Propaganda eleitoral

Dr. Pessoa reclama da imagem de Lula em propagandas eleitorais de Wellington

A reclamação foi formalizada no dia 05  de setembro no Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE/PI) e alega que o candidato Wellington está usando em excesso a imagem de Lula.

Publicada em 12 de setembro de 2018 - 16:48

Imprimir
Dr. Pessoa reclama da imagem de Lula em propagandas eleitorais de Wellington

Última atualização: 13 , setembro 2018 - 10:08

A Coligação chamada “Mudar para cuidar da nossa gente”, liderada pelo candidato a governador do Piauí Dr. Pessoa (Solidariedade), está contestando a imagem do ex-presidente Lula em propagandas eleitorais realizadas na Internet pelo também candidato ao governo, Wellington Dias (PT), que tenta a reeleição por meio da coligação “A vitória com a força do povo”.

A reclamação foi formalizada no dia 05  de setembro no Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE/PI) e alega que o candidato Wellington está usando em excesso a imagem de Lula, tanto nas redes sociais, como propagandas eleitorais.

Segundo Dr. Pessoa, apesar da candidatura de Lula ter sido indeferida, continua o uso de sua imagem de forma excessiva e o candidato que está na disputa torna-se um coadjuvante na própria campanha. Além disso, pede aplicação de uma multa de R$30 mil, caso seja descumprido.

Em contrapartida, a assessoria da campanha de Wellington Dias, por meio de nota, explicou que o espaço de 25% determinado pela Justiça está sendo respeitado e tem como protagonista o candidato Wellington Dias.

“A jurisprudência existente entende que os 25% se destinam a candidato apoiador. Primeiro, porque o Lula não é mais candidato e, segundo, porque mesmo não sendo candidato sua presença não é superior 25%, respeitando todos os pertinentes. No programa em questão, não existe fala do Lula e nem pedido que extrapole os 25%. Com isso, entendemos que a propaganda está dentro do que determina a legislação e esperamos que, no julgamento do mérito, se comprove a legalidade e que a ação seja julgada improcedente”, finalizou a nota.

Comente através do Facebook