Eleições 2018

Jair Bolsonaro é eleito presidente da República com 55,13% dos votos

O primeiro comunicado do presidente eleito foi por meio de uma live feita pelas redes sociais.

Publicada em 29 de outubro de 2018 - 11:09

Imprimir
Jair Bolsonaro é eleito presidente da República com 55,13% dos votos

Última atualização: 29 , outubro 2018 - 11:17

Jair Bolsonaro (PSL)  foi eleito na noite desse domingo, (28/10), presidente da República por um total de 55,13% dos votos apurados no 2º turno. Já o candidato Fernando Haddad conquistou 44,86% dos votos, sendo o mais bem votado apenas na região Nordeste.

O primeiro pronunciamento realizado pelo presidente eleito aconteceu por meio de uma live nas redes sociais, sendo transmitida pelos canais de televisão aberta que faziam a cobertura das eleições, como a Globo, Record e Band.

Já o segundo pronunciamento, teve início com uma oração, aconteceu na presença de jornalistas, familiares e apoiadores.

“Faço de vocês minhas testemunhas de que esse governo será um defensor da Constituição, da democracia e da liberdade. Isso é uma promessa não de um partido. Não é a palavra vã de um homem. É um juramento a Deus. A verdade vai libertar este grande país e a liberdade vai nos transformar em uma grande nação. A verdade foi o farol que nos guiou até aqui e que vai seguir iluminando o nosso caminho”, pontuou.

Segundo Jair Bolsonaro, o que aconteceu nas urnas não representa vitória de um partido mas sim a celebração de um país pela liberdade.

“O compromisso que assumimos com os brasileiros foi de fazer um governo decente, comprometido exclusivamente com o país e com o nosso povo e eu garanto que assim será. Nosso governo será formado por pessoas que tenham o mesmo propósito de cada um que me ouve neste momento: o propósito de transformar o nosso Brasil em uma grande, livre e próspera nação. Podem ter certeza de que nós trabalharemos dia e noite para isso. Liberdade é um princípio fundamental: liberdade de ir e vir, de andar nas ruas, em todos os lugares deste país, liberdade de empreender, liberdade política e religiosa, liberdade de informar e ter opinião. Liberdade de fazer escolhas e ser respeitado por elas”, falou em uma parte de seu discurso.

Pronunciamento

Elmano Férrer critica segurança pública no Piauí

O senador possui seis projetos para Segurança, do total, três já foram apresentados recentemente com a finalidade de colaborar com o trabalho das polícias.

Publicada em 27 de junho de 2018 - 14:35

Imprimir
Elmano Férrer critica segurança pública no Piauí

Última atualização: 27 , junho 2018 - 18:41

O senador Elmano Férrer, em pronunciamento realizado nessa terça-feira, (27/06), no Senado Federal, criticou a segurança pública do Piauí e destacou o déficit de contingente policial.

Segundo Elmano Férrer, o Piauí é estado que menos investe na segurança pública e possui um efetivo de apenas 52% do que é fixado por lei.

“O resultado da omissão do Governo estadual pode ser visto em números. Entre 2006 e 2016 a taxa de homicídios por 100 mil habitantes no Piauí saltou de 13,8 para 21,8, um aumento de quase 60%. Apenas nos últimos cinco anos, a taxa de homicídios foi de 14% para 22%, aumento de 55,8%. São números extremamente preocupantes”, ressaltou.

Para o senador, outro problema sério do Piauí é o déficit de contingente policial. Dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2017 informam que o Estado possui 6 mil policiais militares, ou seja, apenas 52% do número fixado na lei estadual, que prevê efetivo de 11.366 policiais militares.

“O problema da violência aflige nossa população de forma alarmante. Hoje Teresina é a 48ª cidade mais violenta do planeta. O número de assaltos e de homicídios no estado vem crescendo assustadoramente nos últimos anos e não existe ação concreta do Governo do estado para solucionar esse quadro. Reafirmo a necessidade de ações urgentes para resgatar a paz e a confiança perdidas pelos piauienses”, destacou.

PROJETOS

O senador Elmano Férrer tem seis projetos na área de segurança pública. Três projetos de Lei foram apresentados recentemente com a finalidade de colaborar com o trabalho das polícias. “Como legisladores, podemos aprimorar nossas leis e priorizar este problema, que é do Brasil, de seus Estados e de suas grandes e pequenas cidades. Precisamos dar uma resposta ao nosso povo, que está decepcionado e assustado”, afirmou.

