CÂNCER INFANTIL

Com diagnóstico precoce o câncer infantil tem 80% de chances de cura 

O último dia 23 foi marcado como o Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantil.

Publicada em 27 de novembro de 2018 - 18:40

Imprimir
Com diagnóstico precoce o câncer infantil tem 80% de chances de cura 

Última atualização: 28 , novembro 2018 - 12:40

Embora seja a maior causa de mortes por doença na faixa dos 5 aos 19 anos, quando descoberto o mais cedo possível, o câncer infantil tem grandes chances de cura. Dados da Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer indicam que, no mundo todo, cerca de 215 mil casos são diagnosticados todos os anos em menores de 15 anos, além de 85 mil casos entre adolescentes de 15 a 19 anos.

O último dia 23 foi marcado como o Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantil. A data marcou as ações para sensibilizar pais, médicos e toda a sociedade para a importância de se estar atento ao diagnóstico precoce.

A pediatra, Ana Karina Miranda, destaca que os  sintomas do câncer infantil podem ser confundidos com os sintomas de inúmeras outras doenças.

“Por isso que tudo começa com a atenção dos pais, observando e ficando atentos a situações como perda de peso exagerada, presença de caroços, hematomas ou outros sintomas que chamem atenção, ficar atento aos sintomas que vão e voltam”, explica a médica.

Existem vários tipos de câncer infantil, mas os tumores mais freqüentes na infância e na adolescência são as leucemias (que afeta os glóbulos brancos), os do sistema nervoso central e linfomas (sistema linfático). Manchas roxas pelo corpo, palidez prolongada, pouca atividade, presença de febre prolongada, dores nas pernas, sangramentos gengivais são os sintomas mais comuns de leucemia na infância e na adolescência.

“Uma diferença importante entre o câncer infantil e o adulto é de que, ao contrário do câncer em adulto, o câncer infantil , geralmente, não está relacionado a fatores ambientais e comportamentais. É importante que a família saiba disso para que não haja nenhuma culpa ou problemas de aceitação no enfrentamento da doença. Em casos raros é que o câncer infantil está ligado a causas hereditárias”, acrescenta Ana Karina.

tratamento

Simaria revela aos fãs novo problema de saúde

A revelação foi divulgada pela própria cantora no domingo (23/09).

Publicada em 24 de setembro de 2018 - 13:18

Imprimir
Simaria revela aos fãs novo problema de saúde

Última atualização: 24 , setembro 2018 - 13:20

Afastada dos palcos devido ao tratamento para se curar de uma Tuberculose Ganglionar, Simaria está com mais um problema de saúde: gastrite. A revelação foi divulgada pela própria cantora no domingo (23/09).

Simaria passou mal no último dia 15 de setembro e não conseguiu se apresentar com a irmã no último show.  No post, ela explica que a sua ausência foi causada por uma inflamação no estômago, devido a uma bactéria, provavelmente presente em uma comida que ela havia ingerido.

“Por esses motivos, meu medico Dr. David Uip, em comum acordo com a equipe dele, decidiram me afastar dos shows, mas continuarei trabalhando no nosso DVD, que estar por vir e vai ficar lindo, e alguns outros compromissos previamente autorizados pelo Dr. David”, diz.

A cantora gradeço o carinho dos fãs e promete que vai dividir com o público sua rotina o afastamento.

Causas e Tratamento

Mitos e Verdades sobre Osteoporose

A doença atinge 10 milhões de brasileiros e deve crescer 32% até 2050 no país.

Publicada em 6 de junho de 2018 - 16:46

Imprimir
Mitos e Verdades sobre Osteoporose

Fonte: Redação Piauí Agora

Última atualização: 6 , junho 2018 - 16:46

A osteoporose é uma patologia que acelera a perda de massa óssea, deixando os ossos mais frágeis e porosos. Ela costuma surgir na terceira idade e provoca a diminuição da absorção de minerais e de cálcio. Com isso, os riscos de fraturas aumentam, principalmente no quadril, costela e colo do fêmur. De acordo com a Fundação Internacional da Osteoporose, a doença atinge 10 milhões de brasileiros e deve crescer 32% até 2050 no país.

Há muitas dúvidas sobre as causas e tratamentos da doença. Por isso, convidamos o Dr. Levi Jales Neto, reumatologista na Rede de Hospitais São Camilo de SP, para esclarecer o que é MITO e o que é VERDADE. Confira:

  1. MITO ou VERDADE: apenas as mulheres desenvolvem a patologia.

MITO. Homens também têm osteoporose, sendo prevalente após os 70 anos. Segundo a Fundação Internacional da Osteoporose, uma em cada três mulheres acima de 50 anos terá osteoporose. Entre os homens, o índice é de um em cinco. A chance entre as mulheres é maior por causa da diminuição de alguns hormônios após menopausa.

 

  1. MITO ou VERDADE: apenas os laticínios são fontes boas de cálcio.

MITO. Existe cálcio também de origem vegetal.  Como nozes, sementes, alho e vegetais de folha verde escura. É importante a consulta com o nutricionista para adaptar fontes variadas de cálcio no cardápio.

  1. MITO ou VERDADE: hábitos alimentares ruins na infância podem influenciar no surgimento da doença.

VERDADE. A massa óssea é formada na infância e adolescência e necessita do cálcio e da vitamina D para sua formação, geralmente proveniente de uma dieta equilibrada e exposição solar.

  1. MITO ou VERDADE: é arriscado praticar atividades físicas quando há o diagnóstico da doença.

MITO. Somente as atividades de elevado impacto e atividades com flexão da coluna podem aumentar a incidência de fratura.

  1. MITO ou VERDADE: osteoporose pode ser uma doença silenciosa.

VERDADE. A maioria dos casos de osteoporose só é diagnosticada após a fratura, porque não apresentam sintomas. Por isso, é necessária a investigação com densitometria óssea durante os exames anuais para tratarmos preventivamente.

  1. MITO ou VERDADE: osteoporose não possui cura e tratamento.

MITO. Apesar de não haver cura, existem diversos tratamentos incluindo medicamentos e medidas não medicamentosas. O tratamento depende de cada paciente, por isso é fundamental acompanhamento médico.

  1. MITO ou VERDADE: a principal forma de prevenção é ter uma alimentação equilibrada e praticar exercícios físicos

VERDADE. Diversos estudos comprovam essas medidas como prevenção. Por isso é fundamental a inclusão de alimentos ricos em cálcio na dieta, além de manter uma alimentação equilibrada. Já a atividade física exerce pressão sob o tecido ósseo, estimulando sua formação e rigidez. Sem contar o desenvolvimento do reflexo e equilíbrio, prevenindo quedas.