Zona Norte

Corpo de mulher é encontrado despido e com sinais de espancamento

O corpo foi encontrado por moradores da região, que informaram que ela foi vista pela última vez na noite da última sexta (18/05).

Publicada em 20 de Maio de 2018 - 11:08

Publicado por | Fonte: Márcia Gabriele

Imprimir
Corpo de mulher é encontrado despido e com sinais de espancamento

Última atualização: 20 , Maio 2018 - 11:08

O corpo de uma mulher, identificada como Marinalva Teixeira da Silva, foi encontrado nesse sábado, (19/05), as margens do Rio Poti, Bairro Água Mineral, zona Norte de Teresina, despido e com sinais de espancamento.

O corpo foi encontrado por moradores da região, que informaram que ela foi vista pela última vez na noite da última sexta (18/05).

De acordo com o tenente José Maria, 9º Batalhão, além dos sinais de espancamento, a perícia cadavérica irá analisar as reais causas da morte de Marinalva.

“Nós fomos informados que ela era usuária de drogas e pode ter sido acerto de contas. Mas o crime será devidamente investigado”, ressaltou.

O Instituto de Medicina Legal (IML), o Corpo de Bombeiros e a perícia foram acionadas para as devidas providências e o caso será investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Violência Contra á Mulher

É revelada identidade de mulher morta na Avenida Maranhão

A vítima é Areta Dantas Claro, 32 anos, que era cabeleireira e residia no Bairro Saci, zona Sul de Teresina.

Publicada em 15 de Maio de 2018 - 16:26

Publicado por | Fonte: Márcia Gabriele

Imprimir
É revelada identidade de mulher morta na Avenida Maranhão

Última atualização: 16 , Maio 2018 - 16:26

A Polícia Civil do Piauí, por meio da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), conseguiu a identificar a mulher encontrada morta nesta terça-feira, (15/05), na Avenida Maranhão, Centro/Sul de Teresina.

A vítima é Areta Dantas Claro, 32 anos, era cabeleireira e residia no Bairro Saci, zona Sul de Teresina. Ela apresenta lesões no corpo causado por atropelamento, cerca de 20 perfurações com arma branca e está sem uma parte do couro cabeludo e rosto desfigurado.

De acordo com o delegado Francisco Barretta, coordenador da Delegacia de Homicídios, a polícia segue a investigação na tentativa de descobrir os últimos passos e o autor do crime.

A polícia trabalha com suspeita de homicídio, mas todos os crimes violentos cometidos contra a mulher têm que ser enviados ao Núcleo de Feminícidio”, pontuou.

A coordenadoria do Núcleo de Feminicídio da Polícia Civil do Piauí, coordenada pela delegada Luana Alves, ajudará nas investigações.