Mães recebem homenagens na Penitenciária Feminina de Teresina

Publicada em 9 de maio de 2019 - 8:35

Imprimir
Mães recebem homenagens na Penitenciária Feminina de Teresina

Última atualização: 10 , junho 2019 - 07:48

Cerca de 80 mães reeducandas da Penitenciaria Feminina de Teresina participaram, nesta quarta-feira (8), de atividade em comemoração ao Dia das Mães. O evento contou com a presença do secretário de Justiça, Carlos Edilson Rodrigues, e da diretora de Humanização da Sejus, Dinah Miranda.

Para o secretário Carlos Edilson, a data é de reflexão para o futuro. “Que essas mulheres possam ver, no sistema, uma oportunidade para retomar a vida, e que Deus possa preencher o coração de cada uma com aquilo que elas desejam de melhor para suas vidas”, propôs.

A interna Tassiana Kellen lembrou que ser mãe é uma tarefa diária. “Apesar do lugar, a gente é feliz. Somos mães. O segundo domingo de maio é o dia das mães, mas nós somos mães todos os dias. Que a gente aprenda com os nossos erros e sejamos um exemplo para os nossos filhos”, revelou.

A diretora de humanização, Dinah Miranda, apontou as atividades de estudo, leitura, teatro e música, oferecidas na unidade, como caminhos para renovar os sonhos e as metas de vida das mães privadas de liberdade. “Mudar de estratégia, mudar de vida”, sugeriu.

A gerente da unidade, a agente penitenciária Cristiane Praga, felicitou as detentas e lembrou o papel da ressocialização para o retorno ao convívio das famílias.”Temos jornadas duplas, triplas… O nosso lar, os nossos filhos precisam da gente, se espelham nas nossas ações. É uma honra poder trabalhar para fazer com que essas mães voltem para casa melhores”, contou.

O Pastor Joeldo fez alusão à Bíblia e falou às internas sobre o direito humano ao erro. “As mães se culpam muito ou se cobram muito quando ocorre algo errado com seus filhos. Não tentem ser a mãe perfeita. Muitas mulheres adoecem por conta disso. Maria nos dá o exemplo quando aponta que até mesmo ela pôde falhar com o filho”, lembrou o religioso, citando a passagem bíblica em que Jesus se perde da mãe.

A atividade contou com apresentações musicais, coquetel e distribuição de rosas às internas, como forma de sensibilização e inspiração para a ressocialização dentro da unidade.

Da Redação

Comente através do Facebook