Operação Entre Rios

Empresário é preso em flagrante ao usar sítio para esconder drogas

o empresário e dono do sítio, identificado como Carlos Roberto dos Santos, vulgo ‘baixinho’, já é sentenciado por tráfico de drogas no PI e BA.

Publicada em 14 de agosto de 2018 - 11:53

Imprimir
Empresário é preso em flagrante ao usar sítio para esconder drogas

Última atualização: 14 , agosto 2018 - 12:04

Um sítio de luxo, localizado na zona rural de Timon, estava sendo utilizado como esconderijo para drogas que, em seguida, seriam distribuídas em Teresina. O dono do local foi preso em flagrante durante a Operação Entre Rios, que acontece dentro da operação Piauí Seguro.

As ações foram deflagradas na manhã desta segunda-feira (14), em conjunto com a Polícia Civil e Polícia Militar. Até o momento já foram presas 10 pessoas acusadas de tráfico de drogas e cinco relacionadas a crimes com uso da violência ou grave ameaça.

Durante as investigações, a polícia verificou que a droga vinha do Estado de Pernambuco para ser armazenada no sítio e logo depois distribuída em quatro bairros na capital, são eles: Dirceu Arcoverde I, Jardim Europa, Planalto Bela Vista, São Joaquim, além de Timon (MA).

 

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Piauí (SSP-PI), em nota, o empresário e dono do sítio, identificado como Carlos Roberto dos Santos, vulgo ‘baixinho’, já é sentenciado por tráfico de drogas no PI e BA. Ele foi preso ainda nesta segunda-feira (13)

“Segundo as investigações, ele seria o chefe da organização, atuando no abastecimento e distribuição dos entorpecentes. Cabe destacar que Carlos, nos últimos anos, mantinha uma vida empresarial, em Teresina e Timon. Na primeira, no ramo de autopeças, mais precisamente no Bairro Tabuleta, Posto Magnolia, onde funciona, em seu nome, a C R dos Santos Peças Para Veículos, e na segunda como produtor rural de melancia”, afirma a SSP.

Os delegados da Polícia Civil responsáveis pelo Inquérito Policial, que resultou na operação, são Matheus Lima Zanatta e Walter Pereira da Cunha Junior, ambos da Delegacia de Prevenção e Repressão a Entorpecentes. Eles estavam investigando o caso desde abril deste ano.

PRESOS

A SSP divulgou os nomes dos presos na operação entre rios. Os mandados de prisão foram determinados pelo juiz Luiz de Moura Correia da Central de Inquéritos da Comarca de Teresina (PI):

Francisco Dalton de Araújo Oliveira e José Terto da Silva Filho: responsáveis pela guarda e deposito dos entorpecentes;

David dos Santos Bonfim: venda da droga

Daniela Rodrigues Marques de Oliveira, Fabricia Abreu Fernandes Noronha e Sebastião Rodrigues Marques: guarda dos entorpecentes.

Hailton da Silva Marques e Manoel Alcides da Silva: funcionários do sítio;

Esquema do crime

 

relatório

Em seis meses, Guarda Civil apreende mais de 150 porções de drogas

Guarda Civil Municipal de Teresina é vinculada à Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi). 

Publicada em 4 de julho de 2018 - 9:43

Imprimir
Em seis meses, Guarda Civil apreende mais de 150 porções de drogas

Última atualização: 4 , julho 2018 - 10:29

De janeiro a junho deste ano, os trabalhos da Guarda Civil Municipal (GCM) apreenderam diversos entorpecentes, armas de fogo e prisões na capital. De acordo com o relatório divulgado pelo órgão nesta quarta-feira (04/07), foram retirados de circulação 154 porções de drogas; 52 armas e 19 conduções à Central de Flagrantes de Teresina.

As equipes também recuperaram três veículos e um aparelho de som, resultante de furto, além disso, prestaram socorro à população.

Ainda de segundo com o relatório, as drogas mais apreendidas foram Maconha (81 porções); Crack (71) e “Loló” (02). O total de armas brancas somam 51 apreensões, além de uma arma de fogo e 19 conduções à Central de Flagrantes (tráfico de drogas e por furto/roubo).

Guarda Civil Municipal de Teresina é vinculada à Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi).

Redação Piauí Agora