dano imensurável

Incêndio no Museu Nacional: Local reunia mais de 20 milhões de itens

O local, antes do desastre, reunia mais de 20 milhões de itens, como peças arqueológicas, coleções de paleontologia, zoologia, botânica, antropologia, entre outras.

Publicada em 3 de setembro de 2018 - 11:15

Imprimir
Incêndio no Museu Nacional: Local reunia mais de 20 milhões de itens

Última atualização: 3 , setembro 2018 - 11:15

O incêndio de grandes proporções que atingiu o Museu Nacional da Quinta da Boa Vista, no Rio de Janeiro, na noite do domingo (02), causa dano imensurável à pesquisa nacional. O local, antes do desastre, reunia mais de 20 milhões de itens, como peças arqueológicas, coleções de paleontologia, zoologia, botânica, antropologia, entre outras.

O lugar, que já foi residência oficial da família imperial brasileira, passou, em 1818, a ter o nome de Museu Real, sendo inaugurado por Dom João VI.

Um dos itens mais importantes era o fóssil de uma mulher, considerada a habitante mais antiga das Américas. Batizado de Luzia, ela fazia parte da coleção de antropologia.

O museu também era conhecido por abrigar o maior meteorito já encontrado no Brasil, chamado de Bendegó, com 5,36 toneladas, além da maior coleção de múmias egípcias da América Latina.

INVESTIGAÇÕES

A Polícia Federal vai conduzir as investigações sobre as causas do incêndio. Apesar do fogo já ter sido controlado, ainda não há previsão para o início da perícia, pois ainda há locais ainda com focos de incêndio.

Os trabalhos serão realizados por agentes da PF da Delegacia de Repressão a Crimes Contra o Patrimônio.

 

Comente através do Facebook