NOVO TÉCNICO

Flamengo acerta com Abel Braga e prepara anúncio de técnico para próximos dias

Treinador, que pode ser anunciado nesta terça, vai para a segunda passagem pelo Rubro-Negro

Publicada em 11 de dezembro de 2018 - 11:19

Imprimir
Flamengo acerta com Abel Braga e prepara anúncio de técnico para próximos dias

Última atualização: 11 , dezembro 2018 - 11:19

O primeiro ato de Rodolfo Landim como presidente do Flamengo tem nome e sobrenome: Abel Braga. Dois dias após vencer a eleição do clube, a nova diretoria acertou os detalhes com o treinador que será o comandante do Rubro-Negro em 2019. A tendência é que o Flamengo faça o anúncio oficial nesta terça-feira.

Abel chegou a ser procurado pelo Santos, mas deu prioridade ao Flamengo. O treinador já tinha conversas adiantadas com Landim. Parado desde a saída do Fluminense, em junho, ele chega para substituir Dorival Júnior no comando do Rubro-Negro.

Ainda no dia da eleição, Rodolfo Landim já havia definido também seu vice de futebol. O cargo é de Marcos Braz, que já havia exercido a função entre 2009 e 2010.

Será a segunda passagem do treinador de 66 anos pelo Flamengo. Em 2004, Abel comandou a equipe em 44 jogos (19 vitórias, 12 empates e 13 derrotas) e deixou o clube no meio do Brasileirão, com a conquista do Campeonato Carioca no currículo. Naquele ano, também foi o treinador no vice-campeonato da Copa do Brasil, quando o Flamengo perdeu a final para o Santo André.

Em enquete realizada pelo GloboEsporte.com, em novembro, sobre a melhor opção para assumir o Flamengo em 2019, Abel teve pouco mais de 34 mil dos 104 mil votos totais. Terminou atrás de Renato Gaúcho (51 mil votos), que frustou os planos iniciais da nova diretoria e encaminhou acerto de renovação com o Grêmio.

Comente através do Facebook

POLÍTICA MONETÁRIA

Começa hoje reunião do Copom; expectativa é de manutenção da Selic

Instituições financeiras consultadas pelo BC esperam pela manutenção da taxa básica de juros em 6,5% ao ano, nesta semana. Esse é o menor nível da taxa básica.

Publicada em - 10:36

Imprimir
Começa hoje reunião do Copom; expectativa é de manutenção da Selic

Última atualização: 11 , dezembro 2018 - 10:36

A última reunião deste ano do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) começa hoje (11) em Brasília. Amanhã (12), após a segunda parte da reunião, será anunciada a decisão sobre a taxa básica de juros, a Selic.

Instituições financeiras consultadas pelo BC esperam pela manutenção da taxa básica de juros em 6,5% ao ano, nesta semana. Esse é o menor nível da taxa básica.

De outubro de 2012 a abril de 2013, a taxa foi mantida em 7,25% ao ano e passou a ser reajustada gradualmente até alcançar 14,25% em julho de 2015. Nas reuniões seguintes, a taxa foi mantida nesse patamar.

Em outubro de 2016, foi iniciado um longo ciclo de cortes na Selic, quando a taxa caiu 0,25 ponto percentual para 14% ao ano. Esse processo durou até março deste ano, quando a Selic chegou ao seu mínimo histórico. Nas reuniões de maio, junho, agosto, setembro e outubro de 2018, o Copom optou por manter a Selic em 6,5% ao ano.

Para as instituições financeiras, a Selic deve voltar a subir em 2019, encerrando o período em 7,5% ao ano. Na semana passada, a expectativa estava em 7,75% ao ano. A primeira reunião do Copom de 2019 será realizada em fevereiro.

A taxa básica de juros é usada nas negociações de títulos públicos no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) e serve de referência para as demais taxas de juros da economia.

A Selic é o principal instrumento do Banco Central para manter sob controle a inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Inflação

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o IPCA registrou deflação de 0,21% em novembro e acumula alta de 4,05% em 12 meses, abaixo do centro da meta de inflação, que é de 4,5%. Essa meta tem limite inferior de 3% e superior de 6%. Para 2019, a meta é 4,25%, com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%.