  • PLS 128/2018, que determina que o inquérito policial seja eletrônico, busca facilitar o registro, o cruzamento e o processamento de informações nas investigações policiais;
  • PLS 483/2017, com objetivo de permitir que as polícias utilizem automóveis apreendidos que não puderam ter sua procedência identificada;
  • PLS 179/2018, que condiciona a concessão de benefícios aos presos à coleta de material biológico para abastecer a rede integrada de perfis genéticos.

 

Redução dos preços

Medidas Provisórias são publicadas no Diário Oficial

Confira todas as cinco medidas anunciadas por Michel Temer

Publicada em 27 de maio de 2018 - 22:23

Imprimir
Medidas Provisórias são publicadas no Diário Oficial

Fonte: Daniely Viana

Última atualização: 28 , maio 2018 - 12:31

Atualização às 09h32min

As três medidas provisórias anunciadas pelo presidente Michel Temer foram publicadas em edição extra no Diário Oficial da União. A categoria, até a noite deste domingo (27/05), havia informado que só iria finalizar o movimento após as mudanças serem oficialmente publicadas. Dessa forma, os caminhoneiros devem desbloquear as rodovias nas próximas horas.

____________________________________________________________

Matéria Original

Após o dia inteiro em reunião, Michel Temer (MDB) esteve à frente de um pronunciamento ao vivo na noite deste domingo (27/05). O presidente divulgou cinco medidas para pôr fim à greve dos caminhoneiros, que já dura sete dias.

Em sua fala, Temer anunciou as seguintes medidas:

: Redução de 0,46 por litro do óleo diesel;

2ª:  O preço do óleo diesel, já barateado, será válido pelos próximos 60 dias. “Portanto, daqui há dois meses só haverá reajustes mensais. Assim cada caminhoneiro poderá planejar melhor seus custos e o valor do frete”, explicou.

3ª: Medida Provisória para isenção da cobrança do eixo suspenso nos pedágios nas rodovias federais, estaduais e municipais em todo o país;

4ª:  Medida provisória para garantir aos caminhoneiros autônomos 30% dos fretes da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab);

5ª: Medida Provisória estabelecendo a tabela mínima de frete, conforme prevista no projeto de lei 121, que está sob análise do Senado Federal.

 Ao final do pronunciamento, Temer ainda afirmou que todas as medidas negociadas anteriormente e assinada pelos ministros e lideranças, seguem valendo.

Pronunciamento

Temer autoriza forças federais para liberar rodovias bloqueadas por caminhoneiros

Temer tomou a decisão junto com ministros em reunião no Gabinete de Segurança Institucional (GSI).

Publicada em 25 de maio de 2018 - 15:21

Imprimir
Temer autoriza forças federais para liberar rodovias bloqueadas por caminhoneiros

Fonte: Márcia Gabriele

Última atualização: 25 , maio 2018 - 19:41

O presidente do Brasil, Michel Temer, se pronunciou nesta sexta-feira, (25/05), e informou que autorizou as forças federais de segurança para desbloquear as rodovias da mobilização dos caminhoneiros. A mobilização dos caminhoneiros é um protesto contra o aumento abusivo no valor dos combustíveis. 

Temer tomou a decisão junto com ministros em reunião no Gabinete de Segurança Institucional (GSI).

Segundo Temer, os caminhoneiros que estão protestando, trata-se de uma “minoria radical” e está impedindo, demais transportar mercadorias.

“Quero anunciar um plano de segurança imeadiato para acionar as forças federais de segurança para desbloquear as estradas e estou solicitando aos governadores que façam o mesmo. Não vamos permitir que a população fique sem os gêneros de primeira necessidade, que os hospitais fiquem sem insumos para salvar vidas e crianças fiquem sem escolas. Quem bloqueia estradas de maneira radical será responsabilizado. O governo tem, como tem sempre, a coragem de dialogar; agora terá coragem de usar sua autoridade em defesa do povo brasileiro.”, informou.

Apesar do presidente Temer afirmar que a mobilização está sendo feita por uma “minoria radical”, a Associação Brasileira dos Caminhoneiros informou que ao total, são 700 mil trabalhadores que estão protestando nas rodovias.