Vistoria

CRM não vai interditar Maternidade Evangelina Rosa

Em um mês, foram investidos cerca R$ 2,2 milhões para a Evangelina que irão auxiliar no custeio da Instituição.

Publicada em 27 de julho de 2018 - 17:15

Imprimir
CRM não vai interditar Maternidade Evangelina Rosa

Última atualização: 27 , julho 2018 - 17:16

O Conselho Regional de Medicina do Piauí (CRM), após vistoria realizada na manhã desta sexta-feira, (27/07), decidiu não interditar a Maternidade Evangelina Rosa, localizada na Avenida Higino Cunha.
A ideia da interdição veio há pouco mais de 30 dias, quando o CRM detectou falhas em alguns pontos e teria assinalado quatro pontos da maternidade que precisava seguir as normas do conselho.
Segundo a médica Mirian Parente, presidente do Conselho Regional de Medicina do Piauí (CRM), a vistoria foi considerada satisfatória, em especial, aos itens que anteriormente, apresentaram falhas.
De acordo com Francisco Macêdo, diretor geral da Maternidade, dentre as exigências do CRM atendidas está a aquisição de medicamentos e insumos e materiais, além do reforço na limpeza da maternidade para que se afastasse a ideia de infecção hospitalar.
“Recebemos um aporte financeiro substancial da Secretaria de Saúde e do Tesouro Estadual, o que foi fundamental para superarmos nossas metas. Estamos com uma empresa contratada fazendo outras mudanças e melhorias em outras áreas, paralelamente, como a Central de Material, onde se esteriliza todo o material usado na Casa”, destacou.
INVESTIMENTO
Em um mês, foram investidos cerca R$ 2,2 milhões para a Evangelina que irão auxiliar no custeio da Instituição, além de R$ 1 milhão para recursos de média e alta complexidade que serão incorporados como incremento nas atividades da Maternidade.
Os diversos equipamentos que vão contribuir de forma significativa no atendimento aos pacientes da Unidade Hospitalar. A aquisição de cinco focos cirúrgicos (equipamento médico que auxilia o profissional durante a realização dos procedimentos cirúrgicos), duas mesas cirúrgicas, duas autoclave de 400 litros (aparelho que utiliza vapor de água sob pressão para esterilizar instrumentos.) e cinco camas PPP ( utilizadas em pré-parto, parto e pós parto).

Maternidade

Teresa Britto denuncia situação precária na Evangelina Rosa

A parlamentar prometeu acionar o Ministério Público do Piauí a fim de propor a formação de uma comissão para fiscalizar a situação na Maternidade.

Publicada em 13 de junho de 2018 - 16:58

Imprimir
Teresa Britto denuncia situação precária na Evangelina Rosa

Fonte: Márcia Gabriele

Última atualização: 13 , junho 2018 - 17:01

A vereadora Teresa Britto (PV), na tribuna da Câmara Municipal de Teresina, denunciou nesta quarta-feira, (13/06), situação precária na Maternidade Evangelina Rosa, como falta de alimentos, medicamentos e atraso salarial dos terceirizados da instituição.

Segundo Teresa Britto, na última sexta-feira, (08/06), algumas pessoas entraram em contato com ela para denunciar a situação.

A dispensa está vazia e quem estava limpando a Maternidade eram os técnicos de Enfermagem, pois os servidores terceirizados não foram trabalhar por falta de pagamento que já se estende há pelo menos quatro meses. É um absurdo”, lamenta.

A parlamentar prometeu acionar o Ministério Público do Piauí a fim de propor a formação de uma comissão na Câmara de Teresina para fiscalizar a situação na Maternidade Evangelina Rosa.

Acompanhamos regularmente a situação dos centros de saúde, tanto do município quanto do Estado, mas, em relação à Maternidade Evangelina Rosa, precisamos agir emergencialmente, pois materiais básicos e essenciais para o seu funcionamento estão em falta e isso é inadmissível”, finalizou.