Marta lamenta derrota e pede que jogadoras se preparem melhor

Publicada em 24 de junho de 2019 - 7:49

Imprimir
Marta lamenta derrota e pede que jogadoras se preparem melhor

Última atualização: 24 , junho 2019 - 07:49

A atacante Marta, a melhor jogadora do mundo, eleita para Federação Internacional de Futebol (Fifa), deixou o gramado do Estádio Océane, em Le Havre, após a derrota para a França por 2 a 1, nesse domingo (23), cobrando apoio dos dirigentes para uma preparação com mais tempo de trabalho e que as jogadoras valorizem e trabalhem melhor para chegar bem em competições do nível de uma Copa do Mundo.

Jogadora Kathellen lamenta a eliminação da seleção brasileira na Copa do Mundo de Futebol Feminino.

“É um momento especial e a gente tem que aproveitar. O momento é muito emocionante. Queria estar sorrindo aqui ou até chorando de alegria. A gente pede tanto, pede apoio, mas a gente também precisa valorizar. A gente está sorrindo aqui e acho que esse é o primordial, ter que chorar no começo para sorrir no fim. É treinar mais, estar pronta para jogar 90 minutos, 30 minutos, e quantos mais forem. Não vamos ter Formiga, Marta e Cristiane para sempre. O futebol feminino depende de vocês. Pensem nisso, valorizem mais. Chorem no início para sorrir no fim”, disse Marta, muito emocionada ainda no gramado.

Marta pediu que as atletas, a partir de agora, comecem a pensar na Olimpíada, porque, segundo ela, uma Copa e uma Olimpíada são momentos especiais. De acordo com a camisa dez da seleção, isso é importante para que cada jogadora faça um trabalho mais forte e chegue nessas competições mais preparadas.

Marta faz 17º gol e supera Klose na artilharia em Copas do Mundo.
“Eu acho que o primordial neste momento é que todas [jogadoras), a que estão aqui, as que passaram pela seleção, as que pretendem chegar na seleção, possam ter em mente que é importante um trabalho cedo, para chegar bem preparada em uma competição como uma Copa do Mundo, uma Olimpíada. Porque não adiante querer fazer isso em meses”, afirmou.

De acordo com Marta, a seleção deu o seu melhor nesta Copa. E que deixava a competição com muito orgulho, pois o Brasil enfrentou uma das favoritas para a vencer a competição de igual para igual.

O treinador Vadão elogiou o desempenho da equipe, afirmando que a partida contra as francesas foi um jogo duro para os dois lados. Segundo ele, o Brasil teve uma chance com a atacante Debinha, no minuto final do primeiro tempo da prorrogação, mas acabou errando na finalização da jogada, ao contrário da França que acertou o gol com a atacante Henry. De acordo com o técnico brasileiro. As francesas venceram porque finalizaram melhor.

Da Agência Brasil

Brasil perde para França e dá adeus à Copa do Mundo

Publicada em 23 de junho de 2019 - 20:13

Imprimir
Brasil perde para França e dá adeus à Copa do Mundo

Última atualização: 24 , junho 2019 - 11:01

O Brasil foi derrotado pela França por 2 a 1 na prorrogação e deu adeus à Copa do Mundo de Futebol Feminino. Na partida realizada no estádio Océane, em Le Havre, a equipe brasileira lutou muito e teve sua melhor atuação na competição, mas não foi o suficiente para ultrapassar as oitavas de final.

Já a França, que contou com o apoio de sua torcida, espera agora o vencedor de Espanha e Estados Unidos para saber qual será o seu próximo adversário na busca pelo inédito título na Copa do Mundo.

O jogo

A França começou muito bem. Tomando a iniciativa da partida e criando chances claras, enquanto o Brasil encontrava dificuldades de sair jogando, optando por lançamentos longos.

Mas a primeira chance clara é do Brasil. Aos 8 minutos, Marta recebe, se livra de duas adversárias e chuta ao lado do gol da França.

Dois minutos depois, a França consegue uma boa oportunidade, em cobrança ensaiada de falta de Henry. A meia chuta forte, por cima do gol.

A França continuou pressionando. E aos 22 minutos, Diani avança pela direita e cruza da linha de fundo. Bárbara sai mal e Gauvin consegue escorar de ombro para o fundo do gol. De início, a árbitra confirma o gol. Mas o VAR (árbitro de vídeo) sinaliza que há um toque de mão ilegal de Gauvin. E, após uma longa parada, o gol é anulado.

Após o gol anulado, o Brasil melhora e consegue boas chances. Aos 42 minutos, Cristiane avança pela esquerda e chuta com violência para a goleira Bouhaddi escorar para fora.

Mas a partida é aberta e no final do tempo regulamentar a França tem ótima oportunidade com Majri, que chuta forte para fora após passe de Bussaglia.

Gols no 2º tempo

O segundo tempo começa com as duas equipes partindo em busca da vitória. Um jogo emocionante.

E aos 6 minutos, Diani recebe bola na direita, deixa Tamires para trás e cruza rasteiro da linha de fundo para Gauvin, que bate de primeira para abrir o marcador.

