CÂNCER INFANTIL

Com diagnóstico precoce o câncer infantil tem 80% de chances de cura 

O último dia 23 foi marcado como o Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantil.

Publicada em 27 de novembro de 2018 - 18:40

Imprimir
Com diagnóstico precoce o câncer infantil tem 80% de chances de cura 

Última atualização: 28 , novembro 2018 - 12:40

Embora seja a maior causa de mortes por doença na faixa dos 5 aos 19 anos, quando descoberto o mais cedo possível, o câncer infantil tem grandes chances de cura. Dados da Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer indicam que, no mundo todo, cerca de 215 mil casos são diagnosticados todos os anos em menores de 15 anos, além de 85 mil casos entre adolescentes de 15 a 19 anos.

O último dia 23 foi marcado como o Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantil. A data marcou as ações para sensibilizar pais, médicos e toda a sociedade para a importância de se estar atento ao diagnóstico precoce.

A pediatra, Ana Karina Miranda, destaca que os  sintomas do câncer infantil podem ser confundidos com os sintomas de inúmeras outras doenças.

“Por isso que tudo começa com a atenção dos pais, observando e ficando atentos a situações como perda de peso exagerada, presença de caroços, hematomas ou outros sintomas que chamem atenção, ficar atento aos sintomas que vão e voltam”, explica a médica.

Existem vários tipos de câncer infantil, mas os tumores mais freqüentes na infância e na adolescência são as leucemias (que afeta os glóbulos brancos), os do sistema nervoso central e linfomas (sistema linfático). Manchas roxas pelo corpo, palidez prolongada, pouca atividade, presença de febre prolongada, dores nas pernas, sangramentos gengivais são os sintomas mais comuns de leucemia na infância e na adolescência.

“Uma diferença importante entre o câncer infantil e o adulto é de que, ao contrário do câncer em adulto, o câncer infantil , geralmente, não está relacionado a fatores ambientais e comportamentais. É importante que a família saiba disso para que não haja nenhuma culpa ou problemas de aceitação no enfrentamento da doença. Em casos raros é que o câncer infantil está ligado a causas hereditárias”, acrescenta Ana Karina.

Comente através do Facebook