Com o resultado da inflação em novembro, as instituições financeiras consultadas pelo BC reduziram ainda mais a previsão para o IPCA. A estimativa para o índice neste ano caiu pela sétima vez seguida, ao passar de 3,89% para 3,71%. Para 2019, a projeção foi reduzida pela quinta vez consecutiva, caindo de 4,11% para 4,07%.

A manutenção da Selic na reunião, como prevê o mercado financeiro, indica que o Copom considera as alterações anteriores nos juros básicos suficientes para chegar à meta de inflação, objetivo que deve ser perseguido pelo BC.

Ao reduzir os juros básicos, a tendência é diminuir os custos do crédito e incentivar a produção e o consumo. Entretanto, as taxas de juros do crédito não caem na mesma proporção da taxa. Segundo o BC, isso acontece porque a Selic é apenas uma parte do custo do crédito.

Para cortar a taxa básica de juros, a autoridade monetária precisa estar segura de que os preços estão sob controle e não correm risco de ficar acima da meta de inflação.

Quando o Copom aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

 

Comente através do Facebook

MAIS RENDA

Mesmo aposentados, 21% dos idosos continuam trabalhando

Quase metade dos entrevistados precisa complementar a renda; 43% dos idosos que se mantêm na ativa enfrentaram dificuldades em conseguir oportunidade no mercado de trabalho

Publicada em - 10:26

Imprimir
Mesmo aposentados, 21% dos idosos continuam trabalhando

Última atualização: 11 , dezembro 2018 - 10:26

A longevidade impõe desafios para a população brasileira, em que parte significativa segue exercendo alguma atividade profissional mesmo após a aposentadoria. Um levantamento realizado em todas as capitais pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostra que sete em cada dez idosos (70%) estão aposentados. Desse total, 21% continuam trabalhando e uma das principais razões é o fato de a renda não ser suficiente para pagar as contas (47%). Já 48% disseram que querem se sentir produtivos nessa fase da vida e 46% buscam manter a mente ocupada.

Embora atuem ativamente, 43% reconhecem que tiveram dificuldades para conseguir uma oportunidade, principalmente por enfrentar preconceito com a idade avançada (30%). Por outro lado, 57% afirmam não ter tido problemas em conseguir trabalho. Quando questionados sobre até que idade pretendem trabalhar, mais da metade (61%) não soube definir ao certo. Para os que sinalizaram ter uma perspectiva em mente, a média é de 74 anos.

Apesar da questão financeira ser um ponto relevante para aqueles que optam por não parar, 76% dos idosos encaram o trabalho de forma positiva nessa fase da vida. Tanto que um terço (30%) destes menciona sentir satisfação por estar trabalhando e poder produzir, enquanto 20% têm orgulho de manter sua independência, ao passo que 18% disseram gostar do que fazem e ainda possuem muitos projetos a serem realizados.

Na avaliação da economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, os dados refletem um novo cenário com o aumento da expectativa de vida no Brasil. “Percebe-se, muitas vezes, que os idosos não se prepararam para este momento e os ganhos com a aposentadoria acabam não sendo suficientes para manter o padrão de vida desejado. Mas já enxergamos uma mudança na visão de grande parte dessas pessoas, que começam a encontrar um sentido especial no trabalho por se sentirem mais produtivos e independentes”, ressalta.

Nove em cada dez idosos contribuem com orçamento familiar; previdência social é principal forma de preparação para aposentadoria

O estudo observa ainda que boa parte dos lares conta com a renda de familiares acima dos 60 anos. Nove em cada dez (91%) idosos contribuem financeiramente com o orçamento, sendo que 43% são os principais responsáveis pelo sustento da casa. Ainda assim, 34% dos entrevistados recebem algum tipo de custeio — percentual que cresce para 40% entre as mulheres — vindo principalmente de pensão por falecimento do cônjuge (15%) ou de familiares (15%).