Porém, o Brasil não se entregou. Três minutos após o gol francês, o Brasil tem chance clara. Marta cobra falta para Cristiane, que acerta a bola no travessão do gol de Bouhaddi.

E a equipe brasileira conseguiu chegar ao empate aos 18 minutos. Debinha avançou pela esquerda e cruzou para Cristiane, mas Renard corta a bola, que sobra para Thaísa, que chega chutando cruzado para vencer Bouhaddi. Após consulta ao VAR, a árbitra confirma o gol brasileiro.

O Brasil continua pressionando as francesas. E aos 29 minutos, Debinha rouba bola de Mbock, na saída de bola, e chuta com perigo da entrada da área. Mas Bouhaddi consegue defender com segurança.

Aos 39 minutos, Cristiane puxa contra-ataque perigoso, mas é parada com falta de Diani. Andressinha vai para cobrança. Chuta muito forte para defesa segura de Bouhaddi.

Dois minutos depois, Cristiane lança Tamires livre. E a meia brasileira chuta para o fundo do gol da França. Mas a árbitra assinala, com correção, impedimento do ataque do Brasil. Gol anulado.

Mas o jogo permanece empatado até o final do tempo regulamentar. E com isto a partida vai para a prorrogação.

Henry decide

No primeiro tempo extra, tanto Brasil como França realizam um jogo franco, com chances claras de marcar dos dois lados. Mas o placar permanece em 1 a 1.

Contudo, na segunda etapa do tempo extra, a França consegue tirar a igualdade do marcador. Com menos de um minuto, Majri levanta bola na área brasileira e Henry aparece livre para finalizar de primeira e fazer 2 a 1.

Com a desvantagem no marcador, a equipe brasileira avança e oferece espaços para a França, que aproveita para contra-atacar.

Em um destes lances, Diani avança livre pela direita e chuta cruzado para boa defesa para a goleira Bárbara. Já o Brasil pouco conseguia produzir.

Até que o tempo extra chega ao fim, marcando o ponto final da participação brasileira na Copa do Mundo de 2019.

Ficha técnica:
Domingo, 23 de junho de 2019

FRANÇA 2 x 1 BRASIL

Competição: Mundial Feminino (oitavas de final)

Local: Le Havre, França

Juíza: Marie-Soleil Beaudoin (Canadá)

França: Bouhaddi; Torrent (Perisset), Mbock Bathy Nka, Renard e Majri; Henry, Bussaglia, Asseyi (Thiney) e Diani; Le Sommer e Gauvin (Cascarino). T: Corinne Diacre

Brasil: Bárbara; Letícia Santos (Poliana), Kathellen, Mônica e Tamires; Thaísa, Formiga (Andressinha) e Andressa Alves, Debinha e Ludmilla (Beatriz); Marta e Cristiane (Geyse). T: Vadão

Gols: No 2º tempo: Gauvin (6), Thaísa (18). No 2º tempo da prorrogação: Henry (1)

Da Agência Brasil

Marta treina, faz gols e mostra que está recuperada da lesão muscular

Publicada em 12 de junho de 2019 - 7:39

Imprimir
Marta treina, faz gols e mostra que está recuperada da lesão muscular

Última atualização: 12 , junho 2019 - 07:40

Depois de mais de 15 dias no departamento médico, tratando de uma lesão muscular na coxa esquerda, a atacante Marta voltou nessa terça-feira (11) a treinar com as demais companheiras da seleção, no Complexo Esportivo Roger Bambuck, em Montpellier.A jogadora, eleita mais uma vez como a melhor do mundo pela Federação Internacional de Futebol (Fifa), participou de atividade de posse de bola e chutes a gol e de um coletivo, comandado pelo técnico Vadão. Durante o coletivo, Marta se movimentou bastante, com rápidos toques de bola e fez gols, mostrando que está recuperada da lesão.

Marta volta a treinar com as demais jogadoras
Marta volta a treinar com as demais jogadoras – Divulgação CBF

O trabalho realizado pelo treinador é preparatório para o próximo jogo do Brasil nesta quinta-feira (13), às 13h, em Montpellier. A seleção vai defender a liderança do Grupo C contra a Austrália. As australianas, que perderam para a Itália por 2 a 1, precisam vencer para manter a esperança de passar para a próxima fase da Copa do Mundo. Uma vitória garante às brasileiras a classificação.

Brasil e Austrália sempre fazem jogos parelhos. Na Copa do Mundo do Canadá, em 2015, as duas seleções se enfrentaram nas oitavas de final. Na ocasião, as brasileiras foram eliminadas ao perder por 1 a 0. Já nos Jogos do Rio, em 2016, as australianas foram eliminadas pelo Brasil, nas quartas de final, em decisão nos pênaltis.

Andressa Alves

Para Andressa Alves Andressa, jogar em Montpellier é se sentir em casa
Para Andressa Alves, jogar em Montpellier é se sentir em casa – Divulgação CBF

Para Andressa Alves, jogar em Montpellier é se sentir em casa. Foi no clube da cidade francesa que a brasileira iniciou sua carreira internacional, após sair do time feminino do São José, no interior de São Paulo. A atacante passou a temporada de 2015/2016 no Montpellier Hérault Sports Club, quando chegou a disputar a final da Copa da França vencida pelo Lyon. Atualmente, Andressa está no Barcelona.

