CONQUISTA

JES arrasta returno na prorrogação e se torna campeão piauiense de futsal 2018

Time conquista também o segundo turno e comemora título após fazer 2 a 1 a 40 segundos do fim. Arbitragem expulsa três da AABB, que reclama. Partida começa na terça e acaba na quarta

Publicada em 5 de dezembro de 2018 - 12:54

Imprimir
JES arrasta returno na prorrogação e se torna campeão piauiense de futsal 2018

Última atualização: 5 , dezembro 2018 - 12:54

Campeão do primeiro turno, o JES levantou a taça do returno e pôde comemorar, na madrugada desta quarta-feira, o título do Campeonato Piauiense de futsal. Novamente sobre a AABB, a equipe virou a decisão a 40 segundos do fim, com gol de Breno, no segundo tempo da prorrogação, disputada no ginásio Verdão, em Teresina. O 2 a 1, porém, acabou marcado por lances duvidosos da arbitragem. Marquinhos e Mororó, da AABB, foram expulsos – e o JES se aproveitou da vantagem numérica em quadra para marcar o gol da vitória. Com o título, o JES será o representante do Piauí na Taça Brasil de futsal.

A final que começou na terça-feira acabou apenas na quarta: na partida preliminar, houve atraso após goteiras no ginásio formarem poças de água. Árbitros e atletas tiveram que enxugá-las. JES x AABB, marcado para as 20h30, começou depois das 22h. O público começou a deixar o ginásio antes do fim.

Com vontade de encerrar o estadual logo, o JES criou mais chances de sair à frente do placar no ginásio Verdão. Porém, a final do returno foi bem diferente do primeiro, quando o time venceu a própria AABB por 5 a 2. Depois de 0 a 0 no tempo normal, a partida foi na prorrogação. E foi justamente no tempo extra que saíram os gols. Aílton, da AABB, fez 1 a 0 após jogada individual. Belauto empatou em cobrança do tiro livre. Quando a decisão caminhava para as penalidades, Breno virou e fez o 2 a 1 do título.

Sem gols no tempo normal

Antes de marcar o gol heróico, Breno teve três oportunidades de fechar a conta bem mais cedo, mas desperdiçou todas elas. Apesar da intensidade e de povoar por mais tempo o lado do adversário, o JES deu para a AABB oportunidades de contra-ataques – e o que se viu, em resumo, foi uma partida equilibradíssima no primeiro tempo, milimetricamente estudada por cada equipe. Jonatas colocou uma bola na trave para o JES, Cláudio – a um minuto do fim – por pouco não fez 1 a 0 para a AABB. Dedé acabou salvando.

A cada avanço no relógio o clima de tensão aumentava – e a final passou a ficar totalmente aberta, com erros de ambos os lados. Restando 14 para acabar, novamente o JES ficou com o controle do jogo na formação com Bolt, Jadson, Breno e Zé Bandeira, que chegou a mandar outra bola na trave. Com o número de falta estourado, a AABB abdicou da disputa – só que o cronômetro ainda apontava oito minutos finais. O JES cresceu.

Aos seis minutos do fim, a arbitragem viu toque de mão em ataque da AABB, e o JES ganhou tiro livre. Na cobrança, Bolt soltou uma pancada, mas parou em ótima defesa do goleiro Eduardo. Trabalhando bem mais a bola, o insistente JES viu Caio se destacar na meta e já no também estourou o número de faltas – não quis mais jogo. Nos segundos finais, Hélio, da AABB, isolou uma bola que parecia morrer gol para soltar o grito de campeão. A partida, porém, caminhou para a prorrogação.

Arbitragem rouba a cena

No tempo extra, saíram os gols e sobraram confusões da arbitragem. Aílton fez para a AABB depois de jogada individual. Belauto empatou em cobrança de tiro livre após falta duvidosa. Marquinhos foi expulso pelo árbitro Afonso Amorim a 1m10seg do fim, e a AABB ficou com um a menos.

Breno, a 40 segundos do fim, virou o jogo e fez 2 a 1 para o JES. O gol trouxe muita confusão para a arbitragem, e a comissão técnica da AABB chegou a entrar em quadra. No tumulto, Igor Mororó acabou expulso. No último lance da prorrogação, Élcio perdeu um tiro livre para a AABB, e a final do segundo turno do estadual terminou ainda com uma terceira expulsão, de Hélio.

Comente através do Facebook