Quando o assunto é preparação para aposentadoria, o que se percebe ainda é uma falta de conscientização sobre a necessidade de pensar no futuro. Entre os que se planejaram de olho nesta fase da vida, três em cada dez (32%) admitem nunca ter guardado dinheiro exclusivamente para esta finalidade. Outros 25% não lembram quando começaram a fazer uma reserva. Em relação aos 43% que recordam o período de início dessa poupança, a média de idade foi aos 27 anos.

A maior parte (47%) se preparou ou ainda se prepara para a aposentadoria por meio da contribuição ao INSS. Já 34% realizam ou realizaram algum tipo de investimento — número que sobe para 43% entre os homens e 49% nas classes A e B. Desse total, 13% dos recursos foram aplicados em poupança, 9% em previdência privada da empresa onde trabalhou e 7% destinados a outros investimentos, como fundos, ações, CDBs, Tesouro direto e renda fixa. Há também uma parcela que investe em previdência paga por conta própria (7%) e em imóveis (6%) – considerando apenas os imóveis tratados como investimento e não moradia.

Entre os que sinalizaram ter se preparado, 25% atribuem esse comportamento ao seu perfil mais precavido, enquanto 21% dizem que se espelharam em exemplos próximos de pessoas que não se preparam e tiveram problemas financeiros na aposentadoria. Já 17% seguem orientações de amigos e familiares. Quanto àqueles que não se prepararam, os principais fatores citados são falta de renda (29%) e de sobra de dinheiro no orçamento (25%).

“Planejar a aposentadoria pensando apenas na renda que virá com o INSS é arriscado no contexto econômico atual do país, especialmente porque as regras da previdência social podem mudar a qualquer momento. Além disso, o valor médio do benefício concedido raramente é suficiente para dar cobrir despesas que não estavam previstas, gastos com remédios e plano de saúde, por exemplo. O recomendável é complementar os ganhos da previdência com um plano privado ou outro tipo de reserva. E quanto mais cedo, melhor”, orienta o educador financeiro do SPC Brasil e do portal “Meu Bolso Feliz”, José Vignoli.

Comente através do Facebook

OPERAÇÃO ROSSA

Senadores e deputados federais são alvos de operação da PF

Os alvos são o senador Aécio Neves (PSDB-MG), a irmã dele, Andrea Neves, e o primo Frederico Pacheco de Medeiros. Também estão na mira os senadores Antonio Anastasia (PSDB-MG) e José Agripino Maia (DEM-RN).

Publicada em - 10:09

Imprimir
Senadores e deputados federais são alvos de operação da PF

Última atualização: 11 , dezembro 2018 - 10:09

A Polícia Federal (PF) e o Ministério Público cumprem hoje(11) 24 mandados de busca e apreensão, assim como 48 intimações para oitivas no Distrito Federal, em São Paulo, Minas Gerais, no Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e na Bahia, além de Mato Grosso do Sul, do Tocantins e Amapá. São investigados os crimes de corrupção passiva, organização criminosa, lavagem de dinheiro e associação criminosa.

Os alvos são o senador Aécio Neves (PSDB-MG), a irmã dele, Andrea Neves, e o primo Frederico Pacheco de Medeiros. Também estão na mira os senadores Antonio Anastasia (PSDB-MG) e José Agripino Maia (DEM-RN). A Operação Ross investiga também os deputados Paulinho da Força (Solidariedade-SP), Benito Gama (PTB-BA) e Cristiane Brasil (PTB-RJ).

A PF no Distrito Federal confirmou a Operação Ross. No total,  200 homens trabalham na ação, que investiga o recebimento de vantagens indevidas por parte dos parlamentares no período de 2014 a 2017.

A Operação Ross é um desdobramento da Patmos, deflagrada pela PF em maio de 2017. Os valores investigados, que teriam sido utilizados também para a obtenção de apoio político, ultrapassam R$ 100 milhões.

