A Polícia Federal prendeu sete pessoas da mesma família e dois funcionários do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) na manhã desta quarta-feira (15). A quadrilha é acusada de fraudar a Previdência com o auxílio de pessoas que transferiam benefícios do Maranhão para o Piauí após a morte dos titulares.

Segundo a investigação, 639 benefícios previdenciários fraudados foram identificados. Foram cumpridos 21 mandados de prisão e 31 de busca e apreensão expedidos pela 3ª Vara Federal de Teresina. Desde às 5h30 de hoje, 125 policiais dos estados do Piauí, Ceará, Maranhão, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco participam da operação.

A Justiça Federal determinou a suspensão dos benefícios em que foram atestadas as fraudes, medida que evitará um prejuízo futuro estimado em R$ 80 milhões. Foi determinada ainda a apreensão de veículos, bloqueio das contas bancárias dos presos e a suspensão do exercício da função pública para os servidores do instituto.

Os investigados deverão responder pelos crimes de associação criminosa (artigo 288 do CPB), estelionato qualificado (artigo 171, § 3º, do CPB), falsidade ideológica (artigo 299 do CPB), uso de documento falso (artigo 304 do CPB), corrupção passiva (artigo 317, §1º, do CPB) e corrupção ativa (artigo 333, p. u., do CPB).

Leilane Nunes

PUBLICIDADE
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa newsletter

Seja notificado sempre que novas matérias sejam publicadas ou atualizadas.

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR

Cinema tem pré-estreia de filme sobre pintor Egon Schiele

Mais um final de semana está chegando e, com ele, também tem…

Festival traz clássicos do Cinema Brasileiro de volta às telas do cinema

A partir de dia 1º de novembro, acontece o FESTIVAL REMASTER, CLÁSSICOS DO…