“Me sinto muito bem em voltar pra cá, foi o clube que me abriu as portas na Europa. Agradeço muito ao Montpellier, aos diretores e as pessoas que me ajudaram durante a passagem pelo clube. O futebol feminino aqui é muito forte e me trouxe muita alegria”, disse.

Da Agência Brasil

Começa 8ª Copa do Mundo de Futebol Feminino; conheça seleções

Publicada em 7 de junho de 2019 - 7:47

Imprimir
Começa 8ª Copa do Mundo de Futebol Feminino; conheça seleções

Última atualização: 10 , junho 2019 - 07:50

A França é a sede da 8ª Copa do Mundo de Futebol Feminino. A competição começa nesta sexta-feira (7) com o jogo de abertura entre França e Coreia do Sul, marcado para as 16h, no Parc des Princes. A final ocorrerá no dia 7 de julho, às 17h, no Estádio de Lyon.

Ao todo 24 equipes estão divididas em seis grupos:

 

Grupo A – França, Coréia do Sul, Noruega e Nigéria

Grupo B – Alemanha, China, Espanha e África do Sul

Grupo C – Austrália, Itália, Brasil e Jamaica

Grupo D – Inglaterra, Escócia, Argentina e Japão

Grupo E – Canadá, Camarões, Nova Zelândia e Holanda

Grupo F – Estados Unidos, Tailândia, Chile e Suécia

Grupo A

França

Ocupa o 4º lugar no ranking da Fifa. Já participou de três Copas do Mundo. A melhor colocação foi em 2003, quando chegou a fase semifinal. A seleção não participou das eliminatórias por ser o país anfitrião. Se preparou para competição com uma série de amistosos. A técnica é a ex-jogadora Corinne Diacre, a primeira mulher a assumir o comando de uma equipe masculina profissional na França. A capitã da equipe é Amandine Henry, que atua no Olympique Lyonnais.

Coreia do Sul

Ocupa a 14ª posição no ranking da Fifa. Participou de duas Copas do Mundo. O melhor resultado alcançado foi em 2003 – as oitavas de final. O técnico e ex-jogador Yoon Deokyeo comanda a equipe desde 2012. O ponto forte da equipe é a defesa. A Coreia passou pela Copa Asiática sem levar gols e garantiu vaga na Copa da França. A estrela do time é Ji Soyun. A meiocampista atua pelo Chelsea e faz sucesso na liga inglesa.

Noruega

Ocupa a 12ª posição no ranking da Fifa. Participou de todas as edições da Copa do Mundo. Garantiu vaga na Copa da França ao liderar o grupo 3 nas eliminatórias europeia. O treinador sueco Martin Sjogren sucede Even Pellerud, o homem que levou a Noruega ao título mundial em 1995. A estrela do time é Maren Mjelde, jogadora do Chelsea.

Nigéria

Ocupa a 38ª posição do rancking da Fifa. Participou de todas as Copas do Mundo. O melhor resultado foi a classificação para as quartas de final em 1991.O título de campeã da Copa da África 2018 alcançado nos penaltis. A recompensa valeu vaga na Copa da França. O treinador da seleção nigeriana é o sueco Thomas Dennerby. O destaque da equipe é a atacante Asisat Oshoala, que joga no Barcelona e eleita melhor jogadora africana três vezes (2014, 2016 e 2017).

Grupo B

Alemanha

Ocupa o 2º lugar no ranking da Fifa. Participou de todas as Copas do Mundo. É Bicampeã. Na campanha de classificação para Copa na França, sofreu apenas uma derrota contra a Islândia e venceu as outras sete partidas sem levar gols. A técnica é Martina Voss-Tecklenburg. A estrela do time é Dzsenifer Marozsan. A jogadora concorreu ao prêmio de melhor jogadora do mundo em 2018 e ficou na terceira colocação. Atualmente joga no Olympique Lyonnais.

China

Ocupa o 16º lugar no ranking da Fifa. Já participou seis vezes da Copa do Mundo de Futebol Feminino. O primeiro título quase foi alcançado em 1999, quando ficou com o vice-campeonato ao perder para Noruega. A equipe é comandada pelo ex-jogador Jia Xiuquan. A estrela do time é a atacante Li Ying.

Espanha

Ocupa a 13ª posição no ranking da Fifa. Participa do Mundial pela segunda vez. Foi a primeira equipe a confirmar participação na Copa da França de forma invicta nos oito jogos disputados. O técnico Jorge Vilda comanda a seleção espanhola desde 2015, quando iniciou uma renovação na equipe e mudanças táticas. A jogadora Irene Paredes é líder nata e considerada uma das melhores zagueiras do mundo. Apesar de jogar na defesa, a jogadora do Paris Saint-Germain foi a segunda artilheira nas eliminatórias para Copa da França 2019.

África do Sul

Ocupa a 49ª posição no ranking da Fifa. Depois de várias tentativas, conseguiu a oportunidade de participar pela primeira vez da Copa do Mundo. A técnica é Desiree Ellis, pioneira no futebol feminino na África do Sul. A zagueira Janine Van Wyk, que atua no time americano Houston Dash, soma 160 convocações para defender a seleção sul-africana.