Alvos

Os mandados de busca e apreensão são cumpridos em apartamentos de Aécio Neves e sua irmã, Andrea, no Rio de Janeiro, assim como no de Cristiane Brasil, também na capital fluminense. Em São Paulo, o imóvel de Paulinho da Força está na mira, assim como os apartamentos de Aécio e Anastasia em Belo Horizonte.

Os mandados foram expedidos também para imóveis de Agripino Maia e Benito Gama, em Natal e Salvador. A autorização foi dada com base no Inquérito 4.519, relatado pelo ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Denúncias

A operação se baseia em informações de empresários, que teriam relatado a promotores a emissão de notas fiscais frias. Há denúncias, que estão sob investigação, sobre a suposta compra de apoio político, e que empresários teriam ajudado com doações de campanha e caixa 2, por meio de notas frias.

Nome

O nome da Operação Ross é referência ao explorador britânico que dá nome à maior plataforma de gelo do mundo, na Antártida, fazendo alusão às notas fiscais frias que estão sendo investigadas.

Comente através do Facebook

VISITA

Secretário de Educação de São Paulo conhece e elogia novo currículo de Teresina

Gestor visitou a capital a cidade de Teresina

Publicada em 10 de dezembro de 2018 - 19:17

Imprimir
Secretário de Educação de São Paulo conhece e elogia novo currículo de Teresina

Última atualização: 10 , dezembro 2018 - 19:17

O modelo de reformulação do currículo da cidade de São Paulo foi inspiração para o processo em Teresina. A fim de conferir de perto o documento pronto, o secretário municipal de Educação da capital paulista, Alexandre Schneider, está hoje (10) em Teresina, acompanhado da diretora de Ensino Fundamental, Minéia Paschoaelo.

A agenda da visita técnica incluiu uma apresentação detalhada de como a Secretaria Municipal de Educação (Semec) conduziu as estratégias de reformulação. O processo teve início logo após a viagem do secretário municipal de Educação de Teresina, Kleber Montezuma, a São Paulo, em dezembro do ano passado. Com boas ideias para o começo das discussões, técnicos e equipes escolares elaboraram as novas diretrizes à luz da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) durante todo o ano de 2018.

Alexandre elogiou a sistemática de organização da atualização curricular, que incluiu consultas públicas e auxílio de especialistas externos. Trouxe, ainda, sugestões para os próximos passos, e elogiou o desempenho da Rede Municipal no cenário nacional.

“Teresina é referência em educação para São Paulo, temos orgulho de ter contribuído com esse processo de reformulação. Nos chamou atenção a clareza do projeto, que está voltado para que a criança aprenda, detectando as deficiências, trabalhando com a formação dos profissionais e destacando a avaliação como oportunidade para que a escola busque melhorar um pouco mais a cada dia”, declara o secretário de São Paulo. Para ele, esse estímulo é o que tem feito Teresina estar em primeiro lugar entre as capitais do país. “Troco tudo que temos por esse posto de primeiro lugar no Ideb”, brinca Alexandre.

Os visitantes também foram recebidos pelo prefeito Firmino Filho em seu gabinete na Prefeitura. O prefeito falou da importância dessa parceria entre as cidades para o compartilhamento de aprendizados. “Foi a partir da base elaborada por São Paulo que produzimos as nossas diretrizes, assim como já dialogamos em outros projetos para o crescimento das duas capitais. Os desafios continuam, Alexandre é um grande gestor, São Paulo tem uma rede de escolas gigantesca e com certeza essas contribuições são importantes para a trajetória da nossa educação”, avaliou Firmino.

A programação do dia contou com visitas a duas unidades de ensino da Rede. A dupla conheceu a rotina escolar do Centro Municipal de Educação Infantil Joel Mendes, no Centro, e a Escola Municipal Eurípides de Aguiar, no bairro Marquês. O secretário Alexandre Schneider conversou com os gestores e trocou dicas.

Segundo Montezuma, a visita é motivo de orgulho para Teresina. “São Paulo tem a maior rede de ensino do país, com mais de um milhão de alunos, e o secretário veio conferir como trabalhamos para alcançar a melhor proficiência. Isso é uma honra para nós e também nos engrandece”, concluiu.

