Casos de dengue no Piauí seguem em crescimento, diz Sesapi

Publicada em 27 de maio de 2019 - 8:27

Imprimir
Casos de dengue no Piauí seguem em crescimento, diz Sesapi

Última atualização: 10 , junho 2019 - 07:47

Dados do 20° Boletim Epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) apontam que os casos de dengue seguem em crescimento. Os números mostram que, nesta semana, os casos de dengue tiveram um aumento de 138,9% em relação ao mesmo período do ano passado. Totalizando os dados do Sistema de Informações de Agravos de Notificação (Sinan), a 20ª semana registrou um total de 2.575 notificações provenientes de 109 municípios. Em 2018, foram registradas 1.078 notificações em 68 municípios.

Pavussu, Cristino Castro, Rio Grande do Piauí, Eliseu Martins e Alvorada do Gurgueia foram os cinco municípios que registraram a maior incidência por 100 mil habitantes. Comparando com a 19° semana epidemiológica, a única mudança entre os cinco municípios foi a entrada de Eliseu Martins no ranking, substituindo o município de Júlio Borges. A Secretaria de Estado da Saúde chama a atenção para que a população também tome medidas para diminuir os riscos de incidência da enfermidade.

Ao passo que as notificações de casos de dengue continuando apresentando aumento, zika e chikungunya mais uma vez apresentaram queda no número das notificações. No que diz respeito à febre Chikungunya, a redução registrada foi de 5,3% em relação ao mesmo período de 2018. O 20° Boletim epidemiológico mostra ainda que foram 306 notificações em 22 municípios, enquanto que em 2018 foram 323 notificações em 32 municípios.

As notificações de Zika apresentaram uma redução de 52,2% em relação a 2018. No ano passado foram 23 notificações em 09 municípios, ao passo que em 2019 foram 11 notificações em 07 municípios.

O Boletim da 20° semana epidemiológica aponta ainda que não foram registrados óbitos referentes a casos de zika e chikungunya. O boletim apontou ainda que houve um óbito referente a dengue, a mesma quantidade do ano passado.

Da Redação

Comente através do Facebook