Brasil perde para França e dá adeus à Copa do Mundo

Publicada em 23 de junho de 2019 - 20:13

Imprimir
Brasil perde para França e dá adeus à Copa do Mundo

Última atualização: 24 , junho 2019 - 11:01

O Brasil foi derrotado pela França por 2 a 1 na prorrogação e deu adeus à Copa do Mundo de Futebol Feminino. Na partida realizada no estádio Océane, em Le Havre, a equipe brasileira lutou muito e teve sua melhor atuação na competição, mas não foi o suficiente para ultrapassar as oitavas de final.

Já a França, que contou com o apoio de sua torcida, espera agora o vencedor de Espanha e Estados Unidos para saber qual será o seu próximo adversário na busca pelo inédito título na Copa do Mundo.

O jogo

A França começou muito bem. Tomando a iniciativa da partida e criando chances claras, enquanto o Brasil encontrava dificuldades de sair jogando, optando por lançamentos longos.

Mas a primeira chance clara é do Brasil. Aos 8 minutos, Marta recebe, se livra de duas adversárias e chuta ao lado do gol da França.

Dois minutos depois, a França consegue uma boa oportunidade, em cobrança ensaiada de falta de Henry. A meia chuta forte, por cima do gol.

A França continuou pressionando. E aos 22 minutos, Diani avança pela direita e cruza da linha de fundo. Bárbara sai mal e Gauvin consegue escorar de ombro para o fundo do gol. De início, a árbitra confirma o gol. Mas o VAR (árbitro de vídeo) sinaliza que há um toque de mão ilegal de Gauvin. E, após uma longa parada, o gol é anulado.

Após o gol anulado, o Brasil melhora e consegue boas chances. Aos 42 minutos, Cristiane avança pela esquerda e chuta com violência para a goleira Bouhaddi escorar para fora.

Mas a partida é aberta e no final do tempo regulamentar a França tem ótima oportunidade com Majri, que chuta forte para fora após passe de Bussaglia.

Gols no 2º tempo

O segundo tempo começa com as duas equipes partindo em busca da vitória. Um jogo emocionante.

E aos 6 minutos, Diani recebe bola na direita, deixa Tamires para trás e cruza rasteiro da linha de fundo para Gauvin, que bate de primeira para abrir o marcador.

Porém, o Brasil não se entregou. Três minutos após o gol francês, o Brasil tem chance clara. Marta cobra falta para Cristiane, que acerta a bola no travessão do gol de Bouhaddi.

E a equipe brasileira conseguiu chegar ao empate aos 18 minutos. Debinha avançou pela esquerda e cruzou para Cristiane, mas Renard corta a bola, que sobra para Thaísa, que chega chutando cruzado para vencer Bouhaddi. Após consulta ao VAR, a árbitra confirma o gol brasileiro.

O Brasil continua pressionando as francesas. E aos 29 minutos, Debinha rouba bola de Mbock, na saída de bola, e chuta com perigo da entrada da área. Mas Bouhaddi consegue defender com segurança.

Aos 39 minutos, Cristiane puxa contra-ataque perigoso, mas é parada com falta de Diani. Andressinha vai para cobrança. Chuta muito forte para defesa segura de Bouhaddi.

Dois minutos depois, Cristiane lança Tamires livre. E a meia brasileira chuta para o fundo do gol da França. Mas a árbitra assinala, com correção, impedimento do ataque do Brasil. Gol anulado.

Mas o jogo permanece empatado até o final do tempo regulamentar. E com isto a partida vai para a prorrogação.

Henry decide

No primeiro tempo extra, tanto Brasil como França realizam um jogo franco, com chances claras de marcar dos dois lados. Mas o placar permanece em 1 a 1.

Contudo, na segunda etapa do tempo extra, a França consegue tirar a igualdade do marcador. Com menos de um minuto, Majri levanta bola na área brasileira e Henry aparece livre para finalizar de primeira e fazer 2 a 1.

Com a desvantagem no marcador, a equipe brasileira avança e oferece espaços para a França, que aproveita para contra-atacar.

Em um destes lances, Diani avança livre pela direita e chuta cruzado para boa defesa para a goleira Bárbara. Já o Brasil pouco conseguia produzir.

Até que o tempo extra chega ao fim, marcando o ponto final da participação brasileira na Copa do Mundo de 2019.