Comente através do Facebook

ABUSO SEXUAL

Polícia e MP de Goiás vão apurar denúncias contra médium João de Deus

A Polícia Civil deve definir a quantidade de delegados e agentes que atuarão no caso durante reunião convocada pelo delegado-geral André Fernandes para as 16h30 de hoje (10), em Goiânia.

Publicada em - 19:02

Imprimir
Polícia e MP de Goiás vão apurar denúncias contra médium João de Deus

Última atualização: 10 , dezembro 2018 - 19:02

A Polícia Civil e o Ministério Público de Goiás (MP-GO) criarão forças-tarefas especiais para apurar as denúncias de abuso sexual envolvendo o médium João Teixeira de Faria, conhecido internacionalmente como João de Deus.

A Polícia Civil deve definir a quantidade de delegados e agentes que atuarão no caso durante reunião convocada pelo delegado-geral André Fernandes para as 16h30 de hoje (10), em Goiânia.

A assessoria de imprensa confirmou à Agência Brasil que a instituição já havia instaurado inquéritos para investigar acusações apresentadas por frequentadoras da Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia (GO), mas que as denúncias se avolumaram depois que o caso se tornou público, sendo divulgado na imprensa. A criação da força-tarefa se deve à complexidade do caso.

Já o Ministério Público goiano pretende atuar em conjunto com promotores de outras unidades da federação onde residam mulheres que afirmem ter sido vítimas de abusos sexuais supostamente cometidos pelo médium. As primeiras denunciantes devem começar a ser ouvidas amanhã (11).

O escândalo envolvendo João de Deus veio à tona na última sexta-feira (7), quando o programa Conversa com Bial, da TV Globo, veiculou o relato de várias mulheres que afirmam terem sido vítimas do médium. Segundo os relatos, João de Deus as teria levado para cômodos isolados do centro espírita e as molestado, acariciando seus corpos. Algumas mulheres garantem que o médium chegou a expor seu pênis, forçando-as a tocá-lo a pretexto de curá-las.

A reportagem ainda não conseguiu contato com o médium e com seus advogados. Desde ontem (9), ninguém atende os telefones de contato divulgados na página da Casa Dom Inácio de Loyola, na internet.

Em nota divulgada no sábado (8), a Federação Espírita Brasileira afirma que o espiritismo orienta que o serviço espiritual não deve ocorrer isoladamente, apenas com a presença do médium e da pessoa assistida. Além disso, a entidade informa que “não recomenda a atividade individual de médiuns que atuem por conta própria” que, portanto, “não estão vinculados ao movimento espírita, nem seguindo sua orientação”.

Comente através do Facebook

STOCK CAR

Diego Nunes fecha a temporada no Top15 do campeonato

Piloto paulista terminou a temporada 2018 em Interlagos com saldo positivo

Publicada em - 18:56

Imprimir
Diego Nunes fecha a temporada no Top15 do campeonato

Última atualização: 10 , dezembro 2018 - 18:56

Correndo em casa, o paulista Diego Nunes fechou a temporada 2018 da maior categoria do automobilismo do pais, a Stock Car, com saldo positivo. Na grande final que aconteceu nesse final de semana em Interlagos, São Paulo, o dono do carro #70 chegou na décima segunda posição.

Nunes reverteu os resultados nas últimas etapas, onde conquistou o pódio em Goiânia e saiu de Interlagos no Top15 do campeonato, na décima quarta posição, somando 66 pontos. “Gostaríamos de ter chego mais a frente do campeonato, nosso objetivo era esse. Não tivemos muita sorte no início da temporada, mas viemos buscando o equilíbrio e tentando dar a volta por cima, revertendo os resultados para um saldo positivo. Nós conseguimos mostrar isso nas últimas etapas, onde fizemos a volta mais rápida da corrida, levamos o prêmio de melhor ultrapassagem, ficamos entre os 5 melhores, disputamos no Q3, e vencemos a prova de Goiânia. Quero agradecer os patrocinadores, a equipe e todos que apostaram no meu trabalho e torceram por nós, agora é virar o ano e começar a trabalhar antes do inicio da próxima temporada para entrar com o pé direito”, disse o piloto que tem o apoio da Harald Chocolates, Sicoob, Ceratti e Vigor.