Grupo C

Austrália

Ocupa a 6ª posição no ranking da Fifa. Disputou seis Copas do Mundo. O melhor resultado foi a classificação para as quartas de final em 1995. As Matildas são vice-campeãs da Copa da Ásia de Futebol Feminino. O técnico da equipe é o croata Ante Milicic e a estrela do time é atacante Sam Kerr.

Itália

Ocupa a 15ª posição do ranking da Fifa. Disputou duas Copas do Mundo. O melhor desempenho foi em 1991 quando foi eliminada nas quartas de final. A seleção italiana carimbou o passaporte para a França com uma atuação impecável. Registrou apenas uma derrota contra a seleção belga quando a classificação já estava garantida. As italianas são comandadas pela técnica Milena Bertolini há 15 anos. A estrela do time é Barbara Bonansea, que atua no meio de campo e ataque.

Brasil

Ocupa a 10ª posição no ranking da Fifa. Participou de todas as edições da Copa do Mundo. O melhor resultado foi o vice-campeonato em 2007. A seleção canarinho é campeã da Copa América 2018. A conquista levou a equipe à Copa da França. O treinador é Vadão. Ele já comandou a seleção feminina na Copa do Canadá (2015), venceu o Pan-Americano (2015), ficou em 4º lugar nas Olimpíadas 2016 e venceu a última Copa América. Dentro de campo, além de Marta (eleita a melhor jogadora do mundo seis vezes e a maior artilheira da história do Mundial), a seleção brasileira também conta com Formiga (a única jogadora que participou de todas as Copas do Mundo).

Jamaica

Ocupa o 53º lugar no ranking da Fifa. É o primeiro país caribenho a participar de uma Copa do Mundo de Futebol Feminino. Garantiu a vaga no Mundial da França ao eliminar o Panamá nos pênaltis. As estreantes são comandadas pelo experiente técnico Hue Menzies desde 2014. A estrela do time é a atacante Jody Brown.

Grupo D

Inglaterra

Ocupa o 3º lugar do ranking da Fifa. Já participou quatro vezes da Copa do Mundo. A melhor posição foi o 3º lugar em 2015. Confirmou participação na Copa da França ao terminar em primeiro lugar no Grupo 1 da Eurocopa. O técnico é Phil Neville, ex-jogador do Manchester United. A atacante Fran Kirby, que atua no Chelsea, é a principal aposta da equipe inglesa.

Escócia

Ocupa a 20ª posição no ranking da Fifa. Participa pela primeira vez da Copa do Mundo. A ex-capitã escocesa Shelley Kerr foi a primeira mulher a ser técnica de um time masculino sênior no Reino Unido. Assumiu o comando da seleção em 2017. Uma das principais jogadora da equipe é Kim Little. A atacante já representou a Grã-Bretanha nas Olimpíadas de 2012 e agora, pela primeira vez, participará de uma competição representando a Escócia.

Argentina

Ocupa a 37ª posição no ranking da Fifa. Participou de dois Mundiais. Nunca passou da fase de grupos. Garantiu vaga na Copa da França pela repescagem ao eliminar o Panamá. O treinador é Carlos Borrello. A capitã é a meio-campista Estefania Banini, que atua no time espanhol Levante.

Japão

Ocupa a 7ª posição do ranking da Fifa. Participou de todas as edições da Copa do Mundo. Disputou duas finais e conquistou o primeiro título em 2011. É o atualcampeão asiático de futebol feminino. A técnica da seleção japonesa é a ex-jogadora Asako Takakura-Takemoto. A estrela do time é Mana Iwabuchi. Esta será a terceira participação em Copa do Mundo da atacante que despontou para o futebol mundial aos 15 anos.

Grupo E

Canadá

Ocupa a 5ª posição do ranking da Fifa. Soma seis participações em Copas do Mundo. O melhor resultado conquistado foi o 4º lugar em 1995. As canadenses não encontraram dificuldades para chegar até a disputa na França. Sofreram apenas uma derrota contra as americanas na fase de classificação. O técnico da equipe é o dinamarquês Kenneth Heiner-Moller. A atacante e artilheira Christine Sinclair participa pela quinta vez do Mundial, joga no time americano Portland Thorns FC.

Camarões

Ocupa a 46ª posição do ranking da Fifa. Participa pela segunda vez Copa do Mundo de Futebol Feminino. O melhor resultado foi em 2015 quando avançou para as oitavas de final. A equipe é comandada pelo técnico Alain Djeumfa. A estrela do time é a atacante Gabrielle Onguene, que joga no PFC CSKA Moscow.

Nova Zelândia

Ocupa a 19ª posição no ranking da Fifa. Participou quatro vezes da Copa do Mundo, mas nunca passou da primeira fase. É a atual campeã da Copa da Oceania.Conquistou vaga no Mundial ao vencer o Peru na repescagem intercontinental. O técnico da Nova Zelândia é escocês o Tom Sermanni, que já disputou três copas. A equipe conta com a também veterana Ali Riley, que atua no Chelsea.

