Investigação

Acusado de matar casal queimado será submetido a exame de insanidade

O exame de insanidade mental irá comprovar se José Fernando possui de fato algum tipo de transtorno mental e se tinha consciência do que fazia.

Publicada em 12 de julho de 2018 - 15:30

Imprimir
Acusado de matar casal queimado será submetido a exame de insanidade

Última atualização: 13 , julho 2018 - 09:55

O Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) vai exigir o exame de insanidade em José Fernando Pereira Gonzaga, 47 anos, acusado de matar queimado o irmão e a companheira no Bairro Piçarra, zona Sul de Teresina. O caso ganhou dimensão após a família pedir Justiça e suspeitar que o acusado sofra de transtornos mentais.

A filha de Luiz Pereira Gonzaga, Raquel Soares, revelou ao Portal Piauí Agora, que além do crime que tirou a vida de seu pai e da companheira dele, José Fernando já teria tentado abusar sexualmente da própria mãe e tentado matar duas vezes o irmão, que acabou sendo de fato sendo morto por ele.

“O assassino do meu pai, estuprava a própria mãe e tentou diversas vezes matar meu pai e inclusive, a irmã deles. Não tem nada de louco, que “doença” é essa que não o impediu de tirar a CNH? Que seja punido pelo crime covarde que cometeu contra meu pai”, desabafou.

Segundo o delegado Francisco Costa, o Baretta, diretor do DHPP, o laudo será decisivo para definir se o acusado será preso pelo homicídio ou se deverá cumprir medida de segurança.

“Vamos requisitar ao IML,  o exame de insanidade que será feito por uma equipe multidisciplinar. Precisamos confirmar se ele esteve internado no Aerolino de Abreu, se vinha se tratando no Caps. É preciso saber se no dia do crime, ele tinha o entendimento do ato que estava praticando”, destacou.

O delegado Baretta destaca que apesar de ser um crime hediondo, deve ser tratado com cautela, já que o acusado tem histórico de transtornos mentais.

“Se for constatado que ele não tinha entendimento, vamos concluir o inquérito, relatar e mandar para a Justiça. Em seguida, o juiz encaminha para o Ministério Público a  denúncia. É um processo normal, só que ele não recebe pena, mas medida de segurança que poderá ser um tratamento ambulatorial ou internação compulsória em um manicômio judiciário”, finalizou o delegado.

INTERNADO 

Para o Centro de Assistência Psico social (Caps III), José Fernando apresenta um quadro de esquizofrenia e vem realizando tratamento desde 2011. No momento, o acusado segue internado em um hospital psiquiátrico em Teresina.

 

"Eu quero Justiça!"

Filha de homem morto queimado pelo irmão pede Justiça

A filha de Luis Pereira, atualmente, mora no Rio de Janeiro, no entanto, está indignada com o crime que vitimou o pai.

Publicada em 11 de julho de 2018 - 15:43

Imprimir
Filha de homem morto queimado pelo irmão pede Justiça

Última atualização: 12 , julho 2018 - 10:11

Em entrevista exclusiva ao portal Piauí Agora, Raquel Soares, filha de Luis Pereira Gonzaga, morto queimado por Fernando, irmão com transtorno mental, pede Justiça quanto ao assassinato do pai e questiona transtorno mental do tio. A filha de Luis Pereira, atualmente, mora no Rio de Janeiro, no entanto, está indignada com o crime que vitimou o pai.

Segundo Raquel Soares, o transtorno mental do tio é questionável já que ele possui autorização para ter Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

“Já se passaram 12 dias… sabe o que mais me revolta é que em um país de lixo, no qual vivemos, a Justiça não é feita, porque ele ainda está solto e considerado esquizofrênico. Mas essa “doença” não impediu de tirar a CNH”, lamenta.

Além disso, Raquel Soares revela novos supostos crimes cometidos pelo tio. “O assassino do meu pai, estuprava a própria mãe e tentou diversas vezes matar meu pai e inclusive, a irmã deles. Não tem nada de louco, que seja punido pelo crime covarde que cometeu contra meu pai”, desabafou emocionada.

Atualmente, Fernando está internado em um CAPs sob medidas protetivas, diagnosticado com esquizofrenia.
ENTENDA O CASO
Luís Pereira Gonzaga, 54 anos, morreu em consequências das graves lesões das queimaduras causas por seu irmão, que foi diagnosticado com transtornos mentais. A vítima teve 80% do corpo queimado e estava internado na UTI do Hospital de Urgência de Teresina (HUT). O irmão de Luís Pereira, Fernando, teria ateado querosene e fogo no irmão e na companheira, enquanto eles dormiam no quarto.