PROCESSO DE RESTAURAÇÃO

CAU/PI e Cepisa participam de audiência sobre restauração de painéis e tombamento da sede da empresa

A promotora Gianny Vieira de Carvalho elogiou a atuação do CAU/PI na defesa do patrimônio histórico, cultural e arquitetônico, ressaltando que o Conselho foi o primeiro entre os órgãos de fiscalização a apurar in loco a denúncia feita nas redes sociais.

Publicada em 18 de janeiro de 2019 - 17:27

Imprimir
CAU/PI e Cepisa participam de audiência  sobre restauração de painéis e tombamento da sede da empresa

Última atualização: 18 , janeiro 2019 - 17:29

O Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Piauí e a Cepisa participaram na manhã desta sexta-feira, na 24ª Promotoria de Justiça, responsável pelo Meio Ambiente, de uma audiência com a promotora Gianny Vieira de Carvalho, para tratar sobre o processo de restauração dos painéis históricos de Afrânio Castelo Branco, localizados na sede da Cepisa.

 Na ocasião, ficou acordado que num prazo de 15 dias, a Cepisa deve encaminhar ao Ministério Público, o parecer técnico de restauração que está sendo elaborado por especialistas da Universidade Federal do Piauí. No parecer técnico devem constar cronograma e valores dos investimentos para a restauração.  A 24ª Promotoria ainda recomendou que a Cepisa está proibida de fazer alterações nos painéis até que o parecer esteja pronto, e qualquer intervenção nos locais deve ser comunicada ao Conselho de Arquitetura e Urbanismo e a promotoria.

 A promotora Gianny Vieira de Carvalho elogiou a atuação do CAU/PI na defesa do patrimônio histórico, cultural e arquitetônico, ressaltando que o Conselho foi o primeiro entre os órgãos de fiscalização a apurar in loco a denúncia feita nas redes sociais.

 Tombamento da sede da Cepisa

 Ainda durante a audiência, o presidente do CAU/PI, Wellington Camarço, aproveitou para reivindicar a abertura de um diálogo no sentido de proteger o prédio sede da Cepisa, construído na década de 1970 com projeto do arquiteto e urbanista Antônio Luiz. O presidente ressaltou que a sede da Cepisa, embora atualmente seja patrimônio privado, tem importância histórica para a arquitetura piauiense. O projeto tem planta circular, possuindo pátio central interno e linguagem brutalista.

 O representante da Cepisa na reunião, advogado Windsor Silva Santos Júnior, também informou que a empresa está reunindo detalhes sobre o prédio e vai buscar diálogo com o autor do projeto.

 Participaram da reunião, além da promotora Gianny Vieira de Carvalho, o presidente do CAU/PI, Wellington Camarço, o assessor jurídico Diego Alencar e a gerente de fiscalização Vivian Medeiros. Representando a Cepisa, participaram o advogado Windsor Silva Santos Júnior e a assessora de comunicação e relações institucionais, Júlia Pessoa.

Comente através do Facebook