Holanda

Ocupa o 8º lugar do ranking da Fifa. Na única vez que participou da Copa do Mundo (2015), foi eliminada nas oitavas de final. Desta vez, garantiu vaga na Copa da França pela repescagem. A técnica da seleção holandesa é Sarina Wiegman, eleita a melhor treinadora da Europa em 2017. A atacante Lieke Martens, que joga no Barcelona, foi eleita a melhor jogadora da Europa em 2017.

Grupo F

Estados Unidos

A líder do ranking da Fifa participou de todas as edições da Copa do Mundo. As americanas são campeãs da América do Norte, Central e Caribe de 2018. O título garantiu vaga na Copa da França 2018. A técnica é Jill Ellis. Em 2015, ela recebeu o título de melhor treinadora mundial feminina, mesmo ano em que conquistou o tricampeonato mundial. Julie Ertz é uma das principais jogadoras da equipe. Apesar de jogar na defesa já provou que é marcadora de gol também. Ela chega à Copa da França de 2019 no auge da sua carreira. Atualmente joga no Chicago Red Stars.

Tailândia

Ocupa a 34ª posição no ranking da Fifa. Participa pela segunda vez da Copa do Mundo. Confirmou vaga no mundial da França ao terminar em quarto lugar na Copa da Ásia, em uma disputa nos pênaltis contra a Austrália nas quartas de final. A equipe é comandada pela treinadora Nuengruethai Sathongwien. A seleção tailandesa conta com a atacante veterana Kanjana Sungngoen, jogadora veloz e forte do time.

Chile

Ocupa a 39ª posição no ranking da Fifa. A estreante na Copa da França 2019 é vice-campeã da Copa América de Futebol Feminina 2018. O técnico da equipe é o ex-goleiro Jose Letelier. Ele também soma títulos no futebol feminino desde 2010 e está a frente da seleção chilena desde 2015. A capitã do time é a goleira Christiane Endler, que atua no Paris Saint-Germain.

Suécia

Ocupa a 9ª posição no ranking da Fifa. Participou de todas as edições da Copa do Mundo. Confirmou a vaga no mundial ao terminar em primeiro lugar do grupo 4 na fase eliminatórias para França 2019. O experiente técnico Peter Gerhardsson já treinou também a seleção masculina e outras categorias. Uma das principais jogadoras é Stima Blackstenius, uma atacante rápida, ágil e com chute forte. Joga no time sueco Linköpings FC.

Da Agência Brasil

Entenda a copa de futebol feminino que será disputada na França

Publicada em 5 de junho de 2019 - 8:09

Imprimir
Entenda a copa de futebol feminino que será disputada na França

Última atualização: 10 , junho 2019 - 07:50

A 8ª Copa do Mundo de Futebol Feminino da FIFA será realizada na França entre os dias 7 de junho a 7 de julho. Neste ano, 24 equipes disputam o título. Desde 1991, a copa feminina ocorre de quatro em quatro anos. Os Estados Unidos são tricampeões (1991, 1999 e 2015) ; a Alemanha (2003, 2007), bicampeão; Noruega (1995) e Japão (2011) têm um título cada.

Cidades-sede

Paris – Parc de Princes. Estádio com capacidade para 47.600 torcedores.

Montpellier – Stade de la Mosson. Estádio com capacidade para 19.300 torcedores.

Nice – Stade de Nice. Estádio com capacidade para 35.100 torcedores.

Valenciennes – Stade du Hainaut. Estádio com capacidade para 22.600 torcedores.

Lyon – Stade de Lyon. Estádio com capacidade para 57.900 torcedores.

Reims – Stade Auguste-Delaune. Estádio com capacidade para 21.608 torcedores.

Le Havre – Stade Océane. Estádio com capacidade para 24.000 torcedores.

Grenoble – Stade des Alpes. Estádio com capacidade para 18.000 torcedores.

Rennes – Roazhon Park. Estádio com capacidade para 28.600 torcedores.

As seleções

9 representantes da Europa (UEFA – União das Associações Europeias de Futebol):
Inglaterra, França, Alemanha, Itália, Holanda, Noruega, Escócia, Espanha e Suécia.

3 representantes da América do Norte, Central e Caribe (CONCACAF – Confederação de Futebol da América do Norte, Central e Caribe):
Canadá, Jamaica e Estados Unidos.

3 representantes da América do Sul (CONMEBOL- Confederação Sul-Americana de Futebol):
Argentina, Brasil e Chile.

3 representantes da África (CAF – Confederação Africana de Futebol):
Camarões, Nigéria e África do Sul.

5 representantes da Ásia (AFC – Confederação Asiática de Futebol) :
China, Japão, Coréia do Sul, Tailândia e Austrália*.

1 representante da Oceania (OFC – Confederação de Futebol da Oceania):
Nova Zelândia

* Desde de 2006, a Austrália é filiada à AFC. Por isso disputa com países da Ásia e não do seu continente, a Oceania.

São estreantes na Copa da França 2019: África do Sul, Jamaica, Chile, e Escócia.

Disputaram todas as edições: Nigéria, Estados Unidos, Brasil, Japão, Noruega e Suécia.