Ficha técnica:
Domingo, 23 de junho de 2019

FRANÇA 2 x 1 BRASIL

Competição: Mundial Feminino (oitavas de final)

Local: Le Havre, França

Juíza: Marie-Soleil Beaudoin (Canadá)

França: Bouhaddi; Torrent (Perisset), Mbock Bathy Nka, Renard e Majri; Henry, Bussaglia, Asseyi (Thiney) e Diani; Le Sommer e Gauvin (Cascarino). T: Corinne Diacre

Brasil: Bárbara; Letícia Santos (Poliana), Kathellen, Mônica e Tamires; Thaísa, Formiga (Andressinha) e Andressa Alves, Debinha e Ludmilla (Beatriz); Marta e Cristiane (Geyse). T: Vadão

Gols: No 2º tempo: Gauvin (6), Thaísa (18). No 2º tempo da prorrogação: Henry (1)

Da Agência Brasil

Marta treina, faz gols e mostra que está recuperada da lesão muscular

Publicada em 12 de junho de 2019 - 7:39

Imprimir
Marta treina, faz gols e mostra que está recuperada da lesão muscular

Última atualização: 12 , junho 2019 - 07:40

Depois de mais de 15 dias no departamento médico, tratando de uma lesão muscular na coxa esquerda, a atacante Marta voltou nessa terça-feira (11) a treinar com as demais companheiras da seleção, no Complexo Esportivo Roger Bambuck, em Montpellier.A jogadora, eleita mais uma vez como a melhor do mundo pela Federação Internacional de Futebol (Fifa), participou de atividade de posse de bola e chutes a gol e de um coletivo, comandado pelo técnico Vadão. Durante o coletivo, Marta se movimentou bastante, com rápidos toques de bola e fez gols, mostrando que está recuperada da lesão.

Marta volta a treinar com as demais jogadoras
Marta volta a treinar com as demais jogadoras – Divulgação CBF

O trabalho realizado pelo treinador é preparatório para o próximo jogo do Brasil nesta quinta-feira (13), às 13h, em Montpellier. A seleção vai defender a liderança do Grupo C contra a Austrália. As australianas, que perderam para a Itália por 2 a 1, precisam vencer para manter a esperança de passar para a próxima fase da Copa do Mundo. Uma vitória garante às brasileiras a classificação.

Brasil e Austrália sempre fazem jogos parelhos. Na Copa do Mundo do Canadá, em 2015, as duas seleções se enfrentaram nas oitavas de final. Na ocasião, as brasileiras foram eliminadas ao perder por 1 a 0. Já nos Jogos do Rio, em 2016, as australianas foram eliminadas pelo Brasil, nas quartas de final, em decisão nos pênaltis.

Andressa Alves

Para Andressa Alves Andressa, jogar em Montpellier é se sentir em casa
Para Andressa Alves, jogar em Montpellier é se sentir em casa – Divulgação CBF

Para Andressa Alves, jogar em Montpellier é se sentir em casa. Foi no clube da cidade francesa que a brasileira iniciou sua carreira internacional, após sair do time feminino do São José, no interior de São Paulo. A atacante passou a temporada de 2015/2016 no Montpellier Hérault Sports Club, quando chegou a disputar a final da Copa da França vencida pelo Lyon. Atualmente, Andressa está no Barcelona.

“Me sinto muito bem em voltar pra cá, foi o clube que me abriu as portas na Europa. Agradeço muito ao Montpellier, aos diretores e as pessoas que me ajudaram durante a passagem pelo clube. O futebol feminino aqui é muito forte e me trouxe muita alegria”, disse.

Da Agência Brasil

Entenda a copa de futebol feminino que será disputada na França

Publicada em 5 de junho de 2019 - 8:09

Imprimir
Entenda a copa de futebol feminino que será disputada na França

Última atualização: 10 , junho 2019 - 07:50

A 8ª Copa do Mundo de Futebol Feminino da FIFA será realizada na França entre os dias 7 de junho a 7 de julho. Neste ano, 24 equipes disputam o título. Desde 1991, a copa feminina ocorre de quatro em quatro anos. Os Estados Unidos são tricampeões (1991, 1999 e 2015) ; a Alemanha (2003, 2007), bicampeão; Noruega (1995) e Japão (2011) têm um título cada.

Cidades-sede

Paris – Parc de Princes. Estádio com capacidade para 47.600 torcedores.

Montpellier – Stade de la Mosson. Estádio com capacidade para 19.300 torcedores.

Nice – Stade de Nice. Estádio com capacidade para 35.100 torcedores.

Valenciennes – Stade du Hainaut. Estádio com capacidade para 22.600 torcedores.

Lyon – Stade de Lyon. Estádio com capacidade para 57.900 torcedores.

Reims – Stade Auguste-Delaune. Estádio com capacidade para 21.608 torcedores.

