cargo do WhatsApp 98124 3199, que hoje figura entre um dos mais utilizados canais para falar com a concessionária. O aplicativo Águas App, disponível para Android e iOS também agrada aos mais conectados, a exemplo dos Serviços Online, que pode ser acessado via www.aguasdeteresina.com.br.

“Recomendamos que todas as demandas dos clientes sejam formalizadas junto aos nossos canais de atendimento para que possamos dar as tratativas necessárias. Isso tem nos ajudado muito, a exemplo dos reportes de vazamentos em vias públicas”, avalia o diretor executivo Diego Dal Magro.

A Águas de Teresina também conta com perfis oficial nas redes sociais Facebook, Instagram, Twitter e Linked In. Siga @aguasdeteresina. Um canal direto e personalizado é dedicado às lideranças comunitárias. Por meio do Programa Afluentes, a concessionária relaciona-se com cerca de 250 associações de bairros.

“A gente vê o esforço da Águas de Teresina para melhorar o abastecimento de água aqui no município. Uma das coisas que temos que agradecer é essa interlocução com as comunidades. Foi criado um grupo no WhatsApp para a zona Sul e, sempre na medida do possível, as demandas são atendidas. Só temos a agradecer e a empresa está no caminho certo”, destaca Ascânio Sávio, representante da União das Entidades Comunitárias Urbana e Rural.

Emprego e Renda

A empresa figura entre as mais relevantes da capital piauiense, contribuindo para a geração de emprego e renda local, além da valorização profissional. “É muito gratificante quando eu sei que o atendimento que fiz conseguiu resolver a demanda do cliente. A gente percebe essa satisfação quando ele retorna e agradece e esse reconhecimento é bom tanto para mim quanto para o meu colega que executa o serviço. Além disso, é gratificante saber que o nosso trabalho está contribuindo para a saúde na cidade”, avalia Etermaura Neres, operadora de Call Center.

“Eu tenho honra de fazer parte da equipe de manutenção, com funcionários tão profissionais. Cada Ordem de Serviço que é demandada para as nossas equipes, é uma satisfação poder cumprir no prazo e com o máximo de perfeição possível para atender cada vez melhor a nossa cidade e a população”, fala Carlos Augusto, agente de saneamento.

Da Redação

Governo aprova PPPs de energias renováveis, turismo, educação e saneamento

Publicada em 21 de maio de 2019 - 9:35

Imprimir
Governo aprova PPPs de energias renováveis, turismo, educação e saneamento

Última atualização: 10 , junho 2019 - 07:47

O Conselho Gestor de Parcerias Público Privadas (PPPs) aprovou, nessa segunda-feira (20), pautas em diferentes áreas da administração estadual. Entre as propostas apresentadas, estavam o projeto de miniusinas fotovoltaicas, o Terminal Turístico de Barra Grande, Escolas Inteligentes e o saneamento de Floriano e região.

A proposta apresentada que busca atrair parceiros da iniciativa privada para administrar o Terminal Turístico de Barra Grande tem como objetivo requalificar e fazer com que esse equipamento comece efetivamente a operar. Uma audiência publica está marcada para 10 de junho, onde empreededores locais, gestores e população possam socializar a ideia.

O prédio possui 785 m², com boxes, banheiros, lojas e praça de alimentação. A PPP prevê a modernização da estrutura e implementação de um plano de negócios para movimentar a economia local.

A superintendente de Parcerias e Concessões do Estado, Viviane Moura, destacou que o Estado trabalha com a perspectiva de que “os serviços sejam executados dentro do terminal e tenham utilidade de uma forma que movimente a economia do município, gerando emprego e renda e atraindo mais turistas”.

Também foi aprovada a proposta de instalação de 8 miniusinas fotovoltaicas (solar) em solo piauiense. O projeto apresentado prevê o uso de 5 terrenos privados e 3 áreas públicas, situadas em Caraúbas, Cabeceiras e Canto do Buriti. O investimento previsto (público e privado) é estimado em R$ 174 milhões.

Viviane Moura explicou que esse projeto já havia sido apresentado no Conselho e precisou ser remodelado de acordo com a etapa de consulta ao mercado, que foi concluída no mês de abril e que agora será encaminhada para a PGE, onde espera-se que o processo licitatório aconteça no mês de junho.

O governador Wellington Dias destacou que com a geração de energia nas miniusinas será possível a a geração de créditos ao governo, que permitirão pagar contas de energia de repartições públicas.

O projeto das Escolas Inteligentes prevê que 47 escolas piauienses devem ser preparadas para o modelo de escola de tempo integral. Segundo o governador, essa PPP permitirá as condições de antecipação de investimento. “Nessa forma de parceria conseguiremos fazer o que o Estado levaria 3, 4 ou 5 anos para fazer. Serão escolas de tempo integral em um modelo que o Fundeb, mais os 25% do Estado, permitirá o equilíbrio financeiro. Uma escola moderna, com tudo que uma escola deve ter, com qualidade na educação e sustentável”, explicou Wellington.

No conselho também foi autorizado que a Fundação Ezuite possa iniciar a modelagem de estudos para a subconcessão de Floriano e região, no tange ao saneamento e abastecimento de água.

Da Redação