Grupos

A – França, Coréia do Sul, Noruega e Nigéria

B – Alemanha, China, Espanha e África do Sul

C – Austrália, Itália, Brasil e Jamaica

D – Inglaterra, Escócia, Argentina e Japão

E – Canadá, Camarões, Nova Zelândia e Holanda

F – Estados Unidos, Tailândia, Chile e Suécia

Como é a disputa

As quatro equipes de cada grupo jogam entre si dentro do próprio grupo, classificam-se as duas primeiras de cada grupo, e as quatro melhores terceiro-colocadas.

Na fase seguinte, as 16 seleções iniciam então o mata-mata com oitavas de final, quartas de final, semifinais, disputa do terceiro lugar e final.

Critério de desempate

Para classificação em cada grupo:

Maior número de pontos em todos os jogos do grupo;
Maior saldo de gols em todos os jogos do grupo;
Ataque mais positivo em todos os jogos do grupo;
Maior número de pontos dentre os ainda empatados;
Maior saldo de gols dentre os ainda empatados;
Ataque mais positivo dentre os ainda empatados;
Menor número de pontos em cartões:
1 amarelo = – 1 ponto

2 amarelos = – 3 pontos

1 vermelho direto = – 4 pontos

1 amarelo + 1 vermelho = – 5 pontos

Para definir as posições dos terceiros colocados:

Maior número de pontos ganhos;
Maior saldo de gols;
Ataque mais positivo;
Critério dos cartões;
Sorteio
Das oitavas até a final

Em caso de empate no tempo regulamentar:

Prorrogação de 30 minutos
Disputa de pênaltis

Países que sediaram a Copa do Mundo de Futebol Feminino

1991 – China

1995 – Suécia

1999 – Estados Unidos

2003 – Estados Unidos

2007 – China

2011 – Alemanha

2015 – Canadá

Países que disputaram a final

1991 – Estados Unidos 2 x 1 Noruega

1995 – Noruega 2 x 0 Alemanha

1999 – Estados Unidos 0 x 0 China (5 x 4 pênaltis)

2003 – Alemanha 2 x 1 Suécia

2007 – Alemanha 2 x 0 Brasil

2011 – Japão 2 x 2 Estados Unidos (3 x 1 pênaltis)

2015 – Estados Unidos 5 x 2 Japão

Desempenho da seleção brasileira

O Brasil esteve em todas as edições da Copa do Mundo de Futebol Feminino. Disputou 30 jogos sendo 18 vitórias, 4 empates e 8 derrotas. Marcou 59 gols e sofreu 35.

1991 – Foi eliminado na fase de grupos

1995 – Foi eliminado fase de grupos

1999 – Terceiro lugar

2003 – Quartas de final

2007 – Vice-campeão

2011 – Quartas de final

2015 – Oitavas de final

Destaques individuais

Marta (Brasil) é a artilheira com 15 gols. A jogadora tem 33 anos, ainda está em atividade e vai disputar a Copa da França 2019.

Birgit Prinz (Alemanha) e Abby Wambach (Estados Unidos), vice-artilheiras com 14 gols. Ambas já se aposentaram.

Carli Lloyd (Estados Unidos) conquistou a bola de ouro em 2015. A atleta tem 36 anos, ainda em atividade e vai disputar a Copa da França 2019.

Hope Solo (Estados Unidos) foi eleita a melhor goleira das copas de 2011 e 2015. A atleta se aposentou em 2016.

Marta (Brasil) , Birgit Prinz (Alemanha) e Homare Sawa (Japão) ganharam a Bola de Ouro (craque da Copa) e a Chuteira de Ouro (artilheira da Copa).

Da Agência Brasil

Técnico Vadão convoca seleção brasileira de futebol feminino para Copa

Publicada em 17 de maio de 2019 - 7:58

Imprimir
Técnico Vadão convoca seleção brasileira de futebol feminino para Copa

Última atualização: 10 , junho 2019 - 07:47

O técnico da seleção brasileira de futebol feminino, Vadão, divulgou hoje (15), na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, os nomes das 23 jogadoras que vão representar o Brasil na Copa do Mundo da França 2019. Um dos destaques da convocação é a volante Formiga, que entrará para a história ao disputar a sua sétima Copa do Mundo, um recorde entre os atletas tanto no masculino quanto no feminino, e outro é a atacante Marta, eleita por seis vezes pela Fifa como melhor jogadora de futebol do mundo, sendo a última em 2018.

O Brasil estreia no dia 9 junho contra a Jamaica, em Grenoble. Quatro dias depois joga com a Austrália, em Montpellier, e termina a fase de grupos contra a Itália, no dia 18, em Valenciennes.

Os deslocamentos da seleção durante a Copa do Mundo será feito de acordo com a programação de jogos. Segundo o técnico, a expectativa do grupo é altamente positiva. “As nossas pretensões são sempre a de vencer. Temos condições de vencer. Teve um aumento significativo de seleções que vão disputar esse tão esperado título mundial, mas não vamos esquecer que essa dificuldade não é só para nós, é para os outros também. Haverá confrontos que podem culminar com a saída de uma grande seleção contra uma outra grande seleção. O nosso otimismo em relação a um bom resultado é o que está na cabeça de cada um de nós e na cabeça de cada uma das meninas”, disse.

