TRAGÉDIA

Bombeiros: não há registro de vistoria no local da tragédia no CT do Flamengo

Alojamentos do Ninho do Urubu não estão incluídos no projeto de segurança apresentado pelo clube

Publicada em 11 de fevereiro de 2019 - 7:53

Imprimir
Bombeiros: não há registro de vistoria no local da tragédia no CT do Flamengo

Última atualização: 11 , fevereiro 2019 - 07:53

O local do incêndio que causou a morte de 10 jovens jogadores das categorias de base do Flamengo jamais foi vistoriado pelo Corpo de Bombeiros. A informação veio da assessoria de imprensa da corporação depois do questionamento do GloboEsporte.com sobre os motivos de o clube não ter a documentação necessária da instituição para o funcionamento do centro de treinamento, conhecido como Ninho do Urubu.

Na nota enviada ao GloboEsporte.com, o Corpo de Bombeiros diz que a vistoria é realizada sempre com no projeto de segurança apresentado pelo clube. No entanto, “a estrutura provisória não constava no projeto e não foi identificada nas áreas vistoriadas”.

Questionada sobre o fato de o local jamais ter sido vistoriado, a assessoria repetiu a informação e grafou a frase acima. Procurado, o Flamengo preferiu esperar a reunião desta segunda-feira para se posicionar.

Em 2018, o Corpo de Bombeiros fez três vistorias no Ninho do Urubu e várias pendências foram detectadas pelos responsáveis. Todas são alterações no projeto aprovado: layout do bloco 17, posicionamento e instalação de gerador, ausência de instalação de caixa d’água próxima ao eixo das bombas da casa de máquinas, ausência de hidrante urbano, modificação do projeto da cozinha dos blocos 5, 6 e 7.

Essas pendências são relacionadas à execução do sistema de segurança contra incêndio e pânico. Por isso, o clube não obteve o Certificado de Aprovação para finalmente conseguir regularizar sua documentação e chegar ao alvará de funcionamento.

O Corpo de Bombeiros ainda explicou que não cabe a ele determinar número de portas e janelas para os dormitórios onde estavam dormindo os jogadores na hora do incêndio. Segundo a nota, “o Código de Obras do município e as normas técnicas vigentes regem essa especificação.”

Confira a nota completa dos Bombeiros

“A vistoria do Corpo de Bombeiros é realizada com base no projeto de segurança apresentado pelo clube e aprovado pela corporação conforme legislação vigente. A estrutura provisória não constava no projeto e não foi identificada nas áreas vistoriadas.

Em casos de processos de regularização, as vistorias são realizadas sob demanda. O responsável pela edificação solicita para comprovação da execução das pendências. Sendo aprovado, é emitido o Certificado de Aprovação do Corpo de Bombeiros. Caso contrário, o despacho é indeferido. Em 2018, por exemplo, foram realizadas três vistorias no local.

O Certificado de Aprovação não foi emitido pelo Corpo de Bombeiros por falta de cumprimento pleno da legislação vigente. Existem pendências de execução do sistema de segurança contra incêndio e pânico.

No que diz respeito às pendências listadas para o CT, na última vistoria, são alterações no projeto aprovado como: layout do bloco 17, posicionamento e instalação de gerador, ausência de instalação de caixa d’água próxima ao eixo das bombas da casa de máquinas, ausência de hidrante urbano, modificação do projeto da cozinha dos blocos 5, 6 e 7.

Para entendimento: No caso de dormitórios, não cabe ao Corpo de Bombeiros determinar número de portas e tamanho de janelas, por exemplo. O Código de Obras do município e as normas técnicas vigentes regem essa especificação.”

FONTE: globoesporte.com

Comente através do Facebook