Nessa temporada, Nunes, da equipe Full Time Bassani, trabalhou junto com os pilotos Rubens Barrichello, Nelsinho Piquet e Ricardo Mauricio, e a equipe fechou com a décima primeira posição do campeonato de equipes com 131 pontos. A Stock Car ainda não definiu as praças da temporada 2019, mas retorna no mês de abril.

Comente através do Facebook

FLORIANO

Joel Rodrigues assina contratos para as obras de urbanização da Beira-Rio e mais calçamento

Um dos contratos é para a primeira etapa da Urbanização da Orla Fluvial (Beira-Rio), com recursos da União no valor de R$ 1.422.988,50, mais contrapartida do município na ordem de R$41.446,27, somando assim R$ 1.464.434,77.

Publicada em - 18:51

Imprimir
Joel Rodrigues assina contratos para as obras de urbanização da Beira-Rio e mais calçamento

Última atualização: 10 , dezembro 2018 - 18:51

Nesta segunda-feira (10), o prefeito de Floriano, Joel Rodrigues, esteve na Caixa Econômica Federal – GIGOV,  Gerência Executiva de Governo, para a assinatura de dois contratos para a execução de obras para Floriano.

Participaram da assinatura os servidores da GIGOV, Socorro Sales e Marcelo Basílio.

Um dos contratos é para a primeira etapa da Urbanização da Orla Fluvial (Beira-Rio), com recursos da União no valor de R$ 1.422.988,50, mais contrapartida do município na ordem de R$41.446,27, somando assim R$ 1.464.434,77.

O outro contrato é para a pavimentação, com calçamento, de vias públicas no perímetro urbano de Floriano, com recursos da União no valor de R$ 1.869.731,80 + contrapartida do município no valor de R$ 19.268,20, totalizando R$ 1.889.000. Joel Rodrigues disse que a liberação desses recursos foi possível graças ao empenho e a mediação do senador Ciro Nogueira.

“Tudo o que está acontecendo dou graças pela força do nosso bom Deus, ao nosso trabalho de integração de governos e ao senador Ciro Nogueira, que não tem medido esforços para ver Floriano cada vez melhor”, disse Joel.

Comente através do Facebook

NOVO GOVERNO

Em diplomação, Bolsonaro pede confiança daqueles que não votaram nele

O presidente eleito lembrou que o Brasil deu um exemplo de respeito à democracia nas eleições de outubro.

Publicada em - 18:35

Imprimir
Em diplomação, Bolsonaro pede confiança daqueles que não votaram nele

Última atualização: 10 , dezembro 2018 - 18:35

No discurso de diplomação, o presidente eleito, Jair Bolsonaro, prometeu hoje (10) governar para todos, sem qualquer distinção ou discriminaçao. Bolsonaro pediu a confiança daqueles que não votaram nele. Também afirmou que o voto popular é um “compromisso inquebrantável”. Segundo ele, a construção de uma nação mais justa depende da “ruptura de práticas que retardaram o progresso no país”, como mentiras e manipulação.

“A partir de 1º de janeiro, serei o presidente dos 210 milhões de brasileiros. Governarei em benefício de todos sem distinção de origem social, raça, sexo, cor, idade ou religião”, afirmou o presidente eleito durante a cerimônia de diplomação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Bolsonaro disse que a diplomação representa o reconhecimento da decisão do eleitorado brasileiro, em “eleições livres e justas”. Agradeceu o trabalho da Justiça Eleitoral, o apoio da família e os 57 milhões de votos. Em primeiro lugar, agradeceu a Deus por estar vivo, após ter sido esfaqueado no início da campanha eleitoral.