Le Havre – Stade Océane. Estádio com capacidade para 24.000 torcedores.

Grenoble – Stade des Alpes. Estádio com capacidade para 18.000 torcedores.

Rennes – Roazhon Park. Estádio com capacidade para 28.600 torcedores.

As seleções

9 representantes da Europa (UEFA – União das Associações Europeias de Futebol):
Inglaterra, França, Alemanha, Itália, Holanda, Noruega, Escócia, Espanha e Suécia.

3 representantes da América do Norte, Central e Caribe (CONCACAF – Confederação de Futebol da América do Norte, Central e Caribe):
Canadá, Jamaica e Estados Unidos.

3 representantes da América do Sul (CONMEBOL- Confederação Sul-Americana de Futebol):
Argentina, Brasil e Chile.

3 representantes da África (CAF – Confederação Africana de Futebol):
Camarões, Nigéria e África do Sul.

5 representantes da Ásia (AFC – Confederação Asiática de Futebol) :
China, Japão, Coréia do Sul, Tailândia e Austrália*.

1 representante da Oceania (OFC – Confederação de Futebol da Oceania):
Nova Zelândia

* Desde de 2006, a Austrália é filiada à AFC. Por isso disputa com países da Ásia e não do seu continente, a Oceania.

São estreantes na Copa da França 2019: África do Sul, Jamaica, Chile, e Escócia.

Disputaram todas as edições: Nigéria, Estados Unidos, Brasil, Japão, Noruega e Suécia.

Grupos

A – França, Coréia do Sul, Noruega e Nigéria

B – Alemanha, China, Espanha e África do Sul

C – Austrália, Itália, Brasil e Jamaica

D – Inglaterra, Escócia, Argentina e Japão

E – Canadá, Camarões, Nova Zelândia e Holanda

F – Estados Unidos, Tailândia, Chile e Suécia

Como é a disputa

As quatro equipes de cada grupo jogam entre si dentro do próprio grupo, classificam-se as duas primeiras de cada grupo, e as quatro melhores terceiro-colocadas.

Na fase seguinte, as 16 seleções iniciam então o mata-mata com oitavas de final, quartas de final, semifinais, disputa do terceiro lugar e final.

Critério de desempate

Para classificação em cada grupo:

Maior número de pontos em todos os jogos do grupo;
Maior saldo de gols em todos os jogos do grupo;
Ataque mais positivo em todos os jogos do grupo;
Maior número de pontos dentre os ainda empatados;
Maior saldo de gols dentre os ainda empatados;
Ataque mais positivo dentre os ainda empatados;
Menor número de pontos em cartões:
1 amarelo = – 1 ponto

2 amarelos = – 3 pontos

1 vermelho direto = – 4 pontos

1 amarelo + 1 vermelho = – 5 pontos

Para definir as posições dos terceiros colocados:

Maior número de pontos ganhos;
Maior saldo de gols;
Ataque mais positivo;
Critério dos cartões;
Sorteio
Das oitavas até a final

Em caso de empate no tempo regulamentar:

Prorrogação de 30 minutos
Disputa de pênaltis

Países que sediaram a Copa do Mundo de Futebol Feminino

1991 – China

1995 – Suécia

1999 – Estados Unidos

2003 – Estados Unidos

2007 – China

2011 – Alemanha

2015 – Canadá

Países que disputaram a final

1991 – Estados Unidos 2 x 1 Noruega

1995 – Noruega 2 x 0 Alemanha

1999 – Estados Unidos 0 x 0 China (5 x 4 pênaltis)

2003 – Alemanha 2 x 1 Suécia

2007 – Alemanha 2 x 0 Brasil

2011 – Japão 2 x 2 Estados Unidos (3 x 1 pênaltis)

2015 – Estados Unidos 5 x 2 Japão

Desempenho da seleção brasileira

O Brasil esteve em todas as edições da Copa do Mundo de Futebol Feminino. Disputou 30 jogos sendo 18 vitórias, 4 empates e 8 derrotas. Marcou 59 gols e sofreu 35.

1991 – Foi eliminado na fase de grupos

1995 – Foi eliminado fase de grupos

1999 – Terceiro lugar

2003 – Quartas de final

2007 – Vice-campeão

2011 – Quartas de final

2015 – Oitavas de final

Destaques individuais

Marta (Brasil) é a artilheira com 15 gols. A jogadora tem 33 anos, ainda está em atividade e vai disputar a Copa da França 2019.

Birgit Prinz (Alemanha) e Abby Wambach (Estados Unidos), vice-artilheiras com 14 gols. Ambas já se aposentaram.