Preparação

Vadão disse que na seleção convocada há atletas de qualidade ímpar com capacidade de resolver uma partida apenas usando qualidades individuais, coisa que muitos países não têm. De acordo com o técnico, o período de 15 dias de preparação será fundamental e os problemas recentes de baixo rendimento da seleção ficarão para trás.

“Acho que estaremos muito mais preparados depois desses 15 dias, coisa que a gente não teve nesses amistosos. Aqueles resultados negativos são passado. O presente é o que vale. O que vale é a pontuação e o Mundial. É nisso que estamos focando”, disse.

A preparação da seleção feminina para a Copa do Mundo da França será em Portimão, na região do Algarve, em Portugal. O local foi escolhido para facilitar a aclimatação da equipe à temperatura e ao fuso horário. As atletas e a comissão técnica chegarão no dia 22 de maio e permanecerão lá até o 5 de junho, seguindo, então, para Grenoble. A base da seleção será o Centro de Treinamento do Portimonense Sporting Clube e terá à sua disposição o campo do Penina Hotel & Golf Resort, onde ficará hospedada.

“A escolha de Portimão foi com apoio do clube local, que nos ofereceu toda a sua estrutura para a gente fazer 14 dias de trabalho lá, que esperamos seja bastante proveitoso para um grande momento na seleção brasileira na Copa do Mundo da França”, disse o coordenador de seleções femininas da CBF, Marco Aurélio Cunha.

Cunha informou que a presidente da Federação Paraibana de Futebol, Michelle Ramalho, será a chefe da delegação na Copa do Mundo. Essa não é a primeira vez que ela ocupará o cargo. A primeira foi na Austrália. “Esperamos fazer um ótimo campeonato, uma grande Copa do Mundo e seguramente somos também candidato ao título”, disse Cunha.

O coordenador de seleções femininas agradeceu às 51 atletas que estiveram em jogos na fase que antecedeu à convocação. Se dirigindo às que não estão na lista, disse que deixava a sua gratidão e a expectativa de que sempre haverá portas abertas e oportunidades em novos torneios.

Cunha disse que a lista ainda pode sofrer modificação até o dia 26, caso ocorra algum caso de lesão, uma vez que ainda há competições em andamento com participações de jogadoras brasileiras, como a Copa de Portugal e o Campeonato Brasileiro. “Esperamos que ninguém se lesione, mas ela está aberta até o momento da viagem, que será no dia 21 para Portugal”

Lista de convocadas
Goleiras:
Aline – UD Granadilla Tenerife (Espanha)
Bárbara – Avaí/Kindermann (Brasil)
Letícia – Corinthians (Brasil)

Defensoras:
Camila – Orlando Pride (EUA)
Érika – Corinthians (Brasil)
Fabiana – Internacional (Brasil)
Kathellen – FC Bordeaux (França)
Letícia – Sportclub Sand (Alemanha)
Mônica – Corinthians (Brasil)
Tamires – Fortuna Hjorring (Dinamarca)
Tayla – Benfica (Portugal)

Meio-campistas:
Adriana – Corinthians (Brasil)
Andressinha – Portland Thorns (EUA)
Formiga – Paris St Germain (França)
Thaisa – Milan (Itália)

Atacantes:
Andressa Alves – Barcelona (Espanha)
Bia Zaneratto – Incheon Hyundai Steel Red Angels (Coreia do Sul)
Cristiane – São Paulo (Brasil)
Debinha – North Carolina Courage (EUA)
Geyse – Benfica (Portugal)
Ludmila – Atlético de Madrid (Espanha)
Marta – Orlando Pride (EUA)
Raquel – Sporting Club Huelva (Espanha)

Da Agência Brasil

Com dois a menos, River supera o Flamengo e se classifica no Piauiense Sub-19

A partida começou a ficar mais difícil para o River logo nos primeiros minutos de jogo

Publicada em 25 de abril de 2019 - 14:51

Imprimir
Com dois a menos, River supera o Flamengo e se classifica no Piauiense Sub-19

Última atualização: 10 , junho 2019 - 07:44

Foi na base da vontade e do talento que o River superou o Flamengo no clássico Rivengo desta quarta-feira (25/04), válido pela segunda rodada da primeira fase do Campeonato Piauiense Sub-19. O tricolor venceu por 2×0 com menos dois jogadores em campo pela maior parte do tempo de jogo.

A partida começou a ficar mais difícil para o River logo nos primeiros minutos de jogo. Após uma dividida, o juiz entendeu que Moisés, atacante do River que estava com a posse da bola, deixou o pé e acertou o adversário, o expulsando direto.

No entanto, mesmo com um jogador a menos, o River mostrou superioridade e abriu o placar com Felipe Codó, que recebeu de Victor e marcou.

No segundo tempo, Felipe Codó, autor do gol da partida até então, precisou ser atendido no gramado, contudo, o árbitro entendeu que ele estava retardando o reinício do jogo e o expulsou apresentando dois cartões amarelos em sequência.

Com dois a menos, o River não se intimidou e teve boas chances de ampliar. Índio, por duas vezes, acertou o travessão do Flamengo. Lukinha, cara a cara com o goleiro, acabou tendo o chute defendido.