Afirmou que cumprirá sua determinação de transformar o país em um local de justiça social. “Eu me dedicarei dia e noite a um objetivo que nos une: a construção de um Brasil próspero,  justo, seguro e que ocupe o lugar que lhe cabe no mundo.”

Democracia

O presidente eleito lembrou que o Brasil deu um exemplo de respeito à democracia nas eleições de outubro. “Em um momento de profundas incertezas, somos um exemplo que a transformação pelo voto popular é possível. Este processo é possível. O nosso compromisso com o voto popular é inquebrantável. Os desejos de mudanças foram expressos nas eleições.”

Bolsonaro disse ainda que só com rupturas de algumas práticas haverá avanços. “A construção de uma nação mais justa e desenvolvida requer uma ruptura com práticas que retardaram o nosso progresso, não mais violência, não mais as mentiras, não mais manipulação ideológica, não mais submissão de nosso destino.”

Novas tecnologias

Para o presidente eleito, as novas tecnologias demonstraram sua força nas urnas. “As eleições de outubro revelaram uma realidade distinta das práticas do passado. O poder popular não precisa mais de intermediação. As novas tecnologias permitiram uma eleição direta entre o eleitor e seus representantes. Esse novo ambiente, a crença na liberdade, é a melhor garantia dos ideiais que balizam a nossa Constituição.”

Família

Bolsonaro agradeceu o apoio da família, citou a mulher Michelle, os cinco filhos e a mãe Olinda, de 91 anos. Ao mencionar o nome da caçula, Laura, 8 anos, acenou para a menina que estava sentada na plateia.

Comente através do Facebook

COMÉRCIO

Setor de artesanato do Mercado Central investe em artigos natalinos

O Natal é uma das melhores épocas para o comércio da cidade

Publicada em - 18:20

Imprimir
Setor de artesanato do Mercado Central investe em artigos natalinos

Última atualização: 10 , dezembro 2018 - 18:20

O setor de artesanato do Mercado Central de Teresina já está em clima de Natal. No local, os comerciantes investiram no tema para decorar suas lojas e oferecer produtos da época aos teresinenses. Árvores, guirlandas, cestas, anjos, tudo feito de forma bastante delicada e sofisticada, são opções que podem ser encontradas no setor.

A comerciante Verlane Araújo transformou toda a fachada de sua loja com os produtos. Segundo ela, o grande painel chama a atenção dos clientes. “Eu pensei em uma forma de impactar o cliente e resolvi mudar a fachada da loja colocando um painel com os produtos desta época. Eu espero que o público aprove e com isso consigamos aumentar as vendas”, destaca.

O Natal é uma das melhores épocas para o comércio da cidade. Neste período, alguns permissionários do setor de artesanato afirmam que as vendas costumam crescer 50% a mais, se comparadas com outros meses do ano. A comerciante Gislane de Melo diz que a expectativa este ano em torno da data é a melhor possível.

“Esperamos que agora em dezembro a clientela comece a aumentar. A expectativa é sempre que as vendas sejam boas. Acreditamos que isso vai acontecer, pois as pessoas tem mudado seu conceito sobre os produtos artesanais e procurado cada vez mais esses artigos”, destaca Gislane.

Na lojinha de Carina Lima o que chama a atenção é o grande presépio preparado com afinco pela própria artesã. No local, as pessoas também poderão encontrar arranjos, cestas para café da manhã, bolas com cipó, barbante e sisal, anjos e árvores. “O preço é acessível e as peças são bastante delicadas”, comenta.

A decoradora Andrea Nascimento foi até ao setor do Mercado à procura dos produtos. “Como eu trabalho com decoração, as peças para o Natal sempre despertam meu interesse. É a primeira vez que venho aqui e já estou achando tudo muito bonito”, destaca.

O artesanato foi o primeiro setor a passar por reforma dentro do projeto de requalificação do Mercado Central, entregue em dezembro do ano passado. A estrutura interna do Mercado que foi restaurada buscou preservar as características originais da arquitetura do prédio. A obra incluiu ainda acessibilidade e melhorias na instalação elétrica e hidráulica.

Comente através do Facebook