Carli Lloyd (Estados Unidos) conquistou a bola de ouro em 2015. A atleta tem 36 anos, ainda em atividade e vai disputar a Copa da França 2019.

Hope Solo (Estados Unidos) foi eleita a melhor goleira das copas de 2011 e 2015. A atleta se aposentou em 2016.

Marta (Brasil) , Birgit Prinz (Alemanha) e Homare Sawa (Japão) ganharam a Bola de Ouro (craque da Copa) e a Chuteira de Ouro (artilheira da Copa).

Da Agência Brasil

Copa do Mundo na Rússia

França vence de 4 a 2 da Croácia e é a campeã da Copa do Mundo

Com a vitória, França torna-se bicampeã da Copa do Mundo.

Publicada em 15 de julho de 2018 - 19:02

Imprimir
França vence de 4 a 2 da Croácia e é a campeã da Copa do Mundo

Última atualização: 15 , julho 2018 - 19:04

A França tornou-se a campeã da Copa do Mundo 2018 na Rússia e a Croácia leva para casa o título de vice-campeã. A final aconteceu neste domingo, (15/07), às 12hs, horário de Brasília, no Estádio Lujniki, na Rússia. A seleção francesa torna-se bicampeã da Copa do Mundo.

O placar foi aberto com gol contra a favor da França, de Mario Mandžukić. Minutos após, Croácia empatou o placar, com gol de Ivan Perišić. França avançou no placar com gol de pênalti marcado por Antoine Griezmann.

A seleção francesa foi dominando o jogo e no segundo tempo marcou o terceiro gol de Paul Pogba. E logo em seguida, Kylian Mbappé marcou o seu para assinar a brilhante trajetória durante o campeonato.

Apesar da goleada, não desanimou a Croácia que seguia com muita garra e conseguiram reduzir a diferença, com gol de Mario Mandžukić.

 

Copa do Mundo 2108

França derrota Bélgica e garante vaga na final da Copa

Com a vitória, França segue para a final e Bélgica é eliminada.

Publicada em 10 de julho de 2018 - 17:53

Imprimir
França derrota Bélgica e garante vaga na final da Copa

Última atualização: 10 , julho 2018 - 17:53

França venceu da Bélgica por 1 a 0 na tarde desta terça-feira, (10/07), pela semi-final no Estádio São Petersburgo, na Rússia. Com a vitória, França garante vaga na final da Copa do Mundo 2018 e Bélgica lutará para o terceiro lugar.

A partida foi para lá de movimentada e com várias chances de gols para ambos os lados. No entanto, o único gol da partida foi do zagueiro Samuel Umtiti, já no segundo tempo do jogo. Escanteio fechado de Griezmann, Umtiti se antecipa a Felaini e consegue o desvio de cabeça, mandando pro fundo da rede.

A seleção francesa é dirigido pelo técnico Didier Deschamps, capitão no título de 1998. Já a estrela da partida foi Samuel Umtiti, 24 anos, que é natural de Camarões na África do Sul.

ÚLTIMA DA SEMI-FINAL

Amanhã, (11/07),  a partir das 15hs (horário de Brasília), será a vez da decisão para a última vaga da final entre Inglaterra e Croácia, no Estádio Lujniki, em Moscou na Rússia.

encontrado morto

Famoso chef e apresentador Anthony Bourdain morre na França

Publicada em 8 de junho de 2018 - 9:34

Imprimir
Famoso chef e apresentador Anthony Bourdain morre na França

Fonte: Daniely Viana

Última atualização: 8 , junho 2018 - 09:34

O mundo da gastronomia está em luto nesta sexta-feira (08/06). Um dos chefs de cozinha mais famosos da atualidade e apresentador de um programa de culinária, Anthony Bourdain, 61 anos, foi encontrado morto em um quarto na França.

A CNN, emissora na qual Anthony trabalhava, confirmou em nota que a causa da morte foi suicídio. “Seu amor por grandes aventuras, novos amigos, boa comida e bebida e histórias incríveis pelo mundo fez dele um contador de histórias único. Seus talentos nunca deixaram de nos surpreender e vamos sentir muito a sua falta”, disse a rede.

Ainda de acordo com a emissora, o corpo foi encontrado por um amigo do chef em seu quarto de hotel, em Estrasburgo, no leste do país. Anthony estava na cidade gravando episódios do programa “Parts unknown”.

Na atração, ele viaja por vários países provando os sabores da gastronomia local, sempre narrando suas experiências. Mas foi no programa “Anthony Bourdain: No reservations”, que ele ficou mundialmente conhecido.