Mas aos 42 minutos, a defesa do Flamengo parou com pênalti uma grande jogada de Lukinha. Na cobrança, Romarinho bateu com categoria, deslocando o goleiro, e dando números finais à partida.

Com a segunda vitória em dois jogos, o River garante, com uma rodada de antecedência, classificação para a segunda fase do Piauiense Sub-19 e continua na luta pelo pentacampeonato.

Na rodada decisiva da primeira fase, o Galo enfrenta o Piauí no próximo domingo (28/04), no estádio Lindolfo Monteiro, em Teresina, às 18h.

River anuncia Marcinho Guerreiro como novo treinador do time

Com a estreia marcada para o dia 5 de maio, quando enfrenta o Bragantino (PA) no estádio Albertão, o River terá duas semanas de preparação intensa até a partida

Publicada em 23 de abril de 2019 - 14:47

Imprimir
River anuncia Marcinho Guerreiro como novo treinador do time

Última atualização: 10 , junho 2019 - 07:44

Focado no acesso à Série C do Campeonato Brasileiro, o River voltou aos treinos nesta segunda-feira (22/04) após a folga conquistada com o título do Campeonato Piauiense. A novidade foi a apresentação de Marcinho Guerreiro, novo treinador do time. 

Com a estreia marcada para o dia 5 de maio, quando enfrenta o Bragantino (PA) no estádio Albertão, o River terá duas semanas de preparação intensa até a partida. Para o treinador, o tempo não é o ideal, mas o grupo estará pronto:

“A gente vai trabalhar. São duas semanas, não é um tempo suficiente, mas nós temos jogadores de qualidade, inteligentes, que vão assimilar o trabalho. Futebol é repetição e, quando chegarmos na estreia, estarmos pelo menos 70% prontos”, falou Marcinho.

O treinador também acredita em uma conexão forte com a torcida riverina para ser um fator favorável a mais em campo durante a Série D:

“Você vem de um estadual sendo campeão e a torcida está empolgada. Gosto muito disso. Eu digo que gosto do meu time tendo a posse de bola, jogando para cima. A gente vai fazer uma time forte, competitivo, com uma pegada bem forte e, quando for para jogar, ter qualidade para a gente buscar os resultados”, disse o treinador. 

Além de Marcinho Guerreiro, também foram apresentados o auxiliar-técnico Cícero Monteiro, o preparador físico Gabriel Júnior, o preparador de goleiros Airton Higuita e o fisiologista Vinícius Villela. 

Na Série D do Campeonato Brasileiro, o River estreia no dia 5 de maio, contra o Bragantino (PA), em Teresina. No grupo A-4 da competição, o Galo ainda enfrenta o Floresta (CE) e o Santa Cruz de Natal (RN).

CAMPEONATO

Classificado como líder, River encara o Parnahyba na semifinal do Piauiense

A rodada decisiva da primeira fase do estadual aconteceu nesta quarta-feira (28)

Publicada em 28 de março de 2019 - 14:44

Imprimir
Classificado como líder, River encara o Parnahyba na semifinal do Piauiense

Última atualização: 10 , junho 2019 - 07:43

O River está na semifinal do Campeonato Piauiense 2019 e conseguiu a classificação como líder da competição, garantindo assim vantagens na disputa pela vaga na decisão do estadual. O adversário do River será o Parnahyba, quarto colocado.

A rodada decisiva da primeira fase do estadual aconteceu nesta quarta-feira (28). No estádio Albertão, em Teresina, o Galo empatou sem gols com o Piauí. O ponto conquistado foi suficiente para garantir a liderança ao clube tricolor.

Na semifinal, o River decidirá a vaga em casa. Além disso, estará classificado em caso de vitória ou empate na soma total de gols nas duas partidas.

Além de River e Parnahyba, 4 de Julho e Altos também continuam na disputa do Campeonato Piauiense. As semi-finais estão marcadas para quarta-feira (03/04) e domingo (07/04), mas a Federação de Futebol do Piauí pode alterar essas datas em reunião que acontece nesta quinta-feira (28/03).

lazer

Colônia de Férias no Lagoas do Norte inicia com Festival de Pipas

A Colônia de Férias se estende até a próxima sexta-feira (27)

Publicada em 22 de julho de 2018 - 20:43

Imprimir
Colônia de Férias no Lagoas do Norte inicia com Festival de Pipas

Última atualização: 22 , julho 2018 - 20:43

As crianças residentes no entorno do Parque Lagoas do Norte, beneficiadas com a Colônia de Férias, viram de perto o Festival de Pipas 2018 na manhã deste domingo (22). Os pequenos também tiveram acesso a várias brincadeiras, práticas esportivas e atividades culturais.

O Festival de Pipas começou por volta de 8 horas da manhã, e foi aberto para toda a população. Paralelo ao evento, também teve início as outras atividades da Colônia de Férias, com práticas esportivas, brinquedos, teatro de bonecos, apresentações de capoeira e brincadeiras com o Palhaço Chocolate.

 

A Colônia de Férias se estende até a próxima sexta-feira (27), incluindo oficina de construção de objetos com material reciclado, como berimbaus e bois do espetáculo de Boi Bumbá, além de várias atividades esportivas como handebol de areia, atletismo, futebol, entre outras.

Redação Piauí Agora